Os nossos amigos

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Pontes entre nós


Nem sempre é possível, arranjar grandes palavras para descrever o que nos vai na alma…
Hoje e porque é um dia de sabor agridoce para ospescas, fica a ideia mais simples que podemos passar…
A pior fotografia que um país pode mostrar ao mundo, é aquela em que se vê os seus ativos partirem…
O retrato do país é este! Não é nada fácil dizer adeus, não é nada fácil acreditar que o preço a pagar vale a pena… E é tão cruel ver que quem o faz, raramente é porque procura aventuras, mas sim porque necessita de sentir que noutro local poderão quiçá dar tudo aquilo que um dia quiseram dar a quem não o quis aceitar…
Um país caído aos pés de uma classe política ao nível de um clube do distrital, vê dia após dia, os seus frutos a caírem da árvore, a serem obrigados a procurar uma vida que neste país parece cada vez mais, ser uma miragem…
Como ele, muitos outros vimos ultimamente partir, e com ele, um pouco de nós irá…
Um dos grandes pescadores com quem tivemos prazer de pescar vai abandonar este país em busca de uma vida melhor, na incerteza do amanhã, entendemos que procures no hoje a reviravolta que por vezes é necessário dar num jogo, e sendo este jogo a tua própria vida, estamos, sempre estivemos, e estaremos contigo, na certeza de que num amanhã muito breve, nos tornaremos a reencontrar.
Uma coisa todos sabemos, aquilo que um dia nos fez criar o blogue OSPESCAS, será aquilo que nos vai manter juntos. O que um dia nos fez cruzar os destinos, será o que te ligará diariamente ao que aqui deixas.  Este desporto criou “pontes entre nós”.
Em cada lançamento, em cada volta que deres nos teus Stellas, nuca te esqueças do que te faz sorrir, e nos momentos difíceis, na nostalgia das noites procura sempre aquela brisa que aqui sempre sentiste.
Por muito que nos custe, e por muito que não te saibamos responder se o preço a pagar é caro demais… Estamos ao teu lado, e felizes por ti.
Em breve, estaremos todos juntos de novo, até lá, vai e se feliz!

Este é o nosso obrigado pelos “momentos” que nos proporcionas-te, e que sabemos, que continuarás a proporcionar, agora noutros mares.
Senhores e Senhoras, meninos e meninas, cães, gatos, coelhos e periquitos, temos o prazer de apresentar… Tchan tchan tchan tchan

Luís Ramos “Malabar”


video

Os Pescas

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Alpha VS Shimano + penetra...

Por um deste dias decidimos juntar um grupo de malta fixe para fazer uma investida a um quintal que nos têm proporcionado umas belas surpresas.

Lá arranjámos um grupo de cinco corajosos para sair de casa de madrugada e ir apanhar com este "calor nórdico" que se tem feito sentir aqui para estas bandas pois as condições climatéricas eram péssimas mas as condições marítimas que se apresentavam eram bastante boas para conseguirmos apanhar uns labrax´s, pensávamos nós...

Bom, á hora combinada lá nos encontrámos para rumar  ao pesqueiro, no caminho ( como faz parte da praxe ) a ultima paragem para o cafézinho da ordem e para falar das "estratégias" a usar durante a pescaria !!

Chegados ao pesqueiro, o frio que se fazia sentir era de cortar a respiração, as mãos ficavam dormentes só  de ter o cigarro na mão, era demais!!! Realmente só quem gosta muito da pesca é que sai de casa para estas maluquices, mas como diz o velho ditado..." quem corre por gosto, não cansa "... e sem duvida que é uma grande verdade, pois só a enorme paixão que tenho por esta modalidade é que me faz ir para junto do mar com condições tão adversas....

Mas voltando á pescaria...

Lá nos equipámos a muito custo  e eu em tom de brincadeira lancei para o ar que desta vez iríamos fazer   uma pesca por equipas, e passo a explicar.... como eu e o grande amigo Pedro ( China ) temos como vara de pesca uma Alpha Tackle Marauder ( diga-se uma excelente vara, com um  único defeito que é a fraca durabilidade dos passadores ) constituíamos uma dupla, a outra dupla "rival" seria o amigo Santos e o meu amigo e companheiro de faina o grande Filipe João com as suas varas ( digam-se brutais ) Shimano Lesath Ax Power  Game e como "penetra" e "arbitro" o nosso grande amigo Miguel Candeias.

Claro que isto não passava de uma brincadeira pois a boa disposição e o companheirismo que se sente durante as nossas pescarias é tudo menos rivalidade, mas ás vezes estas " palhaçadas" fazem bem e dão outro animo á "coisa" ...

o nosso quintal...
Iniciámos a faina já o dia clareava, sempre perto uns dos outros lá fomos batendo todos os agueiros, fundões e cabeços, passávamos tudo a pente fino, cada um com a sua "matadora" e com o feeling que a qualquer momento a "coisa" se poderia dar...

E deu-se... estava eu ao lado do China, quando ele se virou para mim e me pergunta que amostra devia usar , eu com algum conhecimento que vou tendo do pesqueiro sugeri que coloca-se uma amostra nos tons de verde e ele assim fez, a maxrap iria ter a sua estreia e que estreia...

Amostra dentro de água e zás..........drag do carreto a cantar, era sinal de peixe na outra ponta da linha, que fixe!!! Era o 1º peixe da manha, uma bela baila de 1.200 que o China  tinha presa na sua amostra, que bela estreia tinha esta maxrap, um belo exemplar da sua espécie como diria um grande amigo nosso....

belo exemplar...

o grande China...

Claro que isto veio entusiasmar o resto do grupo e fez com que o animo voltasse , mas uma coisa tinha que ser dita ... a equipa Alpha estava na frente!!! lololol

Logo de seguida mais uma estreia (  esta com outro sabor ) o Miguel que se iniciou nesta modalidade á relativamente pouco tempo tinha na sua cana aquilo que poderia ser a sua 1ª captura ao spinning, como é óbvio a adrenalina disparou e a ânsia de concretizar algo que era tão esperado estava em altas, era sem duvida um momento bonito de se ver, pois pôde sentir tudo aquilo que á já algum tempo vinha a ouvir das nossas aventuras.Tudo correu bem, ele teve a calma necessária e conseguiu por a seco o seu 1º labrax ao spinning, os meus parabéns por teres desgradado e agora é insistir ainda mais pois a qualquer altura podes apanhar o peixe de uma vida.

um sorriso vale mais do que 1000 palavras, parabéns  Miguel...

Bom nesta altura o resultado era Alpha 1, Penetra 1 e Shimano 0....

Ainda insistimos durante mais um tempo mas o sol já estava a pique e neste pesqueiro é sem duvida um "inimigo" muito grande, já não valia a pena continuar até porque  ainda tínhamos uma longa caminhada até ao carro...  

Lá viemos o caminho todo na conversa, a "moer" a cabeça ao team "Shimano" e a combinar desde logo a próxima investida, pois parar é morrer e em casa não se apanha peixe....

Foi sem duvida um inicio de dia bastante frio, mas muito divertido e sempre com boa disposição pois são estes momentos que nos dão forças para enfrentar as dificuldades que existem no nosso quotidiano.

Um abraço para todos e até á próxima...

Pedro PJPescador


sábado, 23 de fevereiro de 2013

Em jeito de recordação...

Pois é amigos, vamos dar inicio a mais uma categoria no nosso blog, desta vez é "a nossa videoteca " , será uma série de vídeos que ao longo dos tempos temos captado por essas idas á pesca, são momentos que achámos interessantes guardar para mais tarde recordar  e que agora queremos partilhar com todos vocês.

Nada melhor do que começar com algo que dificilmente muitas pessoas conseguem ter o prazer de presenciar, mas não vamos revelar mais pois as imagens falaram por si.

Aproveitamos também este video para recordar mais uma vez um grande amigo que partiu mas que estará para sempre nos nossos corações...

Fica aqui em tua memória, um grande abraço para ti amigo TELMO... 



Golfinhos na Vereda from Os Pescas on Vimeo.


Os Pescas

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Os tarolos não param! Que ano

Boas,

Regresso às lides náuticas embarcadas após umas semanas de interregno... Dia difícil, muito difícil...

Após o regresso de férias o Palma estava cheio de vontade de regressar ao mar, e eu também...
Mas o Windguru dava condições adversas e não tenho boas experiências em dias de mar barrento aqui no Tejo. Sabia antemão que as probabilidades eram ínfimas, mas na realidade quem lá não vai é que nada apanha! O Palma, apesar de eu não estar nada virado para ir, disse-me que ele ia, e eu respondi logo: " Então eu também vou!"

E assim foi, eram cerca das 6 da manhã quando começamos a preparar as canas, e aguardamos por ter alguma luz... Assim que os primeiros sinais dela apareceram, saímos para o mar e procurámos a nossa sorte.

Cada qual com uma cana, a pescar a distâncias distintas, e com cores de amostras também diferentes à procura de alguma coisa interessante... Primeiras volta e nada... Ele manteve a amostra, e eu como é costume nestas pescas vou fazendo de sonda, e troca mais frequentemente. A estratégia era simples, um mantinha a amostra que mais peixe tem dado, o outro, visto que o dia não nos dava nada, ia procurando alguma tonalidade que pudesse pegar...

Na realidade, a meu ver tudo estava contra. Mar muito sujo, maré ao contrário do que queríamos e a fé era pouca da minha parte, mas estava a correr bem, ao menos os 40 kms hora que davam, não era reais e dava para navegar...

Perto das 10 horas, fomos beber um cafézinho, que maravilha que me soube. E que bem estava a saber a grade!

Tornámos ao mar, e momentos depois vemos uma lancha a altas velocidades a aproximar-se, e sim era a PM.
Quero enaltecer uma coisa: Toda a postura que tiveram. É assim mesmo. Sou a favor de existir algum controle, e quando a Polícia seja ela qual for, se mostrar cumpridora, sem ser embirrenta, julgo que é isso que se pretende e deve ser feito.
Guardei uma pergunta que fizeram, neste caso a senhora PM " O que é que leva dois tipos a se levantarem a um Domingo com este frio para andar aqui???"... Nós sorrimos... E claro explicamos a cena do vício, da loucura pela pesca, do amor que por este desporto sentimos... Uns correm, outros jogam às cartas, outros emboracam-se nos cafés... Nós pescamos!lololol.

Bem, tudo em dia, tudo certinho, e cada qual seguiu o seu caminho...

Mais uma voltinha e resolvi experimentar a minha nova aquisição, uma deep Tail pequenina... Volta para aqui, volta para ali, mas nada, nada, nada!...
A maré essa estava perto da baixa mar, e o vento acalmou bastante chegando a ficar praticamente nulo...



O frio que se fazia sentir é que estava cada vez mais desagradável... Mais uma voltinha e perto da zona B( digamos que já escolhemos as zonas e as marcamos com alguma certeza)...  finalmente se fez luz! Uma cacetada enorme, seguida de outra e a cana do Palma ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ, e o peixe, deu um pequeno segundo e torna a ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ, ele manteve-se calmo, eu saltei para o leme, parei o barco, controlei a embarcação e dei-lhe uma ajuda ao ir ter com ele, muito devagar... O peixe após loucas arrancadas, cedeu.

Ao longe o Palma diz tê-lo visto e começou a recuperar. Sem espinhas. Peixe perto do barco, agarrei no xalavar e sem hesitar, consegui pô-lo a seco. Que grande alegria, finalmente num dia em que as condições eram claramente adversas lá se capturou alguma coisa.

Ficámos cheios de motivação e rapidamente nos posicionamos no mesmo local à espera de mais capturas de grande calibre. Mais uma voltinha tentando passar pelo mesmo sítio à mesma velocidade, mas desta nada... Toca de voltar... Mais uma voltinha e nada, e outra e nada, e outra, e outra, e outra... e nada.

Bem estava na hora de parar para comer, e ir beber outro café antes de regressar para a última hora antes do anoitecer.

Passado o momento ZEN, ali num café à beira-mar, estava na hora de regressar para os últimos momentos do dia, mas na realidade, nem nós nem nenhuma das embarcações que por ali passaram tiveram sucesso, e aquele fim de tarde tão prometedor nem um peixe nos deu, e tivemos já ao cair da noite de regressar após um dia algo estafante, mas em que ficou mais um grande peixe na marca. Um ano em que os tarolos não param de aparecer, em que os grandes peixes têm colaborado e permitido momentos magníficos a todos nós.



Em breve regressamos ao local do crime, em breve... em breve!

Material:
Canas: Shimano Biomaster Spin; Shimano Beastmaster Kabura
Carretos: Shimano Biomaster FB 4000; Banax Mighty 2000
Linhas: Power Pro 8 Slick; Sufix 832; Chicotes asso fluorocasting 0,45mm
Amostras: Cormoura Deep Trembling; Vega Big Fish; Rapala x-rap; Yo-zuri Crystal Minnow; Rapala Deep Tail

Filipepc e Ricardo Palma

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

( Spinning ) Pesca entre amigos......




      Boas pessoal.....:-)


  Desta vez, conseguimos juntar um grupo de amigos para ir até à praia fazer uma pesca em busca dos nossos amigos...Robalos..:-).
   Assim foi, combinámos no dia anterior, encontrarmo-nos todos na bomba de gasolina da galp, no caminho para Sesimbra às 6h30 da manhã, Eu o PedroPJ, o Filipe pai e o Grande Miguel...:-) os quatro mosqueteiros de serviço..lol.
   Era 6h30 quando tomámos o cafézinho da manhã e como não podia deixar de ser, fomos todos na cavaqueira e a rir até ao pesqueiro, eu no meu carro com o Miguel e o PedroPJ com o Filipe pai no carro do Pedro..:-).
   Pois bem, chegando ao pesqueiro, reparei que não era bem este em mente que eu tinha, mas tudo bem por mim, pois eu até fui só pela cavaqueira e para poder estar com os meus amigos, peixe esse ficava para segundo plano..:-)
   O mar esse, estava um pouco maior do que eu imaginava, e para pior dos cenários, estava a rebentar de uma forma que não nos deixava chegar perto, para lançar por detrás da vaga, isto em praia aberta, pois na zona de pedra e areia, o fundão era notório e por causa dos caneiros de pedra, possibilitava pescar de uma forma correcta e segura, aumentando as chances de sucesso..:-)
    Assim que começamos a descer, verificámos que já se encontravam alguns pescadores a spinnar, mas pelos visto sem sucesso nenhum.
    distribuimo-nos e começamos pela zona de areia e pedra.....lançámos...lançámos e nada...o tempo foi passando e com ele fomos avançando pela praia até um certo ponto que não valia apena continuar mais para a frente, pois o mar era forte e a praia estava rasa, sem nenhum fundão à vista.
    Bem, nisto já devia ser quase 8h50, quando decidimos voltar para trás, eu porque tinha que me ir embora ter com a mulher, e o resto do pessoal, optou por mudar de praia.
    Assim foi, começamos a fazer o caminho de volta e reparámos que já só havia dois pescadores ao fundo e um outro senhor à boia de água às bailas anãs...:-)
     durante a volta de retorno, íamos contando aventuras e ideias mirabulàsticas uns aos outros..lol...até que eu fiquei um pouco para trás, pois a maré já ia com uma hora e meia da enchente se não estou em erro, e o sol, finalmente se abria sobre a água.
     De facto a vontade era pouca ou nenhuma de lançar a amostra naqueles caneiros, mas lá que tinham bom aspecto, tinham...lol...bem....carrega o cartucho e lá vai a bala...lol...fiz dois a três lançamentos e nada....!!!!...vamos ao segundo caneiro....nisto o resto do pessoal continuou e nem deu conta que eu tinha ficado para trás..lol.....segundo caneiro e bala lá para dentro......recuperação rápida até à escoa e paragem sobre ela, deixando-a trabalhar a pairar sobre a àgua...........foi quase instantanêo...lol.....ferragem e cana vergada...já estás... e nisto assobio ao resto do pessoal...eles olham para trás e em passo acelerado vêm ter comigo meio incrédulos...lol..pois a esperança por parte de todos era quase nenhuma..:-)
     Voltando ao peixe...posso dizer que o azar dele foi eu não lhe dar espaço para se virar ao mar, e a levar com as ondas..foi uma questão de segundos até ficar em seco...:-)
      Lá agarrei no peixe e fui guardá-lo mais acima, para continuar a pescar...podia ser que andasse lá outro..lol..nunca se sabe..o mesmo pensou o resto da malta..hehehe..vai de lançar na esperança de agarrar outro.lol...mas nada...este era filho unico...:-).
     Estava na altura das fotos da praxe com o pessoal, pois eu tinha que me ir embora para ir ter com a mulher..já sabem como é..lol
     O resto da malta ainda ficou por lá, mas infelizmente sem sucesso...fica para a proxima..:-)
     È isto meus amigos...para mim o melhor de tudo foi ter passado umas 3 horitas com os meus amigos, é sempre uma alegria..:-)
     Espero que gostem companheiros e agora como não podia deixar de ser................AS FOTOS....:-)


                O grande Filipe  Pai..:-)..sempre incansável na sua amizade e boa disposição



O meu grande amigo Miguel..:-)..um ser humano fantástico


                   Os Pescas pelos areais da nossa costa......


                            Filho unico com 4 kl e 100......


Um grande abraço e vivam a vida amigos....até breve:-)

Luis Malabar

domingo, 17 de fevereiro de 2013

XI Mora Pesca - Programas de actividades



A Câmara Municipal de Mora leva a efeito, de 22 a 24 de Fevereiro, a XI edição da MoraPesca – certame que apresenta anualmente as mais recentes tecnologias e artigos ligados à pesca desportiva.

Tendo como palco o Pavilhão Municipal de Exposições do Parque de Feiras local, a XI edição apresenta mais de 30 empresas do sector e respectivas tecnologias ligadas àquele desporto, num total de mais de 30 expositores e 106 stands que ocupam 3.500 metros quadrados de área coberta.

O programa oficial inclui provas de pesca nas pistas de Cabeção e de Mora, concursos no recinto da feira, animação musical e, claro, as tasquinhas de comes e bebes.
A MoraPesca é assim a oportunidade para os pescadores, e não só, rumarem ao concelho mais a noroeste do Alentejo e provar uma gastronomia ímpar, visitar o Fluviuário de Mora e passear pelo parque do Gameiro, palmilhando o passeio fluvial que bordeja o rio Raia.

São esperadas cerca de 30 mil pessoas


Programa do certame
2013



Ospescas


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Um robalo gingão...

Boas,

Por vezes fico a matutar enquanto olho para o material, no que pode de repente me dar uns bons peixes, ou simplesmente umas capturas para me entreter...

Talvez por isso goste de experimentar...

O mundo dos artificiais é um mundo a explorar, vê-se diariamente novas invenções pela net fora...

Ultimamente tenho tentado trocar uns corpos com uns cabeçotes, a ver o que isto dá... Acima de tudo tento garantir uma performance de lançamento boa, com o menor tamanho possível.

Estava uma dia frio, e bastante tapado... A ideia era muito simples... Ir a jogo, com as cores mais berrantes, e de preferência baças, de forma a aproveitar escuridão...
Assim que cheguei para uma rapidinha apercebi-me que as águas estavam muito tapadas e isso era para o leque que eu tinha levado, optimo...

Comecei com os laranja, sempre a lançar para o local mais fundo... Lançamento para trás, para a frente... e nada...

Estava na altura de começar a usar as amarelas... Isto hoje em dia é como os putos a escolherem rebuçados... Somos umas crianças autênticas... Toca a continuar, e desta tentar uma das poucas cores que só tenho uma unidade e na qual não deposito qualquer esperança... Uma lilás...

Resolvo ir para uma zona visivelmente mais baixa à procura de algum robalo que andasse em baixios a roçar a sua barriguinha...

Fiz uma série de lances com amostras mais pesadas, mas nada... Estava na altura de regressar ao plano A.
Qual é? O de sempre pessoal. Usar a amostra em que mais acreditamos... Aquela que já nos deu mais peixe, a que não nos deixa ficar mal, e mesmo em dias em que tudo nos diz que não é o dia dela, é ela que nos safa...

Lembro-me do meu avô me contar frequentemente a história do cão preferido dele. O dartacão... Ele diz que além de ter sido o melhor cão de caça nos 70 anos que ele caçou até hoje... era o cão que mesmo nos dias impossíveis, naqueles em que não se via nenhum coelho, lhe descobria a salvação para a grade. Era o tal! Era especial.



Cada vez que olho para um jerkbait que tenho, um vinil, e uma afundante, entendo isso... É que quando a coisa está preta... É em quem mais confiamos que depositamos a nossa total confiança... E mais vez... bem!

Ao 2º lançamento com o meu preferido, e desta estava bem atento e a espera de algo, eis que a menivela para... E desta não fiquei à toa... Sorri! Já sabia bem o que vinha... ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ, e eis que corridas seguidas e diferentes do habitual, com muitos zigue zagues, e até perto de mim de umas cabeçadas vigorosas... este labrax deu bastante luta, próprio da força da idade em que se apresenta... Já aos pés, abri o drag, afrouxei a linha e segurei o meu troféu. Mais uma jantarada que vou ter em breve!

Talvez empolgado, tornei a lançar cheio de gana, mas nada... nem um toque mais eu tive.
Arrumei a tralha e... Sabem que mais?... Na,,, não fui para casa, lol. Fui "cuscar" uma zona ali perto para em breve lá ir e fazer umas pescas, e fui beber um cafézito no caminho. Depois sim, casa, banho e cama...

Até breve,

Cana: Sakura Shinjin 3 mt.
Carreto: Shimano Twin Power 5000 FB
Amostras: Lucky craft, Savage, Saltiga, Maria Angel Kiss, Storm, Jackson e Yo-zuri

Filipepc

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Baía do Seixal - Equipamentos ao serviço dos Nautas




Equipamentos ao dispor de quem quiser visitar esta Baía, seja para simples lazer ou pesca desportiva embarcada.


Faz algum tempo que tinha-mos publicado uma noticia sobre a reestruturação e recuperação de equipamentos já existentes bem como colocação de novos para melhor poder receber quem pretende visitar o Seixal pela água. Falamos do Cais de Pedra (Rampa), local onde o município do Seixal fez um investimento de melhorar as condições existentes bem como criar melhores condições de acostagem, mais metros de caís, aos 23 existentes foi adicionado para oeste 40 metros de cais com possibilidade de acostagem de ambos os lados.










Sendo uma terra de pescadores, esta parece a forma encontrada para apoiar, e não deixar desaparecer, uma arte tão antiga. Para melhorar esta actividade foram colocados mais 40 metros de caís, também com possibilidade de acostagem dos dois lados. No mesmo cais pernoitam as 2 das 3 embarcações tradicional pertencentes ao Município do Seixal, embarcações estas que tem um grande valor histórico e cultural.











Foi construído um fundeadouro  com capacidade de amarração para 43 embarcações entre os 6 e os 15 metros. Desta forma é possível manter a sua embarcação na Baía, usufruindo do serviço de marinheiro (vai e vem) que permite levar e trazer os nautas das suas embarcações até ao caís. O fundeadouro municipal também pode ser utilizado para estadias de curta duração, ou no caso de o caís estar lotado ou se for da preferência do nauta ficar ao largo.



Também foi recuperada toda a ponte caís, estrutura e pavimento bem como substituídos os cabeços e argolas de amarração. Para sinalização nocturna, foram colocados pequenos holofotes de forma a tornar visível a ponte caís sem encadear quem queira acostar pela noite. A grua existente no local, com capacidade para 3,200 kg, foi reparada e dentro em breve poderá ser utilizada. Nos topos da Ponte existem escadas de acesso à água e ainda tem instalada uma rampa de alagem para embarcações desportivas. O acesso aos caís é feito através de uma porta de abertura magnética, que pode ser feita por marcação de código diário ou por cartão magnético para estadias de maior duração.











   



















Rampa de Alagem

Neste equipamento, ainda pode encontrar os seguintes serviços: 


Bomba Pump out - Bomba que suga as águas negras do interior das embarcações e encaminha para a rede de esgotos.

 Depósito de óleos usados - Um pequeno investimento que pode ter bons efeitos para continuar a melhorar a qualidade ambiental. Este ponto de recolha, com a colaboração de todos, pode evitar que sejam deixados vários  litros de óleo tanto na água como nas margens.


 Plataforma flutuante - Serve de apoio nas mais diversas situações, na manutenção do caís, apoio aos desportistas de canoagem entre outros e devido ao fácil transporte, pode ser deslocado para dar apoio ás diversas actividades que possam vir a acontecer no plano de água da nossa Baía.




 6 pimenteiros com 3 funções - Fornecimento de águas num total de 12 torneiras, Luz eléctrica em 4 tomadas por pimenteiro e fornecimento de luz nocturna para que se possa caminhar no caís em segurança. Também sinaliza o caís para quem navega de noite pelas nossas águas.








Junto a este equipamento, existe a sede da Associação Náutica do Seixal. Clube que desenvolve actividades náuticas. Entre a Vela e a canoagem, também se pode encontrar outras actividades de interesse geral. A sede do clube fica situada na antiga Casa dos Pescadores.

Temos conhecimento que o projecto ainda vai avançar com o intuito de recuperar outras estruturas existentes nas margem, que vão melhorar as condições para quem vive ou visita o Seixal por água.

Como apoio à baía ainda podemos encontrar outros equipamentos para poder varar a embarcação. Ainda no caís de Pedra (Rampa) existe uma rampa de alagem  (fotos acima) que serve de apoio ás actividades desportivas, com ela é possível colocar e recolher embarcações de pequeno porte tanto à vela como kayak e canoas.

Paralelamente ao Caís de Pedra (Rampa), poucos metros separam esta ponte caís de uma outra, antigo terminal fluvial (Caís da Ponte) que muitos anos serviu de estação da Transtejo. Muitos anos sem manutenção levou a uma degradação acentuada, sendo um local que era utilizado pelos pescadores locais e pelas embarcações tradicionais, a actividade existente também ajudava a manter o mesmo, todos limpavam um bocado e as coisas iam andando. Entretanto aguarda inicio de obra na ponte. O caís de acostagem que existia (batelão), por questões de segurança, foi desmantelado, neste momento o espaço encontra-se sem grande utilização. Junto a este Caís, vão ser colocados 4 abrigos, de tamanho considerável, que vem dar apoio ás diversas actividades existentes bem como à pesca tradicional.











Junto à Santa Casa de Misericórdia, existem 2 Rampas de Varadouro. A rampa mais à direita tem muita inclinação, o que não é aconselhável a sua utilização.












A rampa mais à esquerda, apesar de não se encontrar nas melhores condições, podemos colocar e retirar uma embarcação em segurança, mesmo no baixa-mar é possível descer ao areal sem que o veículo fique enterrado. Neste local pedimos especial atenção para os diversos cabos que se encontram na água. A abordagem à margem, ou vice versa, deve ser feita com calma e a melhor das atenções. Nestas condições não há razões para que corra mal a manobra.







 De frente para esta rampa (foto acima) podemos avistar um outro equipamento, falamos do antigo Caís da Mundet. Hoje, um espaço renovado, a ponte cais também foi arranjada há uns anos atrás e foi colocada uma passarele e um cais flutuante para poder receber um antigo cacilheiro transformado em bar/restaurante. O espaço também é utilizado por alguns nautas  para  acostar algumas embarcações.


Junto à Quinta da Fidalga, podemos encontrar um caís e uma rampa que foram colocados aquando da reabilitação do espaço ribeirinho do local. Não tem grande utilidade para os nautas pelo facto de não ter água suficiente para navegar em segurança. Ficam as fotos para conhecerem o local.












Existe uma rampa de varar perto do Ecomuseu municipal, nas Cavaquinhas, falamos nesta rampa só para informar que devido à sua Inclinação é desaconselhável a sua utilização.




Perto do Gabinete Médico Veterinário Municipal existe um Caís que servia de apoio ao antigo matadouro da Arrentela. Um cais que actualmente não tem nenhuma utilização devido a não ter fundo suficiente para se navegar, poucas são as marés em que se consegue lá chegar.













Na outra margem da Baía, Amora,vamos continuar a mostrar os equipamentos que pode encontrar, mais uma vez vamos colocar todos, mesmo aqueles que não existe condições de utilização mas ficam a conhecer. Para dar seguimento ao perímetro da Baía do Seixal, Neste caso acabamos de passar a Ponte da Fraternidade e começamos por avistar o cais que se encontra junto à rotunda que se situa nas imediações do supermercado que por ali existe. Caís que foi recuperado mas não tem grande utilização por falta de fundo mas está bem enquadrado no passeio ribeirinho que permite caminhar e praticar alguns desportos exteriores.











 Caminhado mais uns metros junto à margem  podemos ver um caís, equipamento decorativo, que não é utilizado para fins náuticos mas veio trazer alguma graça ao local. Nós, por desconhecimento do seu verdadeiro nome, chamamos Caís da Escada.




Virado para a S.F.O.A - Sociedade Filarmónica Operária Amorense, existe uma ponte cais, recentemente restaurado, que permite a acostagem de embarcações mas só a partir das 3 ou 4 horas da maré a encher. Estamos a falar numa zona com pouco fundo, o que torna difícil a navegação, especialmente a quem não conhece as características do local. Estamos a falar de um cais muito bonito, simples. Podemos ver o pavimento em calçada Portuguesa, o que lhe confere uma beleza muito particular.
























Perto desta ponte caís, existe mais uma rampa de varar, tem umas condições muito boas para colocar e retirar uma embarcação em segurança. Esta é sem duvida a melhor rampa existente em toda a Baía, o grande problema é mesmo o acesso em condições de baixa-mar. Só é possível a sua utilização depois da 3 ou 4 hora do baixa-mar.














Mais adiante, existe a sede da Associação Naval Amorense, clube virado para as actividades náuticas, onde pode aprender e desenvolver a vela e canoagem entre outros desportos náuticos. Por simpatia vou referir os barcos dragão, oriundos de Macau, mais uma modalidade a poder ser praticada. Junto a esta associação, também podemos encontrar uma rampa de varar, mais uma vez debatemos com o mesmo problema de falta de fundo. Uma pequena rampa que apoia as actividades desportivas náuticas.






















Ainda junto à A.N.Amorense, podemos encontrar mais uma rampa de varar. Uma rampa de grandes dimensões para que possa chegar à cal. Neste caso existe o mesmo problema, só poder utilizar perto da 3 ou 4 hora de enchente. Oferece condições de segurança para se poder colocar e retirar uma embarcação de pequeno porte. Esperam-se investimentos para melhorar as condições de acesso à água nesta zona.






















No Moinho de Maré de Corroios, também podemos encontrar uma rampa bem preservada, muito embora tenha uma inclinação acentuada. Falo desta rampa somente para vos dar a conhecer este moinho, também museu, que está em muito boas condições, podemos ver como trabalhava na realidade. Aqui podemos encontrar um espaço muito agradável que pode ser visto por quem visita o Seixal.



Para quem quiser visitar a Ponta dos Corvos, península existente nesta zona, pode fazer pelo pequeno caís feito pelas gentes locais, que permite a acostagem de pequenas embarcações para poderem beber um café e aquecer o estômago em dias de frio.











 








Também existe no local uma rampa de varar que também pode ser utilizada por pequenas embarcações e somente no preia-mar. Ter atenção ao se aproximar da rampa, existem cabeços no local. Actualmente não existem os barracões que aparecem nas fotografias, por questões de segurança  e embelezamento do local, foram demolidos pela Câmara Municipal do Seixal.





















Esta é a nossa Baía e a forma como podemos ter acesso à água, por toda a sua orla marítima. Esta é a nossa e vossa terra, Seixal.

Apareçam...

Um Abraço,

Os Pescas