Os nossos amigos

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Symetre 4000 FJ, um low cost de luxo!

Shimano Symetre
4000 FJ







Uns dos carretos da marca Shimano de melhor custo/benefício encontra-se na gama de spinning.
O Symetre fj é um carreto dotado de excelente qualidade, durabilidade, é versátil,  tem um balanceamento perfeito, e acaba por ter um peso aceitável se considerarmos que outros carretos usados em spinning têm esse peso.
Possuí ajuste de fricção com ótima vedação, rolamentos blindados resistentes à água salgada, engrenagens precisas, anti reverso com sistema superstopper, e um ratio de 5:7, que o torna uma escolha de primeira linha para os amantes de spinning e também de bóia.
No spinning o drag tem uma importância vital e necessita de disparar na hora, e todos os testes feitos com este carreto demonstram a sua perfeita afinação no momento do disparo, revelando-se sempre preciso na luta com os nossos amigos Labrax´s.
A realidade é que este carreto nos oferece uma segurança e performance fenomenal para um carreto de valor tão baixo, numa modalidade em que todos sabemos o desgaste que os carretos sofrem.
O Symetre é provavelmente o melhor low cost para spinning que o mercado nos oferece de momento.
Após mais de um ano de uso o carreto continua a mostrar-se impiedoso na hora de lutar com grandes exemplares. Vários foram os robalos de porte tirados com este carreto sem que ele demonstrasse qualquer fraqueza ou sinal de desgaste. É um carreto que transmite segurança ao pescador, característica deveras importante na modalidade.
Hoje, com o uso que tem, já se pode afiançar a sua durabilidade, muito acima da média para um carreto da gama a que pertence. Claramente um carreto de gama média, a preço económico.
Esteticamente trata-se também de um carreto bem conseguido, com bons acabamentos, e não sendo um deslumbre visual, é sem dúvida um carreto bonito, discreto, e que não deixa nada a desejar do ponto de vista da pintura.


Para quem tem no spinning um uso frequente sem ser abusivo, esta opção deve ser seriamente tida em conta. Um low cost de luxo!

Forças: O facto de ter o corpo em alumínio protege-o e garante maior resistência à água salgada; o seu ratio e enrolamento são perfeitos para spinning; o seu preço, imbatível para a modalidade.

Fraquezas: Apesar de não ser pesado, somente apontamos o seu peso. Tem 400 gramas, se tivesse menos de 350 seria perfeito para o spinning de água salgada. Mesmo assim temos que o considerar aceitável pois tem o mesmo peso do Stella 5000 SW. 
O facto de apenas trazer uma bobine, e não ser screw-in.










         Características:

  •  Rolamentos A-RB 4+1 de agulhas,
  •  Engrenagem reforçada,
  •  Oscilação lenta,
  •  Bobina em alumínio forjado a frio, 
  •  Estrutura em alumínio,
  •  Punho anti-derrapante,
  •  Asa de cesto de peça única,
  •  Super Stopper II, 
  •  Braço de pick up em grafite ultra leve, 
  •  Manivela em alumínio maquinado, 
  •  Eixo flutuante II, 
  •  Biogrip, 
  •  Dyna Balance.




Ficha Técnica:

Ratio
5:7
Enrolamento cm/volta
93
Drag Máx.
6.8 kg
Peso
400 gramas
Capacidade de linha
180 metros de 0,25(monofilamento)
País de fabrico
Malasia

O seu Preço ronda os 90 euros.










segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Surfcasting de rastos...

Boas pessoal,

O peixe tarda em dar um sinal da sua graça nesta modalidade este ano na margem sul... Várias têm sido as noites em que temos tentado dar com os nossos amigos... Faz umas  2 semanas em que combinei uma pescaria com o Guilherme. O Windguru dava motivos para acreditarmos que tínhamos uma noite de luxo para esta modalidade nesta zona. Ondulação de Oeste, mar espumado portanto, 3,5 metros a descer, pouco vento, aguagens entre os 10 e os 13, estava portanto uma noite perfeita.
Na hora marcada lá estávamos nós, prontos para irmos até ao Meco, Moinho de Baixo, zona que privilegiamos para esta modalidade.
Pelo caminho fomos falando sobre a pescaria e a motivação estava nos píncaros, paramos para um cafézinho e de seguida rumámos ao pesqueiro.
Chegados ao Meco, uma surpresa, nem um pescador. Julgo que não o tinha presenciado ainda neste local.
Bem, o Meco estava areado, mas resolvemos procurar algum cabeço junto de fundão... Após uns metros de caminhada, encontrámos um que nos deixou minimamente satisfeitos. Parámos por ali e foi montar depressa o material e lançar para  dentro pois a maré estava a meio da enchente...
Para nossa alegria as canas deram logo sinal, e mesmo não sendo grandes toques, dava para entender que o peixe andava por lá... Nos primeiros lançamentos tirámos logo alguns sarguitos, prontamente devolvidos, embora tivessem medida não era bem o que procurávamos...

O meu sargo... Estava uma delícia!
Os toques sucediam-se mas continuávamos a deitar peixinho fora... E pusemos-nos na conversa, quando olho para a cana do Guilherme e vejo-a com a linha completamente na diagonal o que em dias de pouca aguagem, seria sinal de peixe, pelo menos é costume ser assim... Ele foi agarrar na cana, e apercebeu-se que trazia peixe, rapidamente recolhido entre o lindíssimo mar espumado que estava nessa noite. Um robalo muito bonito, para alegria do Guilherme. 

A motivação revigorou e claro, lá lançamos de novo as canas em busca de mais uns robalos. O mar estava propício. Mais um toque na minha cana e percebo ao agarrar que estaria ferrado, recolho e facilmente o trago para fora. Um robalo de cerca de 800 gramas. Menos mal... Vai de iscar com mais um casulo e zumba lá dentro... Em alguns instantes mais alguns toques, e mais uns sargos pequenos, até que a minha cana dá uma bela sticada, e contínua a fazer pressão, corro para ela, e assim que agarro, dou-lhe aquele toque para trás para garantir a ferragem e toca a recolher, este perto da margem deu alguma luta, já me divertir, realmente os sargos, dão outro gozo a tirar. Um belo sargo, que me alegrou e deixou entusiasmado. Seria a 1ª noite de frio em que saía peixe de jeito?... Pois, a maré acabara de virar, e os toques como por magia desapareceram... Nem os pequenos batiam... Ficámos horas sem um único toque... Fomos lançando perto, longe, alterando os iscos, mas, nada batia, e apenas por a noite estar a passar-se bem, resolvemos esperar pelo nascer do dia.
A maré vazou tanto que ficámos a pescar em seco praticamente... 
Com o nascer do dia, resolvi procurar melhor um fundão e assim trocámos de lugar para mais uns lançamentos em busca de algum robalo madrugador... Mas nada batia... Já estávamos para desarmar as canas... quando uma delas dá um pequeno toque, agarro nela e sinto qualquer coisita... Recolho e vou dizendo umas asneiras, lol, pois percebi que seria uma amostra de peixe... E não é que acertei... Um robalito, coitado, ali com uns 25 cm, embuchado, o Guilherme ainda lhe fez massagens e tentou ver se ele vivia, mas como lhe tinha dito, ele estava feriado nas guelras e não iria resistir, e ficou logo a boiar... Enfim, acontece.
Para minha satisfação, observo algo na água junto à margem, o Guilherme estava de perneiras e fez o favor de ir buscar... Um monte de linhas, com destroçedores e 2 amostras... Uma Daiwa saltiga sardine e uma Shimano... Eh eh eh!
Hora de arrumar a tralha, a noite que tanta ilusão nos criou, desiludiu-nos, o surfcasting tem sido uma miséria, anda completamente de rastos!
Um abraço ao Guilherme que é uma óptima companhia, e em breve irei em busca deles. Isto não fica por aqui...


Pescaria do Guilherme
A foto de telemóvel não deixa perceber, mas o robalo de cima tem 1,4/1,5 kg..
Os de baixo desgraçados, tramaram-se... embuchadinhos

Material usado:

Canas: Vega Potenza Hybrid, Vega Millenium, Shimano SAT, Fujika KW, Hiro Amphora
Carreto: Shimano PA SpinPower, Tica Specter, Shimano Super Ultrega, Shimano AeroTechiumXT, Shimano AeroTechiumXSA

Iscos das capturas: Casulo, Tita e Ganso.

Filipepc.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Robalo à 3 lição !!!

Voltemos ao peixe de escama pessoal!

Já fazia algum tempo que o nosso Palma andava indeciso na aquisição de material para o Spinning. Após algumas conversas de café e a visualização de uns peixes tirados pelo “ professor “( Luís ) a decisão foi tomada e resolveu investir nesta modalidade, adquiriu cana, carreto e uma boa quantidade de amostras, agora faltava o mais importante, ir á pesca e apanhar peixe!!!
Como o Spinning é uma modalidade que requer alguns conhecimentos, nada como pedir ajuda a quem mais percebe da “coisa”, neste caso  o Luís que logo se prontificou a dar-lhe umas boas dicas.
A preparar a tralha...
Após duas idas infrutíferas e sem resultados nenhuns, decidimos ir fazer uma nocturna a um dos nossos “ quintais”, as indicações meteorológicas eram boas e podia ser que tivéssemos uma boa surpresa.
Á hora combinada lá foram chegando a minha casa com enorme vontade de ir para o mar, não perdemos tempo e fizemo-nos ao caminho pois ainda é demorado e a hora boa da maré aproximava-se.
Chegados ao pesqueiro era tempo de montar o material e escolher qual seria a “matadora” a abrir as hostes, o Palma por ser a 1ª vez que iria fazer Spinning nocturno estava um pouco baralhado em relação á amostra a  utilizar, mas rapidamente o Luís lhe indicou das que ele tinha, as que serviam para pescar de noite e as que serviam para de dia. Dizendo-lhe algo que o deixou um pouco intrigado, “- Palma usas esta que é boa ,  aproveitas e vais fazendo de sonda para nós”.
 E assim foi durante algum tempo o Palma não desarmou de “varejar” com a tal amostra indicada pelo Luís, mas como os resultados não eram positivos decidiu ir pelo seu instinto o que se veio a revelar uma boa opção.
Tentou de tudo um pouco, mas foi com uma Maria Angel Kiss que ele apanhou o seu 1º Labrax ao Spinning ( e que Labrax !!!), foi uma imagem engraçada aquela que pude presenciar e passo a explicar, o Palma lança a sua amostra para a água e veio fazendo uma recuperação mais lenta como lhe tinha dito o Luís até que…pois é um Robalo tinha agarrado a sua amostra  e com muita gana fez com que o drag do carreto dispara-se o que deixou o Palmeta com as “perninhas a tremer”, agora havia que trabalhá-lo e pô-lo a seco com o maior dos cuidados pois a escoa era forte e o peixe era um exemplar de bom porte.

“ O que é que eu faço?” perguntava-me o Palma!!!

O meu 1º Labrax ....

A mim pessoalmente deu-me um enorme gozo ver todo aquele “filme” pois teve um final feliz e o “bébe”  foi posto a seco, era a sua 1ª captura e logo um bom exemplar, 3.360gr foi o peso que a balança acusou, estava de parabéns pois á 3ª lição tinha “partido a grade”, veio-se a provar que tinha estado com atenção aos pormenores e que o “professor” não o tinha enganado, nota 20 para o Palma, passou com distinção.

1.780 gr, nada mau...

Mas a noite não acabou por aqui, pouco tempo depois foi a minha vez de “partir a grade” com um Robalo que acusou 1.780gr, desta vez a amostra utilizada foi uma Lucky Craft 130 MR que por sua vez era a 1ª vez que ia a banhos, e que bela estreia que teve. Foi um Robalo relativamente fácil de o por a seco pois não deu praticamente luta tendo tido apenas dificuldade devido á escoa que como disse anteriormente era bastante forte.
Faltava apenas o Luís “desgradar”, ele bem tentou mas pelos vistos a noite não era dele mas sim do seu “aluno”, porque ele estava de mão quente e voltou a apanhar mais um peixe, desta vez uma baila a rondar os 30 cm com uma Lucky Craft 130 MR

A estreia ...
.Como era de esperar foi uma enorme festa aquela que o Palma fez, pois ao fim de 3 idas á pesca tinha apanhado o seu 1º peixe, tinha apanhado mais peixe do que o seu “mentor” que ainda por cima tinha gradado.

Ainda tentámos mais um pouco, mas a maré já tinha pouca água e a hora já ia avançada, era tempo de rumar a casa e dar descanso ao corpo.

Resumindo foi mais uma noite agradável e em excelente companhia, serviu para o Palma ganhar o “vicio” e também para tirarmos mais algumas conclusões da forma como aquele pesqueiro nos pode ainda dar mais boas surpresas, um pesqueiro para voltar sem dúvida!!!


Mais uma bela noite ...

Na grade do "mentor"

Um grande abraço para os dois, pois são grandes amigos e espero poder partilhar com vocês muitas noites como esta, até á próxima…


 Material utilizado :

Canas: Shimano Diaflash 3.00, Shimano Speedmaster 3.00 e Shimano Lesath 3.30

Carretos : Shimano Symetre 4000 FJ, Shimano Stella 5000 SW

Amostras : Maria Angel Kiss e Lucky Craft 130 MR


Pedro ( PJPescador)




quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O Peixe(sexo) forte!

Bem pessoal, antes de voltarmos a vos oferecer mais peixinho fresco, resolvemos brincar um pouco...
Numa era em que se vê cada vez mais mulheres à pesca, resolvemos fazer-lhes uma homenagem, com alguns dos mais belos peixes do mundo, eh eh eh.
Como é sempre importante manter a boa disposição e o bom humor, ficam aqui algumas deliciosas jornadas, sempre com respeito por aquele que é hoje em dia o sexo forte.
Brindemos a estas pescarias...

Perca do Nilo ovada!
A testar uma nova gama de waders!
Barco fundeado no Cabo Espichel
Ups...

Que belo salmonete!
Spinning embarcado!
Lucky craft cor de rosa!
Vencido, mas feliz!
Bikini natural!
Old School! Os sportex´s pesam imenso, eh eh eh!
Que grande cabeçudo!
Que alegria...
Ferrei um, ferrei um!!!
Jigging matinal!



Soube bem ver tanto peixe? Óptimo... Agora vamos a eles, que a motivação está nos píncaros!



Até breve...


Daiwa - Catálogo de amostras/lures 2012

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

( spinning ) Labrax´s.....venham eles

           Boas pessoal......

      Mais um belo dia de faina junto ao mar.........

     Pois é amigos eles vieram para ficar, cheios de fome, atacam as amostras como se não houvesse amanhã, preparam-se para a fatídica desova que irá acontecer nos próximos meses.
     Hoje foi mais um amanhecer em busca deles num já conhecido pesqueiro meu, conhecemo-nos os dois como companheiros , pedra por pedra....o seu mar.....as suas vagas....a sua força....e a riqueza de robalos que com ele transporta.....cada dia...cada noite....cada lua....sendo a única coisa que pede...tempo para ele nos conhecer.
     Assim que chego de madrugada ao pesqueiro a primeira coisa que faço sempre quando saio do carro...é sentir o ar da noite e ouvir o seu som.....o som do mar....ele é que vai me dizer aonde é que posso pescar....ás vezes deixa.....outras vezes não nos quer perto, mesmo quando sabemos que ele transporta vida nas suas vagas.
     Pois bem, ele desta vez deixou-me a mim e ao meu amigo Valter procurar o que tanto eu queria....Labrax´s....tanto eu como o Valter escolhemos uma pedra para trabalhar e prontos a suar para os ter na mão.
     Escolhemos ambos uma amostra e vai de lançar....lançar...quando de repente crava-se o primeiro labrax numa maria modificada ainda bastante distante do local onde eu estava, quando o tento trazer até mim, sem dar sinal, ele descrava-se sozinho para felicidade dele.
     Bem.....pode ser que tenha sido azar......voltei a lançar e voltei a ter outra porrada mas desta vez não se cravou......hum.....mudei de amostra para um tamanho mais pequeno com a mesma cor e mudei de táctica.
     Lançei.......e.......zzzzzzzzzzzzzzzzz...........zzzzzzzzzzz.....já está, puxo-o até mim e tiro-o dentro de água, peixe já jeitoso disse eu para mim!
     Segundo lance..........zzzzzzzzzzzzzzzz........................zzzzzzzzzzzzzzz.....mais um cá fora....cheguei na hora certa pensei para mim.
     Terceiro lance..................e..............já está cá outro.....isto está a correr bem, vamos lá ver quanto tempo é que vais me dar mar.
     Assim que tirei o 3 labrax o meu amigo Valter crava um depois de se ter descravado outro no lançamento anterior......puxa e peixe cá fora....:-)
     Quatro peixes....nada mau......nisto estava o Valter a descravar o seu peixe quando ferro o 5º Robalo que por sinal seria o ultimo a sair neste dia. Estava feita a pesca e agradecidos pelo peixe que o mar nos deu.
     Como não podia deixar de ser, assim que chegamos ao carro felizes pelo dia, o meu amigo Valter fez a gentileza de tirar 2 fotos da minha pesca para que pudesse partilhar com vocês a minha alegria após mais um dia de faina com o meu grande amigo e companheiro Valter.
      Aqui ficam as fotos para mais tarde eu recordar...:-)


                                                                               
                                                               Os bébés já na caixa....:-)



Material:


Canas:  Shimano Diaflash ST-A 3,60.
Carretos:  Shimano Stella 5000 SW.
Amostras:  Lucky Craft Flashminnow 130 MR; Maria angel kiss





                                    Um grande abraço para todos amigos e até muito em breve......

                                                                       Luis Malabar

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

( spinning ) Labrax´s....Uma noite para nunca mais esquecer......

              Boas pessoal........


       Hoje vou contar-vos o que se passou comigo ao spinning numa destas noites..........


    Era 1h15 quando o despertador tocou....levantei-me com a vontade do costume, equipei-me, conferi o material e revisto tudo segui caminho para mais uma noite de spinning.
    Cheguando ao pesqueiro por volta das 2h da manhã verifiquei que o mar estava de feição e não que havia vento nenhum como estava previsto pelo windguru, o que infelizmente muitas das vezes não corresponde com a realidade.
    Como eu tinha combinado com os meus colegas, Walter, Filipe, Pedro e o Palma encontrarmo-nos ás 5h da manhã, tinha muito tempo ainda para pescar antes de eles chegarem, pois como eu tinha dito no dia anterior a eles, derivado ás condições ideais para aquele pesqueiro, muito possivelmente se iria conseguir capturar peixe.
    Eu decidi ir mais cedo por duas razões, uma porque não ia trabalhar no dia a seguir, logo podia fazer a noite e com ela a subida da maré, a outra porque visto ser a primeira maré com mar mais calmo, podia aconteçer eles entrarem mais cedo no pesqueiro para se alimentarem e não ter que esperar pela viragem da maré para os capturar.
    Pois bem, desta vez já levei chalavar apesar de estar sozinho e levei outra vara de 3.60 mt para que não me acontecesse o mesmo da outra vez, pois assim que vi o mar, o meu sentimento e pensamento ambos me disseram o mesmo.....pensa bem o que vais fazer.....estás sozinho...a única coisa que me ocorreu foi colocar chaves, telemóvel, carteira e tudo o que se pode-se molhar....lolol....pois desta vez ia ao banho se fosse preciso pois não ia ficar mais nenhum dentro de água para morrer.
   Assim foi, escolhi uma pedra para começar a pescar e vai de lançar....lançar....lançar.....nada....percorri varias pedras em silencio pois o mar era muito menos e o vento que nem de leve soprava.
   Já passavam 2h desde que andava em busca deles até que num recanto espelhado pela lua ferro o primeiro...peixe de força média que rapidamente o tiro para fora na esperança de não perturbar os demais que patrulhassem a zona.
   O pior da noite estava para vir, quando me dirijo ao peixe para o agarrar com a minha mão direita, ele como do nada apanhou-me distraído dando dois saltos conseguindo-me cravar com um anzol da fateixa do rabo da amostra no meu dedo grande, a dor foi electrizante....eu com a cana na mão esquerda e na mão direita estava o robalo aos saltos acabar de cravar o resto do anzol no meu dedo.
   O robalo quando vou a poisar a cana para o segurar com a mão esquerda descrava-se, graças a deus....e que estupido que foste.....estás farto de saber...depois de tantos....assim que acendo a lanterna vejo o que ele me tinha feito......
   O anzol tinha penetrado a carne e apenas conseguia vêr o bico do anzol a sair mas a barbela ainda estava dentro da carne.
    Bem.....vai ter que ser....agarrei a fateixa e fiz força para trespassar a carne para a barbela sair....posso dizer que isto a sangue frio não é nada agradável....lol....tive que fazer bastante força para que ela sai-sse mas lá acabou por sair.
    Esta parte já está...agora é tentar cortar a ponta com o alicate....agarrei no alicate e lá consegui cortar a ponta do anzol da fateixa.....agora já posso tirá-la no sentido inverso........devagar e saiu....uuufaaaa.
    Novamente pronto para a guerra.....estanquei o sangue....troquei a fateixa e vai de pescar......4 maniveladas e nova cravagem.....não era peixe grande mas era peixe.
    Tiro-o para fora desta vez com todo o cuidado descravei-o e novamente lançei....lançei....lançei...mas tinha demorado muito a detectar o peixe mais o tempo que demorei com a fateixa tinha sido o suficiente para eles desaparecerem por enquanto.
   Aqui fica uma imagem depois de estancar o sangue em acção de pesca e outra já em casa.....:-)
    
                                                                             

                                                                                
                                                      Mais uma tatuagem de guerra....:-)

  
        Depois disto, tive que esperar que raia-se o dia para tentar capturar mais. O Valter foi o primeiro apareçer ao pé de mim ainda antes do sol nascer, ele chegou tarde, o peixe já não estava ali ou não queria comer.
       Assim que começou a nascer o dia nós os dois trocámos de zona ambos com a esperança renovada...escolhi uma pedra....troquei de amostra e dois lançamentos depois tinha outro cá fora.
       Fiz mais alguns lançamentos mais o Valter mas sem sentir nada, tal como apareceram...desapareceram.
       Entretanto chegou o Pedro mais o Ricardo Palma para spinnar como combinado, já estava eu no descanso e sem esperança...3 peixes e o dedo a latejar...lol
       Ainda ficamos mais uma hora até que decidimos dar por terminada a jornada de pesca...contas feitas... 3 bonitos labrax´s.
       Aqui fica uma foto dos 3 estarolas e dos meus 3 bébés...:-)


                                                        Eu...o Pedro e o Ricardo Palma
                                                               

                                                
                                                                  Os meus Bébés......:-)


Material:


Canas:  Shimano Diaflash ST-A 3,60; Shimano Diaflash ST-A 3,00; Shimano Speedmaster 3,00
Carretos:  Shimano Stella 5000 SW; Shimano Symetre 4000 FJ(2).
Amostras:  Lucky Craft Flashminnow 130 MR; Duo tide minnow slim 175; Maria angel kiss


                                      Um grande abraço a todos companheiros e até breve

                                                                     Luis Malabar

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Robalo nas ondas. A gula de um labrax!





 Nome: Hugo Pinheiro
 Local: Costa da Caparica



Boas amigos,

Quero partilhar com vocês um momento muito engraçado!

É uma história de "pesca", estranha, difícil de acreditar...

Tudo se passou com o meu amigo Hugo Pinheiro. Muito conhecido no mundo do bodyboard, pelos títulos que já conseguiu, tanto a nível nacional, como europeu e quem sabe se um dia o vai conseguir a nível mundial. É para isso que ele trabalha todos os dias. Eu acredito que consiga, torço muito por isso!

Além de ser um grande bodyboarder, o Pinheiro é um grande pescador. Vem de uma família de pescadores e foi ele um dos principais causadores do vicio que tenho hoje em dia, o spinning!
O episódio que venho aqui relatar, passou-se com ele num dos nossos quintais, aqui na margem sul.

O malandro saiu de casa para ir dar mais um surf, como faz quase todos os dias. Mal sabia ele que este dia de surf, se tornaria num grande dia de "pesca".
Já dentro de água, num daqueles momentos em que se espera pelas ondas a olhar o horizonte, viu uma barbatana fora de água. 

Aficionado da pesca como ele é, doido pelo spinning de mar e pelos robalos, ficou de olho nos movimentos do peixe. 
Qualquer coisa de estranho se passava. Quando o peixe anda lá, muitas vezes se vêem ataques de robalos à tona de água, nesta zona é comum, mas isto era diferente...
Decidiu aproximar-se para averiguar...
O peixe continuava por ali, com a barbatana fora de água e cada vez mais estranha se tornava a situação, porque ao aproximar-se ele não fugia.
Tanto se aproximou, que se apercebeu que era um labrax. E o que fez ele?
AGARROU O BICHO!



Um labrax de 3 kilos "pescado" à mão!
Incrível!
Este labrax estava engasgado com uma savelha enorme. Daí a aflição do bicho...Que até se deixou agarrar!
As fotos que se seguem, mostram o momento em que  o Pinheiro saiu dentro de água. 


De salientar que um surfista "normal" não ligaria muito ao peixe, nesta situação. Mas o Pinheiro não é só surfista...Foi o azar deste belo robalo!


Este post é dedicado ao Pinheiro. Um bom amigo e alguém que admiro bastante.
Para concluir, queria só deixar isto no ar a todos os aficionados do spinning de mar...

SERÁ QUE AMOSTRAS DE 17CM SÃO GRANDES DEMAIS PARA A NOSSA COSTA?
HAHAHAHAHA...




Um abraço a todos, e obrigado ao MTN( Miguel) pelas fotografias.
Rui Louraça

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

( Spinning) Eles chegaram......zzzzzzzzzzzzzzzzzz

 
                  Boas Pessoal......


     Esta historia começa assim....com uma triste ideia de ir fazer spinning de noite  para um pesqueiro baixo mas com pedras altas, com mar de enchio e o mais importante sem companheiro numa zona que não aconselho a ninguém por ser perigoso....lol...companheiro é imprescindível para estes sítios, ainda para mais tinha a perfeita noção que a probabilidade de dar com o peixe era muita...até cheguei a dizer no dia anterior ao meu amigo Filipe e Pedro aonde é que poderia se capturar peixe, o que no dia a seguir se veio confirmar.
     Assim foi, liguei para eles para saber se queriam vir comigo e ninguém podia, pois bem seja o que Deus quiser..lol.
     Sai do trabalho ás 23h 30, fui a casa comer alguma coisa, arrumei o material  e lá fui eu à minha pesca.
     Chegando ao pesqueiro equipei-me e fui para o pesqueiro, enquanto ia andar reparei que não havia viva alma á pesca...bem estou mesmo a ver que hoje vai ser um dia daqueles que eu vou sofrer...lol.
     Olhei para a primeira zona de pedra e não dava ainda para pescar lá pois estava perto da praia mar e o mar estava de enchio lavando as pedras de vez enquanto. Bem aqui não dá para pescar agora mas vai dar quando ela vazar.....sendo assim vou ficar já aqui nesta pedra alta...
     E lá fui eu a pensar......se dou com eles aqui sozinho vai ser uma carga de trabalhos, pois para a direita, a ideia de eles lá estarem ainda era maior derivado ao terreno do pesqueiro.
     O mar ali também se fazia sentir lavando as pedras com força mas dava perfeitamente para pescar visto estar a 3 metros de altura da água e a vaga rebentava um pouco afastada de onde eu estava.
     Escolhi uma amostra e comecei a trabalhar....e vai de lançar....lançar.....sempre mudando de pedra até chegar o mais à esquerda possível, sempre sem sentir nada.
     Chegando à zona mais á esquerda reparei que o mar tinha partido parte da pedra que se encontrava á frente do mesmo, dava para pescar mas que não dava para tirar nenhum lá de baixo, logo volta para trás e desta vez vou começar para a direita de onde eu estava pois ela já levava hora e meia de vazante e já dava para ir para onde eu achava que poderia estar o peixe.
    O mar estava um espanto e tinha toda a convicção que a todo o momento ia levar uma porrada daquelas.
    Posso dizer que demorei ainda algum tempo para arranjar uma pedra alta mais para a direita de onde eu estava para poder trabalhar sem ter que levar banho, assim que consegui lancei........a amostra caiu bem longe, fechei a asa de cesto dei 3 maniveladas e já está........pancada seca e zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz.......zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz...........um tarolo daqueles e eu a pensar.....agora é que vão ser elas....lol.....neste caso o melhor é perceber primeiro o que é que o peixe faz, para onde é que quer ir, pois pode ir para onde eu quero que ele vá, que era para a esquerda. Caso não fosse para a esquerda para tentar o encalhar, ai sim ele teria que sucumbir fora de onde eu estava até o trazer até mim pois visto a ultima solução ser a pior, podia se dizer que era a unica.
     O peixe depois de fazer uns arranques ficou à tona de água ao sabor do mar a dar à barbatana caudal a fazer um estardalhaço à tona... deixa-te estar enquanto eu vou para a esquerda e já te puxo pois assim que lá estiver vamos falar os dois.
     Eu regulo o drag e começo a andar rápido a saltar de pedra em pedra quando de repente sinto uma nova direcção na cana, olho para trás e o pior estava ele a fazer......em direcção ás pedras aonde eu estava......merda....volto para trás sempre a enrolar para não folgar até que o mar encosta-o ás pedras......grande merda de cenário......e agora????
     Era eu a olhar para uma fêmea entre 6 a 7 quilos já cansada mas ainda com vida e ela a olhar para mim quem sabe a pensar....e agora???? como é que achas que eu vou parar ai a cima.....lol.
     Nunca tinha visto nada assim, a minha amostra de 175 apenas lhe via a cabeça a sair da entrada do esófago dela. Bem.....ir ai a baixo não dá por causa do mar por isso vou tentar guiar-te até te conseguir encalhar numa pedra melhor para te ir buscar.
     Mas a minha esperança era em vão, o mar e as vagas não deixavam guiar o peixe e a vara mais nada podia fazer perante tal peso, já ela fazia um U e apenas lhe conseguia levantar a cabeça....pensei para comigo..porque é que eu não trouxe a outra vara???....agora aguenta-te. Resumindo, após várias tentativas com a ponteira 0.43 a roçar e muito nas pedras mais o multi 0.24, ela acabou por se partir, indo o peixe com o mar.....F......MERDA......com muita tristeza minha ela inevitavelmente iria acabar por morrer e não merecia desta forma.
    Continuando faço outra ponteira, nova amostra e lanço.......duas maniveladas e zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz..........zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz........outro tarolo, nova tentativa de o levar para a esquerda e novamente ele nas pedras como o outro, este era peixe para 4 a 5 quilos e trazia apenas dois anzóis da fateixa do rabo na boca, do mal o menos. Apenas me resta uma alternativa agarrar na linha à mão e puxar-te para fora....aliviei a cana para agarrar na linha, dei três voltas com a mão e vai de puxar com um braço para fora, começo a levantar e consigo-o tirar da água a uma altura de metro e meio até que vêm uma vaga e agarra no peixe contra as pedras fazendo um peso enorme e que se não fosse as luvas de certeza que o multi ao deslizar na minha mão a cortaria....senti a deslizar até que rebentou.......AI O C........lolol.....peixe ao mar lá vou eu...lol

     Outra tentativa, nova ponteira, nova amostra e vai de lançar........5 maniveladas e zzzzzzzzzzzzzzzzzz...........zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz......há este já é mais pequeno e este vêm a reboque, dizia eu já a deitar fumo pelas narinas, assim que chegou ao pé de mim não estive de modas, vai de fechar o drag e a cana que aguente....ai vai.... o primeiro cá fora em cima da pedra...estava a vêr que nem um tirava, assim já não perdi tudo.
     Outro lançamento e......zzzzzzzzz.......zzzzzzzzzzz ...outro pequeno.....eu hoje já só quero destes que chega muito bem...lol...puxei-o até mim e vai de tirá-lo dentro de água.
     A seguir voltei a fazer mais alguns lançamentos mas sem sucesso nenhum, obrigado com tanto barulho que os outros dois fizeram lá se foi o peixe e uma grande noite de pesca. Não deixou de ser, mas podia ter sido melhor..:-)
     Assim foi mais uma jornada de spinning contabilizando duas capturas com 3 e 2 quilos e para a próxima vez pode ser que seja diferente.....
     Por ultimo quero salientar, que estes dois Labrax´s foram os primeiros peixes grandes que conseguiram fugir, e o que mais me custa não é que o maior tenha fugido, mas sim saber, que aquela grande e magnifica Labrax com toda a certeza não irá sobreviver e o pior.... eu contribui para que isso acontecesse pois não fui capaz de fazer melhor.
     Acreditem que já passou alguns dias e ainda não me saiu da cabeça o que aconteceu.....
     Aqui fica uma foto dos dois meninos já em casa tirados a ferro e fogo..:-)...



  Um grande abraço e até breve companheiros

     Luís Malabar

Material: Shimano Lesath 3,30 e Shimano Stella SW 5000. Amostras da Lucky craft e da Duo Lures , Linha multifilar 0.24 da Sufix 836 com ponteira 0.43 Seagur FXR.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Spinning com lastradas, 2 recorde a cair


Já ia algum tempo desde a minha última investida ao Spinning e no passado dia 1 resolvi ir matar saudades. Conforme combinado no dia anterior, ás 5 da manha já estava equipado para mais um amanhecer na companhia dos meus amigos Luís e Valter. As condições climatéricas eram propícias a um dia quase perfeito e o local escolhido foi a zona das Bicas, pois é um lugar que nos traz excelentes recordações e que por vezes nos proporciona excelentes capturas.


Já o relógio batia nas 6h quando chegámos ao pesqueiro, era tempo de nos fazermos ao caminho e pôr as nossas “batutas” a trabalhar.

A nossa 1ª opção foi as amostras brancas pois este local é rico em Bailas e como já pudemos comprovar em investidas anteriores elas andando lá as amostras brancas são quase imbatíveis, mas após algum tempo de insistência nesta tonalidade e sem ter qualquer resultado decidimos alterar a estratégia e experimentar outro tipo de amostras.

O mar apresentava-se “rijo” e o espumão que tínhamos á nossa frente tinha tudo para nos proporcionar verdadeiros momentos de puro prazer, era altura de por a funcionar as amostras lastradas pois os cabeços estavam longe e nada melhor como testá-las nestas condições.

As amostras lastradas foram experimentadas com vários pesos (com estanho de 1.2 e 2mm e com 3 e 6 gr por fateixa) e vieram a comprovar que a nível de lançamento fazem muita diferença pois sem este tipo de alteração seria impossível chegar ao local aonde eles poderiam andar.

As amostras escolhidas para tentarmos safar a “grade” foram amostras de tons garridos (laranjas, verdes e amarelos) que vieram a dar bons resultados e boas capturas.

O 1º Labrax a sair foi um Robalo kileiro que se atirou a uma amostra de tons laranja e que proporcionou o 1º momento do dia, foi um peixe que não deu muita luta mas que foi ferrado por detrás da vaga (foi tirado com uma amostra lastrada com estanho).

Logo de seguida efetuo outra ferragem, mais um Robalo Kileiro mas que desta vez teve mais sorte do que o anterior pois conseguiu-se desferrar na escoa.

Como era de esperar a adrenalina disparou e o ânimo aumentou pois o peixe estava presente e pronto a colaborar.

Avançámos um pouco no terreno e o Valter efectua mais uma ferragem, mais um Labrax kileiro que foi posto em seco com facilidade (amostra lastrada da duo com 4 gramas e meia), só faltava o Luís desgradar o que aconteceu com alguma rapidez pois logo de seguida ferra outro Labrax, desta vez um peixe nervoso e que fez o drag do Stella trabalhar, um peixe a rondar o 1.800 gr o que ainda nos animou mais pois a “bitola” estava subir (amostra lastrada com 6 gr), de seguida foi a minha vez de ferrar peixe, uma Baila a rondar as 700gr que veio para seco com a maior das facilidades pois a “luta” dada foi praticamente nula.

Não eram grandes exemplares os peixes que tínhamos capturado mas para os dias que correm e com a escassez de peixe que tem andando para estes lados, poderia-se considerar uma boa pescaria pois em menos de 1h30 tínhamos efetuado 5 ferragens, 4 delas que deram em captura.

Mas a manha ainda ia a meio e a vontade de continuar era muita, decidimos então ir um pouco mais á frente tentar a nossa sorte, o que se veio a provar ser uma boa opção.

.Como o saco que existia para transportar o peixe era só um, tive a ”triste” ideia (e já vão perceber porque !!!)  de dizer que quem o carregava era o pescador que tinha efetuado a maior captura, neste caso o Luís.

Chegados ao local escolhido ao 1º lançamento que faço efetuo outra ferragem, mais um Labrax kileiro que veio para junto dos outros e que veio ainda mais aumentar a vontade de continuar.

O Valter em tom de brincadeira já dizia “ – Vais a pé!!! Estás com a leitosa toda!!!!!....

    E realmente á dias assim, o melhor ainda estava para vir, após mais alguns lançamentos, sinto uma ferragem simplesmente brutal, cana dobrada e drag a trabalhar, senti rapidamente que era um Labrax de bom porte, agora era altura de ter calma e trabalhar o peixe da melhor forma, tentar cansá-lo e pô-lo a seco era o meu objectivo, rapidamente eles se dirigiram para junto de mim para dar toda a ajuda necessária pois como disse anteriormente o mar apresentava-se rijo e com uma escoa bastante forte, ao fim de alguns minutos e aproveitando a ajuda do mar o “ bebé “ foi posto a seco ao qual o Luís rapidamente lhe jogou a mão e o trouxe para junto de nós ( amostra lastrada com estanho ).


Era um bonito exemplar, o meu recorde pessoal tinha sido batido, 5.786 gr era o peso deste Labrax.

Tinha chegado ao fim aquilo que julgo ser um dia perfeito para o Spinning, mar mexido com espumão, sem vento, sem aguagem, aguas tapadas qb, céu encoberto, temperatura agradável para esta altura e acima de tudo peixe com vontade de colaborar, o que mais podíamos querer???

Serviu também para tirar uma conclusão do “ quitanço” das amostras o qual se veio a verificar que em dias como o que tivemos pela frente faz toda a diferença, pois permite-nos efetuar lançamentos muito mais longos e que também faz com que consígamos pescar numa camada de água mais funda.

Agora só faltava transportar todo este peixe o que me calhou a mim, pois com a tal “ideia triste” acabei por ser eu o “sacrificado”.


Resumindo foi o inicio de uma época que não podia ter começado de melhor maneira, pois na minha conta pessoal contabilizei 3 Labrax e uma Baila  e que na totalidade dos 3 contabilizámos 5 Labrax´s e uma Baila que deram de peso total 11.800gr.

Foi um amanhecer de dia excelente na companhia de 2 bons amigos que espero ter como companheiros de pesca por muitos e bons anos, para os dois um grande abraço e um muito obrigado pela ajuda no transporte dos “ bebés”.



Material utilizado:

Canas :     Shimano Diaflash 3.00, Shimano Lesath 3.30, Shimano Speedmaster 3.60

Carretos:  Shimano Symetre 4000 FJ, Shimano Stella 5000 SW, Shimano Twin Power     
                   4000 SWA

Linha :      Power Pro 0.19, Sufix 832 0.24

Amostra :  Lucky Craft 130 MR, Duo Tide Minnow 175


Um abraço,

Pedro ( PJPescador )