Um espaço de partilha, criado por um grupo de amigos para a comunidade do mundo da pesca, onde o respeito pela natureza e legislação são um factor importante, e onde se procurará fomentar a paixão pela pesca desportiva.

sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

Libertação de robalo - CATCH AND RELEASE Robalo... Até um dia!!!

Para que um dia possas nos dar outro tipo de alegria...


Só assim eles podem chegar a procriar...

Existem limites que devemos ter em conta...

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

( Surfcasting) "Des”-Carregar as energias para mais uma semana de rotina


Boas a todos.

A época do surfcasting começa a aproximar-se dos meses que tanto gostamos, e como digo ao Filipe temos de continuar a ir aos “treinos”.
Era dia de semana, a vontade e a oportunidade de ir fazer uma pesca era muita. Sabiamos que não iria ser daquelas noites até de manhã, mas ia ser mais ou menos até à 3 da manhã. Sendo que tanto eu como o Filipe iamos trabalhar no dia seguinte às 9 da matina. Ia ser duro o dia seguinte, mas como diz o ditado “quem corre por gosto, não cansa”.




Para lá de tudo o que a pesca me tem dado, principalmente os amigos, cada vez mais me tem servido como retiro anti-stress e de relaxamento. Embora me deixe de rastos fisicamente, a mente fica limpa e preparada para mais uns dias de trabalho. Mesmo indo trabalhar muitas vezes depois de horas de pesca, algumas vezes de directa, e passar um dia inteiro de trabalho em pé, num espaço que normalmente está a uma temperatura constante entre os 35ºC e os 40ºC, conigo sentir que aquele cansaço me faz bem, me deixou relaxado, aqueles momentos ao pé do mar, a levar com a maresia me deixam preparado para mais uns dias no forno que é aquela cozinha. Sabe mesmo bem estar lá. Acho que todos deviam ter um escape, o meu é a Pesca e o Mar.




No dia antes da pesca vim a saber que a dupla 5 estrelas do oeste, João e Soares, se iria juntar a nós.
Para mim já estava feita a pesca mesmo sem saber se iria apanhar peixe ou não. Embora não estivesse lá o GANG todo, já eramos uma boa parte dele. E eu já sei que a boa disposição e boa companhia me iria acompanhar em mais uma jornada pelas praias.
Combinámos por volta das 19h ir apanhar o Filipe à saida do trabalho, mas como era dia de semana mesmo saindo de casa às17h já não me safei do trânsito malvado da ponte, mas mesmo assim cheguei a tempo de ir ter com ele à loja. Já o João que tinha saido um bocado depois de mim só chegou depois das 19h à porta de casa do Filipe.
Carregámos os carros e lá arrancámos rumo ao pesqueiro, mais uma vez seria a lagoa de albufeira pois tem-nos dado algumas bailas de bom tamanho, que é o que tem saido ultimamente no surfcasting. Pois nem sargos nem sarguetas, robalos nem robalinhos. Só sai mesmo bailas.

Quando lá chegámos o spot que queriamos já estava ocupado, e acabámos por ficar ligeiramente à esquerda de onde queriamos estar.
Rapidamente estávamos todos à pesca e para grande azar do Soares uma das anilhas de um passador da Helion partiu-se e este teve de pescar só com uma cana a noite toda.
As minhas pescas e do Filipe corriam um pouco para a esquerda, mas não pela corrente mas sim porque descaiam todas para o fundão que se encontrava mesmo em frente ao João e ao Soares. Lá de vez em quando as linhas passavam por cima umas das outras. Mas nada de especial.

E rapidamente começa o Filipe a gozar comigo pois já tinha tirado um sargo. Já começava ele a dizer:


                    Guilherme lá tens tu de carregar o peixe!!!

A mim esta picardia só me anda a ajudar, embora eu ande a carregar mais vezes o peixe, vai-me saber muito bem quando for ele a carregar o meu. E acreditem que esse dia há-de chegar. E outra razão que também ajuda a carregar o peixe, é que ultimamente alem de carregar o dele carrego o meu também, o que significa que as grades têm sido poucas.
Estava na hora de comer qualquer coisa para ganhar energias e sacar do cafézinho e juntarmo-nos os 4 a beber um quentinho e a desfrotar de boas conversas.
Era hora de irmos verificar os iscos, e o Filipe lá tira mais um peixe, desta vez uma baila.
Passado um bocado não sei o que se passou mas o meus chicotes começaram a partir sem parar, se bem me lembro parti 2 ou 3 de seguida. Lá resolvi o problema e voltei à pesca.
Ora peixe até agora só para o Filipe. Até que olho para a minha cana e pareceu-me estar toda direita. Aproximei-me e era mesmo isso, fio folgado e corrido para a esquerda. Era uma baila também jeitosa.





As horas iam passando e a actividade era pouca, os iscos poucas vezes eram comidos. E voltamos-nos a juntar para mais uma cafezada.
E começo a olhar para minha cana e parecia dar umas cabeçadas. Quando lá chego já a linha estava toda corrida para a esquerda.
Começo a recolher e já a linha estava para lá da cana do Soares, lá passo a cana por cima da dele e contiuo a ir para esquerda, e já sentia o peixe na escoa, mas quando reparo que a linha também estavam por cima da linha do João, já fui tarde e o peixe desferra-se mesmo ali aos meus pés. Só deu para ver que era mais uma baila boa que desta vez levou a melhor.


Quando cheguei ao pé deles, nem se tinham apercebido o que tinha acontecido e só diziam que os devia ter chamado. Ora a minha cana já estava longe deles, e se eu ainda fui a andar a distancia entre duas canas muito dificilmente me teriam ouvido.

Quando olho para o lado já estava o Filipe a tirar outra baila, eram quase todas muito bonitas...

Mas acontece uma vez ganhamos nós outra vez ganham eles.
As horas iam passando e estava a ficar tarde... Já não dava ara aguentar muito tempo foi iscar, lançar e beber mais outro café antes de começar a arrumar a tralha pois as horas não estavam a dar tréguas... E lá decidimos ir arrumando a tralha...


Mas não sem antes o Filipe tirar mais uma baila. Desta vez estava fechado o marcador, já eram quase 4 da manhã e era hora de rumarmos a casa.
O João e o Soares iam continuar até de manhã, mas até à altura não tinham apanhado nada.
Lá nos despedimos deles e fomos embora. A esperança deles era a nossa... Até ao fim é sempre de acreditar...


E...



Já iamos a meio caminho e liga-nos o João a contar que o Soares tinha tirado um bom sargo quileiro.
Até de manhã não tiraram mais nada.
Cheguei a casa já deviam ser umas 5h30 só dava tempo para dormir 2 horas e voltar à rotina do trabalho.
Cansado mas de corpo e alma revigorado por mais umas horas a fazer o que gosto na companhia de grandes amigos. A pesca é isto para mim.


Os dentinhos do menino... Fumador activo!!!






Este anda a rir-se muito para o meu gosto...






Material:
Canas: Daiwa PrimeCaster II, Shimano SAT, Yuki Maseraty, Vega Hellion Surf Evolution, Vega Hellion 4,50 (2), Tubertini Twin Flex
Carretos: Shimano Power Aero Spin Power, Shimano Bulls Eye (2), Shimano Aero Technium XSB, Vega Brava, Shimano Super Ultegra XSA (2), Shimano Ultegra XSB
Linhas: Yuki Kenta, Team Cormoura, Vega Power Line 100% Fluorocarbono, AwaShima Missile, Sufix 100% Fluorcarbono, Cormoura Revolution...
Anzoís: Hayabusa Chinu, Hayabusa FKS, Sasame Chinu
Iscos: Ganso nacional, Casulo, Carangueijo


Guilherme, FilipePC, Soares, Joaonumberone

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

( Trolling ) O ultimo dia de férias do meu sogro..


     Boas Pessoal....




Infelizmente tudo tem um fim, neste caso as férias dos meus sogros. Mas felizmente esperamos por eles em breve para continuar a desfrutar da companhia deles..:-)

Vou então contar-vos como correu o ultimo dia de pesca....

Para variar, começamos ao trolling por volta das 8h30 da manhã, mar calmo, um pouco de sol e com a temperatura a dar os seus ares de verão...Hummm!!!!...já sinto falta..daquele calor asfixiante e das águas azuis....ao contrário do que temos agora, já faz mais de um mês. A água está vermelha, que mais parece sangue!!...a sério, e tudo por causa das algas que apodrecem e tingem a água de vermelho!!!.

Pelos vistos, todos os anos acontece o mesmo, sempre que estamos a meio do Inverno até chegar o verão, aparece esta concentração de centenas de kilometros de algas. Mas como se desfazem em micro partículas não atrapalham as amostras, mas por outro lado afastam os peixes de passagem, como os pungos!!!....para terem uma noção, este ano estou farto de ver chocos quase a morrer à tona de água, savelhas à tona de água doentes mas ainda vivas entre outros peixes!!!

Nunca vi isto na minha vida, talvez a concentração destas algas diminua o oxigénio sei lá!!!...o que sei é que não é normal...hahaha...mas quem sou eu para contrariar a natureza...:-) Enfim!!...voltemos à pesca mas é.

Já passava 3 horas e nada, nem um toque de pungo ou de outro peixe...Hummm!!!....acho que vamos mudar de sitio Sr. Zé....o que é que acha???.....ele também concordou, o que me levou recolher as amostras e ir à procura dos meros noutra zona...

Chegando à zona dos meros, vejo outro barco ao trolling que conheço e comunico para saber se tinham apanhado alguma coisa e também nada!!!.

Coloquei as amostras dentro de água e lá começamos em busca deles....hummm!!!!....e nada...dou a volta e faço outra passagem.......entretanto quando estava a chegar a onde comecei, vejo o outro barco a vir para cá até que pára!!!....olhe Sr. Zé....eles ferraram alguma coisa...estão parados...

Eu continuei na direcção deles e já sabia o que tinham ferrado...hahaha...naquele spot só podia ser duas coisas, pargo ou mero, mas como eles foram rápidos a tirar o peixe, só podia ser um mero...:-)

Entretanto eles voltaram a colocar as canas dentro de água e vinham na nossa direcção....passámos por eles e confirmei que era de facto um mero que tinham tirado.....nós continuámos e assim que passámos na zona onde eles tinham tirado o mero, vejo na sonda peixe, mas não levámos nenhum toque....isto é normal, pois na maioria das vezes, não basta passar pelo sitio mas sim, descobrir se eles atacam as rapalas de sul para norte ou vice versa. Isto tem uma razão de ser....e essa razão é a corrente, para que lado corre.

Eu não vou de modas, depois de passar, dou meia volta mas desta vez encosto-me mais a terra, para fazer quase uma perpendicular a terra. Isto também tem uma razão de ser, pois segundo a minha sonda, existe várias lajes e picos e torna-se mais fácil de dar com o peixe se passarmos em toda a extensão da entrada da lage que começa em terra e acaba mais fora com as amostras do que apenas passar numa pequena parte da lage.

Assim foi, enquanto eu começo a ver o outro barco a vir na nossa direcção, mas ainda longe eu começo a percorrer a lage e vejo peixe na sonda bem perto da entrada da lage e por cima da mesma...Hum!!!!!........e ...um dos carretos dispara....ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ...ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ..ZZZZZZZZZZ...já estás desgraçado, o meu sogro agarra logo na cana do peixe e com o barco em andamento, começo a recolher uma das canas que estava mais proxima e oiço outra cana a dobrar e outro carreto a disparar...ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ..z.zZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ...assim que vejo isto tento agarrar na cana, pois tinha abrandado a velocidade por breves segundos e tinha que puxar pelo peixe por causa das pedras, quando logo de seguida o peixe dá 3 arrancadas e parte o multi!!!....porra!!..mesmo com 15 quilos de drag no carreto não deu hipótese e mais uma amostra para o galheiro....grrrrr....mesmo com um leader de nylon com 3 metros!!

Entretanto o meu sogro já tinha o peixe dele controlado e fora da zona de perigo quando acabei de recolher as outras linhas da água.

Um lindo mero que conseguiu abrir dois anzóis de uma das fateixas...É realmente um peixe explosivo, e em zona de pedra se o drag não tiver pelo menos quase todo fechado, não perdoa...hahaha...das duas uma, comigo ou parte tudo ou salta fora da pedra. Pode parecer extremo, mas acreditem que não é, pois eu já fiz diversas experiências...hahaha..e não correram nada bem para o meu lado..:-) De outra forma, ou se tem muita sorte ou então é melhor ter um armazém de amostras em casa..:-)


É fácil de saber quando é que estamos livre de perigo quando ferramos um mero ao trolling, eu digo isto para quem nunca pescou nenhum ou seja. Assim que ele ataca a amostra a cana verga várias vezes em forma de cabeçadas e tentativas de se enfiar em algum buraco, caso não consiga, ao fim de um bocado a cana fica sempre em tensão, dobrada, que é ele de boca aberta a subir até à superfície. Isto acontece porque nunca se pode parar o barco até conseguirmos chegar a uma zona funda que impossibilite o mero de chegar ao fundo. Se ele chegar, cerca de 80% das vezes perdemos o peixe e principalmente a amostra.

O meu conselho para pargos lucianos e meros é: usar material que supere a força do drag do carreto e trancá-lo, nesse caso, a possibilidade que conseguir o peixe é muita, caso contrário é um desespero ao conseguir ferrar e perder logo a seguir....é uma perda de material e o que pode vir a ser um troféu....by...by...see ya...:-)

Ao spinning então nem vos conto...hahaha.. assim que o vinil mal toca no fundo já ele está com o vinil na boca e arrancar para o buraco antes que o vinil levante do fundo. Assim que a cana verga ou ele já está no buraco ou então está a entrar!!!...estou a falar numa questão de milésimo de segundo ok.

Eu no porto onde tenho o barco já perdi a conta aos vinis que perdi por causa deles e uma coisa é certa, o ataque é ultrasónico...é tão rápido que os nossos olhos mal conseguem acompanhar o movimento...surreal!!!

Bem, voltando à pesca....:-)

Arrumei o peixe dentro do porão e voltámos a passar por cima da mesma zona, mas nem sinal de vida!!!!...vamos continuar até lá ao fundo, que aquela zona é boa, dizia eu para o meu sogro..:-)

Fomos sempre a navegar mas só com duas amostras dentro de água, pois não valia apena ter as outras duas atrapalhar...:-)

Assim que chegámos perto da zona uma das canas verga toda, mas como o peixe não era grande, nem o drag disparou...hahaha...vá lá que calhou olhar para trás nessa altura..hehehe...simplesmente o peixe assim que atacou foi literalmente rebocado...hahaha...mas o mais giro é que segundos depois a outra cana verga toda e mais outro peixe...um double strike...hehehe.

Cada um com o seu peixe e nas calmas conseguimos colocar dentro do barco duas garoupas pequenas...:-) e logo na segunda volta, uma terceira, esta um pouco maior mas que como as outras não teve hipótese...:-)


Estava na altura de rumar a casa e apesar de não ter saído nenhum pungo para o meu sogro, o que interessa é que divertimos-nos bastante durante estes dias de pesca..:-)

Sei que é por pouco tempo que não vou ter a companhia dos meus sogros, mas já tenho saudades deles...:-) Até lá, vou ficando de olho nos peixes para quando eles voltarem..:-)


                             Um grande abraço e até breve

                                          Luís Malabar