Um espaço de partilha, criado por um grupo de amigos para a comunidade do mundo da pesca, onde o respeito pela natureza e legislação são um factor importante, e onde se procurará fomentar a paixão pela pesca desportiva.

sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

100!!!

Finalmente chegou o dia... Façam do dia um dia de festa... Ter 100 pessoas num evento é algo gratificante.








Obrigado pelas ajudas, sejam as que forem...
Na vida aprendi que não devemos exigir. Para se exigir aos outros é respeito, educação, o resto vem por acréscimo.
Todos os amigos, marcas, lojas, ou seja que tipo de entidade ajudaram e vão ajudar neste evento estão de parabéns.
Os que vêm fantasmas onde não existem, fazem mal. O evento é uma festa a pesca, uma dedicação a um desporto que eu e muitos amamos, uma forma de estar na pesca e na vida.
A VEGA porque gosto muito deles todos, muito obrigado, epa... apostem na pesca e tudo vai fluir bem..., a SILPRO através do Sílvio pessoa que prezo, muito obrigado pela consideração, a Ideal, obrigado pela ajuda, sabem bem que adoro o que faço, a Lojatudopesca, um abraço ao Mimoso por apostar nestas inciativas.
A todos os que gostam de pesca, aprendam a apoiar e não a pisar quem tanto ama o que faz, senão um dia não temos pesca lúdica livre. Estes projectos dão força e projecção a modalidade. Quando fizeram os vossos, estarei, como sempre estive feliz por os ver acontecer. Na vida só tenho duas certezas: O amor pela minha família e amigos, e pela minha modalidade. A esta modalidade que me abraçou certo dia, muito obrigado.
Sejam felizes.
Até já...


FilipePC

quarta-feira, 19 de Novembro de 2014

( Surfcasting) O GANG foi aos treinos e fui altamente encavado!!!

Boas,



Os dias que antecedem o convívio tem sido algo stressantes. O pensamento em oferecer algo minimamente decente a amigos, conhecidos, e novos compinchas têm me retirado o sossego. Se a tudo isto juntarmos uma ou outra situação negativa que tem ocorrido, resulta num sentimento de desgaste tremendo.
Talvez por ser uma pessoa muito simples, a quem lhe basta estar perto de amigos e pessoas que gostem do mar para estar bem, tudo o que foge a esse sentimento me causa algum transtorno. O receio de esperarem coisas que podem não resultar, deixa-me apreensivo.

Já fui ao longo dos anos a muitos eventos de pesca, e já vi de tudo se passar. Existem os que tudo está bem mesmo que nem tudo tenha corrido de feição, existem os parta quem tudo devia ter sido feito ao contrário, e depois existem os que gostaram, mas a coisa não foi o que "sonharam"... Pois bem, como tudo na vida o pior que se pode fazer é estar onde não nos sentimos bem, e sinceramente só isso me tem preocupado. Que as pessoas se sintam bem. Não vou eu, nem os meus colegas agradar a todos, é impossível, provavelmente podíamos ainda ter feito mais, mas centrem-se no mais importante... Existe algo, seja lá o que for, que liga todos, e isso é a pesca, é a vontade de falar de pesca, de olhar para o material da malta, de contar histórias, relatos, momentos... E nisso, uns mais outros menos, todos temos algo para transmitir ao próximo... Muito ignoram o óbvio, e quase todas as pessoas têm algo, por mínimo que seja, que de certeza nos vai ser útil na pesca e quiçá na vida.

Por isso lembro-me muito de dois convívios que vivi no sitio do pescador, um, que me marcou para a vida, onde estive com alguns dos melhores amigos e onde foi entregue a cana ao filho do Joaonumberone. Nunca enquanto for vivo me vou esquecer daquele momento. Foi emocionante, garanto-vos que foi. O elã criado, a surpresa do momento, arrepiou quase todos os presentes...
Foi o melhor onde estive na vida...
Sim, agora vou falar-vos do que correu pior, não... Não por não ter gostado... Já explico e já vão entender o paralelismo, o que pretendo transmitir... O primeiro evento que fui lá da Mariscada na Figueira, epa... Estava ansioso... doente para conhecer pessoas, para ver o material... até dormi mal... O dia, que me recordo ainda, foi dos piores dias de clima dos últimos anos, alerta laranja e vermelho, ventos ciclónicos, chuva torrencial... As canas que levei para a pesca não valeram de nada, ainda montei e fiz um lançamento mas não estava fácil... A chuva caía copiosamente e tivemos que nos resguardar, e passámos a manhã debaixo de uma espécie de tenda lá num parque da zona... Não pesquei, não vi o material... Não se fez nada. E fez-se tudo!!!

Almoçámos como é tradicional e depois de almoço viemos para casa devagar que a estrada estava muito perigosa... Pelo caminho vinha a pensar em todos os que conheci, nas histórias que trocámos, no somente poder estar lá... E percebi logo ali que onde me inseria era nesse tipo de ambiente... Não me importou nada mais do que estar ao pé de pessoas com quem tanto falei durante meses a fio... E olhem que do ponto de vista prático foi o convívio mais complicado onde estive e onde as condições eram piores. Mas para mim nada disso importou... Um convívio por muito que possa ter muitas fases e elas o tornarem mais aliciante, é tão só o momento em que a ficção se torna realidade, onde as teclas se trocam por um aperto de mão ou um sorriso, onde finalmente podemos esquecer esta actualidade tão virtual, e fazer aquilo que eu tanto gosto... Falar de pesca e pescar... Junto aos amigos.

Passados alguns anos, já não sinto minimamente preocupação por mim, ou pelos meus desejos, mas pelos dos outros sim... Espero que todos o entendam... Tudo o que vier a mais do que estarmos umas horas juntos, vem por acréscimo...

Esta tão desgastante preocupação levou me a dizer ao Guilherme que conseguia ir a pesca e que queria ir la abaixo... Ele falou com o Egas e o Becas do GANG e claro eles lá vieram...

Podem crer que embora me faça perder umas horas, acaba por ser quase sempre fácil escrever um relato com esta malta... Temos sempre qualquer coisa para contar... Incrível. As coisas quando fluem, quando acontecem naturalmente tornam-se mais belas e passam-se de uma forma mais natural. E é tanta cromisse que até dá vontade mesmo de escrever e contar como se passou tudo....

Vamos então a isto???

Comecemos pelo atraso de 40 minutos que o Egas nos trouxe... Logo de seguida, fomos direito a entrada da autoestrada e!!! Estava a falar com o o Guilherme e de repente quando o vejo virar a direita, ainda tentei reagir mas foi tarde... O gajo vira-me para Almada/Lisboa, quando era para ir para SUL... Vai de perder mais um grande bocado de tempo... Só visto... Não há uma vez que a gente não se perca, ou não entre na estrada do lado... Tirando isto a viagem correu bem, o João mantém sempre a mesma performance e a 80km/h na autoestrada até as vacas e cavalos que víamos pelo caminho nos passavam na boa. Uma até deitou a língua de fora a gozar... Ultrapassou-nos.

Bem, chegados lá o costume... Ver a praia em melhores condições... Algum limo na areia e tinha já dito para mim que assim... Não ficava... E fomos logo a outra, mas desta a minha intuição funcionou e já esperava estar pior, mas a ideia do Guilherme era essa e deixei estar pois podia estar enganado... Mas juntar um mais um dá dois... E se mais para Norte estava pior... Mais para Sul, estaria melhor.

E assim foi... Lá fomos mais a para baixo onde conseguimos encontrar uma com boas condições de mar e sem limo.

Chegados lá abaixo e depois de eu me espalhar pelo caminho... Foi escolher o local, sendo que a direita vimos um bom fundão e apostámos nele. O João e o Soares ficaram numa zona mais rasa...

Julgo que este relato prova bem que nem tudo o que parece é... Apesar do meu cansaço mental e da pouca frescura física que ando a denotar, julguei ao chegar que ia dar cartas...

Em minutos tinha as canas montadas... Mas o certo é que o cansaço mental interfere na nossa performance e no físico... Não utilizei a táctica do costume e pesquei sem testar os dois anzóis de estralho... E mudei pouco as montagens nunca procurando a Sorte... Ela existe...Mas também tem que ser procurada...

A noite caiu e actividade que de dia foi zero, lá deu um ligeiro ar da sua graça...  As notícias que nos chegavam era que o João e o Soares já tinham desgradado, um robalo e um sargo... Nós os dois... a zero...


Lá fui encher o bandulho que estava esfomeado... Bebi o café da ordem... E lá fui iscar as canas... Logo de seguida vejo a cana a dar umas pancadas leves e fui lá ver... Pimba... Um sargo, nenhum monstro, mas já interessante... Desgradado estava... Agora era tentar algo bom...

E logo de seguida a cana do Guilherme da ponta, a que estava já fora do fundão bate e ele lá foi ver... Ao longe vi que era um bom peixe... E ao chegar ao pé de mim com o peixe atrás das costas vi logo que o gozão se tinha safo... Uma linda dourada... Bom peixe já cá morava... Que alegria.

Claro que motivámos e fomos a procura de mais e melhor... Mesmo sem aquela pica a verdade é que durante ali umas duas horas palmilhei kilometros sempre sme parar, tentei ao menos ir trocando as iscadas e alterando os estralhos em mau estado... Não mais que isso, mas ao menos isso fiz.

Ao longe lá vimos eles a virem ter connosco para um café e... Lá nos dizem que a coisa estava a correr bem... Já tinha 4 um e 3 peixes outro... Bem ao menos alguém com actividade... Café bebido... e novamente fomos direito as canas... E novamente cana da ponta leva uma mocada... Ao chegar perto vejo o Guilherme a trabalhar a cana e... um bom robalo... Lindo peixe... O Guilherme nem lhe cabia uma palhinha... Uma dourada e um robalo de bom tamanho... E eu lá fui tirar a minha cana da ponta e vejo o Soares a tirar mais outro... E de seguida outro... E o João outro... Que tareia...



Bem eu continuei a palmilhar metros, quilómetros pelas areias mas sem sucesso... E sem energia mental para continuar... soube me bem sim... Estava a precisar, e estava com alguns dos melhores amigos que tenho, mas a minha mente não me deixava dar mais e em parte a sorte também não me parecia querer nada comigo. Só pensava se não tinha direito a um dos peixes da típica Costa Alentejana, peixes que me apaixonam, zona que me apaixona... Enfim... Há que perceber que não pode ser sempre... O fundão areava tudo, enrolava os estralhos... Tanto a minha cana do fundão como a do Guilherme gradavam e gradaram mesmo... Uma desilusão... Quem diria que aquele buraco com alguns 5 ou 6 metros nada dava... Para piorar uma embarcação pequena andava aos cercos ali a uns 200 metros da costa... Ao nosso lado eu cada vez que olhava lá estava o Soares e o João a tirar peixe...

Era hora de comer mais qualquer coisa, e beber mais um café e tentar aguentar mais uma hora ou duas... A maré estava perto da viragem e aí foi finalmente o boom de peixe... Não tanto para o nosso lado, mas saíram bons sargos...

Ao longe lá vi a minha canita a bater, desta cacetadas maiores e lá dei uma corrida... Cana na mão, peixe de algum porte, cabeçadas boas... Ferragem só para confirmar e na escoa a luta do costume a fazer-me andar uns metros pela praia... Peixe a seco um lindo sargo, um típico sargo da Costa Alentejana... Finalmente.
De seguida vejo o Soares a tirar uma baila e o João outra... O Guilherme lá foi novamente a cana da ponta e tira um grande sargo, ao longe vi logo que era um dentolas daqueles... Que bom peixe... Ele estava em grande 3 peixes lindos... Uma pesca que valoriza um pescador lúdico. Poucos mas bons...
 Ao nosso lado eu lá os ia vendo tirar mais sargos, bailas e alguns robalos, as lanternas deles pareciam carros na auto estrada... E eu sentado assistia aquilo... Altamente encavado!!!


E lá ia comentando com o Guilherme que só faltava uma coisa!!! A nossa amiga raposinha... E estava eu a comentar isto e vejo-os a correrem para trás e para a frente... Lol... O Guilherme disse logo... Olha lá está ela... A sacana assim que lhe cheira a peixe fresco... E lá nos complicou a vidinha... Passei o tempo todo a olhar para o acampamento...

E a gaja não venceu a guerra, mas ainda ganhou pontos... Lixou a mala ao Soares e nós para a acalmar lá lhe demos um pexinho fresco... O Guilherme pôs o peixe em cima de uma cana perto de nós, e eu nem dei por isso... Ela foi lá, levou-o e desapareceu.

Eles lá voltaram... E o Soares Só dizia... " Filipe a gente ali é sempre a dar ao Serrote..."... E o peixe continuou a sair a grande ritmo... Num ápice a lata encheu... Brutal.

Não fosse o cansaço, a viagem e ter que ir trabalhar, e tínhamos ficado para ver o nascer do sol e claro, como ainda faltavam 4 horas para o amanhacer a coisa ainda mais composta tinha ficado. Mas enquanto se arrumava umas... Mais uns peixes... Sargos e bailas... A malta estava feliz. Era hora de arrumar e rumar a casa, ainda tentámos tirar umas fotos de jeito mas a humidade não deixou e desistimos. Tenho pena pois era digno de se ver a zona deles os dois...

 O chão já tinha mais peixe que areia... Pena a péssima foto... cortada e sem qualidade... Muito peixe...



O treino correu bem, ficámos felizes com a noite, em poder fazer uns lançamentos... Em aproveitar aquele ar... O Gang foi curtir mais uma noite, e dar uma vista de olhos pelas praias...

Esperamos no mínimo que e breve seja igual...Já não era mau...

Ah... Quando julgavam que nada mais havia para contar... Bem ao sair da praia, devido a chuva que tem caído meti me por uma zona inclinada e vim a caír e rebolei de material as costas... Fiquei preso entre a ravina... Era tudo a gozar... Até eu me fiquei a rir da minha parvoíce... Eu senti que ia caír, mas não tinha forças e fui indo e indo... e indo... lol. Bem... Fica mais uns momentos bem passados, e isso é que interessa....

Até já...


Nem uma palhinha lhe cabe...






Material:
Canas:  Vega Supercore, Vega Hellion(3), Barros XT, Barros XK, Daiwa Prime Caster, Daiwa Sky Caster, Daiwa Sky Caster Hybrid
Carretos: Shimano Bull´s eye ( 4 ), Shimano Aero Technium, Shimano Ultegra xsb ( 2 ), Shimano Super Ultegra ( 2 )
Linhas: Cinnetic Sky Line, Yuki Kenta, Vega Power Line Fluorocarbono, Sufix 100% Fluorocarbono, Amnesia.
Anzóis: Sasame Super X, Hayabusa Chinu, Hayabusa FKS ( FUKASE)
Iscos: Casulo, Bicha Branca, Lingueirão, Ameijoa Branca, Americana, Caranguejo 2 cascos, Salsicha, Titas



FilipePC, Guilherme, Joaonumberone, Soares

terça-feira, 18 de Novembro de 2014