Os nossos amigos

quinta-feira, 27 de março de 2014

Trolling, uma pesca... Uma moda...

Boas,

Todos temos as nossas... Sim as nossas!

Eu tenho, tu tens, vocês têm...

Vamos começar então com o relato...

Como de costume, a pescaria foi marcada para uma madrugada, e o dia prometia. Pouco vento, chuva miudinha, as águas é que andam muito tapadas...Mas... Eu ando meio saturado...

Antes de embarcar para mais uma aventura, lá fomos tomar o cafézinho de sempre...

Já o dia aclarava quando finalmente entrámos a bordo do Scookie... Prego a fundo... e em minutos estávamos lá...
Ao longe uma ténue luz ia surgindo, muito tímida, e estava na altura de escolher o tipo de amostras a usar...

Fugindo às minhas escolhas, usei uma amostra de cabeça vermelha, que confesso que não me dá um peixe...
É irritante e vai-se lá entender isto... Como é que o Pingalin que mais peixe dá nesta zona, em amostras não me dá nada... O Palma já apanhou alguns, mas nada de mais. Enfim... Um dia tramo os gajos, ainda vou perceber os porquês...

Bem amostras para dentro de água, e começa o carrocel do costume... Epa, vou confessar uma coisa, apesar do muito peixe que temos apanhado ao longo dos últimos meses, estou farto do mau tempo, do Inverno, e de sofrer a bordo, enquanto meto mais uma moedinha e dou mais uma voltinha... Ando zonzo...

Mais uma voltinha no carrocel? Ok...

Amostras na água, já após o 2º café do dia, e ainda a arca estava vazia... Ele olhava para mim e eu para ele, e a ideia era a mesma. Desta ele estava rendido... Temos que mudar rapidamente. Um abanão. Não há ninguém que suporte isto... Esta foi a última nos tempos mais próximos...


Já me perdi na minha tremenda frustação... Sei que pode parecer estúpido estar assim, mas é como me sinto... E quero um dia ao ler isto, entender o que sentia na altura e cruzar dados com as sensações da altura...

Vou voltar ao relato agora... Olhem isto de andar de carrocel cansa que farta. Julgo que por muito que o Palma adore esta pesca, ele neste dia não estava nada satisfeito com isto... Estava na hora de ir ao livro das memória e ver o que se estava a passar... Mas porque raio não dava nada? Porque só anda a dar robalos anões e são pouquíssimos?

Rapidamente vendo o que se passou nos últimos anos, chegámos a uma conclusão! Tudo o que é bom tem uma duração. Os que vivem do passado, param no tempo, os que só sabem fazer um tipo de pesca, vivem meses de jejum...

Então vamos sair daqui, ir fazer uns peixes, no tal spot onde por esta altura ainda deu outros anos, e terminar com esta pesca... Por agora, lololol, ela voltará a dar-nos grandes momentos, e de certeza que nos trará grandes emoções, um dia...

Alterado o local, estava na altura de mudar tudo o que temos usado. Vamos esquecer a one lure, a Fire Tiger, esqueçam... E esqueçam os tamanhos, a distância a que pescamos do barco, etc, etc. Isto requer outra táctica, outra forma de pescar, mais técnica, com mais atenção ao erro, pois em baixios, perdem-se muitas amostras...

Já o dia ia longo e a nossa motivação curta, quando resolvemos usar as amostras mais pequenas que tínhamos a bordo... E logo na primeira voltinha ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ, la´se foi uma amostra a vida, lololol. Bem, menos mal, era uma low cost...

Toca de meter mais uma Low Cost e arriscar mais um bocadinho...

Tornámos ao trajecto inicial e logo nos primeiros metros a cana do Palmeta ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ, gritei logo para ele largar a porcaria do  telele, e agarrar na cana, mas o peixe devia estar mal preso e foi-se... Segundos perdidos, peixe perdido!!!

Mais uma voltinha... E mais um ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ, não pessoal, não era peixe... Foi sim mais uma amostra para o "calheiro"... Assim não dava...



Fiquei apreensivo e na expectativa do que fazer, pois não queria perder as amostras mais caras, mas acabei por não resistir e usei uma deep tail muito pequena, e renovei a fé, isto numa zona bastante mais baixa do que a que estamos habituados.

Volta após volta o desânimo era cada vez mais patente na cara de ambos e eu já me apetecia lançar-me ao mar... Estava tãooooooooooooooooooo farto... Já sonhava com um pacote de ganso nacional, e uma chumbada para pescar ao fundo...

Sim, chama-se desespero!

Após uma total descrença, algo que nos liga a esta modalidade fez-nos, mais uma vez tirar o tal coelho da cartola. Talvez sorte, sim, assumo que sim, mas não deixa de ser uma sorte ligada a um conhecimento contínuo de uma pesca que realizamos dezenas de vezes ao ano.

As águas tapadas e sujas da chuva não nos deixaram grande margem de manobra para inventar, mas e se hoje que não dá nada usássemos a amostra que nunca apanha nada para safar o dia???

Olhou-se para as malas... e...

- " Olha esta que nunca nos apanhou nada... bora tentar???"
- " Vamos perdê-la... É muito grande..."
- " Quero lá saber... estou farto dela..."
- " Então força, vamos tentar, usa a cara eu ponho a escura"

E assim tudo mudou...

A cada metro que o Scookie percorria olhávamos um para o outro a pensar qual ia perder primeiro a sua amostra... Cabeçadas enormes no fundo, canas aos saltos, e eu parecia que tinha braços articulados por um botão... E era esticar cada vez que as canas davam cabeçadas, na expectativa que fosse peixe, e da mesma forma, me tornava a sentar no banco, lol, e vai de levantar, e vai de sentar, e vai de levantar e vai de sentar... E vai de......... ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ, Palma pára o barco, ahahah, perdes-te a tua amostra, prendeu nas ostras... E ele encolheu os ombros como se estivesse a marimbar para isso e agarra na cana... e o fundo, ripostou!!! E tornou a ripostar... E de novo... E ele riu-se e disse-me:

- " Queres uma ostra destas, já que nem isso és capaz de apanhar???"
- E eu ri-me, com o fair play de sempre... E passei o caminho, que foi rápido, pois era robalo quileiro, a fazer macumba para ele perder o peixe!!! Ihihih... Mas o peixe vaio a até ao barco em segurança e pronto... Lá desgradou...
Rapidamente fomos até ao mesmo spot, e começámos de novo o trajecto, mais devagar ainda para dar tempo ao peixe de ver bem as caroladas que estas meninas davam no fundo... E de novo, a feiosa dele...ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ... Mais um, o maior do dia, peixe para quilo e meio... Dia que estava a ficar... noite!!! E que nos deixava a segundos de dar por terminada a pesca...

Em segundos, tirámos o peixe, pusemos as canas a prontos nos encaixes e reposicionou-se o barco.
Em segundos também tínhamos outro ferrado, desta na minha canita... Lá desgradei ao final de tantas horas... Cana vergada, mas quando agarrei disse logo ao Palma ser do mesmo lote e vai de trancar drag e rebocar o peixe. Em segundos estava no barco, e sem luz tivemos que terminar a pescaria, com pena nossa, pois o peixe finalmente tinha aparecido, mesmo ao cair do pano.

Para tirar o barco e que foi uma tourada já de noite... mas lá se conseguiu e fomos beber um café antes de terminar esta jornada...

Acabei por passar um excelente dia, na companhia de um grande amigo. E apesar do cansaço certos dias desta pesca, o facto de ser uma pesca capaz de me fazer saltar o coração cada vez que o drag dispara, dá-lhe aquele açucar, que tanto lhe falta no resto da pesca em si...

O trolling é hoje em dia, muito mais do que uma pesca, é uma moda!!!






Material:
Canas:  Shimano Biomaster; Shimano Lesath
Carretos: Shimano Biomaster SW; Shimano Stella SW
Linhas: SUFIX 832; Power Pro 8 Slick
Amostras: X-RAP, YO-ZURI; RAPALA DEEP TAIL DANCER; CORMOURA DEEP TREMBLING

Filipepc, Ricardo Palma, Ospescas

3 comentários:

Jorge Silva disse...

... mais que uma moda, um vício!!!
Belo relato que desperta a persistência e o bichinho do troling. Abraço.
Jorge S.

Jorge Silva disse...

... mais que uma moda, um vício!!!
Belo relato que desperta a persistência e o bichinho do troling. Abraço.
Jorge S.

Os Pescas disse...


Parabéns aos meus dois grandes amigos..:-) Pois sei que às vezes pode ser muito desesperante o trolling..hahaha

Um grande abraço

Luís Malabar