Os nossos amigos

segunda-feira, 29 de abril de 2013

( Spinning ) Baía Azul........



     
        Boas Pessoal…..

      Mais uma aventura em África…hehehehe…desta vez eu e a minha esposa rumámos à Baía AzulJ..para mais um dia de muito sol e muita praia, como é obvio o material tinha que ir comigo, pois ir para ao pé do mar sem pescar, mais vale não ir…hahaha
     Como ainda não temos carro, fomos de táxi…Para terem uma noção, a Baía Azul fica a 30 minutos de viagem de Benguela indo para Sul de onde moramos. A viagem correu dentro da normalidade ao som de Kizomba e R&B, com direito a cantorias, pois o nosso taxista fartou-se de cantar…devia achar que nós fazíamos parte de algum júri de talentos…hahahaha…mas sem stress, pois quem canta seus males espanta…lol


     Uma das coisas que é de chorar a rir, é o taxímetro dos táxis, que tem um cavalo pequeno em computador e quando o táxi está parado o cavalo não mexe e quando o táxi começa a andar, também o cavalo começa a correr…hahaha.só visto..:-)


    Motas táxis são aos pontapés, parecem formigas de um lado para o outro que nem doidos, sim, porque aqui o código da estrada de nada vale. Aqui o que vale é quem se coloca à frente do outro primeiro e não quem tem prioridade..hahaha…até agora já vimos 2 pessoas atropeladas, o que é muito triste, pois assim que anoitece, praticamente não existem luzes de candeeiros o que impossibilita ver os passantes atravessar a rua, principalmente quando, além de eles serem negros, ainda se vestem de preto…fdx…depois dá nisso…pum..direitos para o céu sem passar pela casa da partida…é triste mas pelos vistos por aqui é normal


    Bem, vamos ao que interessa, quer dizer, isto também é giro, não os atropelamentos mas sim o resto, pois isto tudo faz parte de viver aqui…:-)…..voltamos à nossa viagem…Baía Azul…enquanto íamos no caminho, sempre deu para ver algumas aves, bois, vacas atravessar a estrada, casas abandonadas e montanhas até chegarmos à Baía…:-)

   Enfim chegámos…:-)..Posso dizer que o sítio é lindo, uma bela baía de água azul e calma até perdermos de vista, como podem ver nas fotografias….


   Assim que chegámos por volta das 11h30, estendemos as toalhas, fomos ao banho, pois estava um calor brutal…:-)..e de seguida comecei a observar aonde é que eu iria pescar…hum?????...Para a direita é só praia e para a esquerda tem bom aspecto, pois era só pedra, excelente……pelo menos até perceber que era impossível passar por aquela zona, pois além de ter que ir a nadar para o outro lado, também existia o perigo de cair alguma pedra lá de cima, pois a falésia estava escavada da erosão do mar e a probabilidade de algum azar acontecer, não era do meu interesse…lolol.



   Bem………..acho que estou f……ai…ai…..deixa estar, vou montar o material e depois já vejo…….assim foi, não é que quando estou a montar o material, de repente olho para o meu lado direito e vejo um ataque em massa á tona de água…….fdx…..fdx…isto a 6 metros de distancia da borda de água……não há tempo a perder, montei rapidamente o material, escolhi dois passeantes, sendo que um deles, uma LC sammy 115 de cor White cherry Berry se não estou em erro e uma Super Spook 130.

   A primeira que armei foi a sammy branca de barriga avermelhada, pois na minha cabeça o peixe não era grande e os peixes que estavam a ser caçados eram pequenos, por outro lado, achei que aquela cor, naquela água para os predadores funciona muito bem…


   Infelizmente perdi muito tempo a armar o material e quando desloquei-me para o sítio, já tinha parado aquele fervilhar brutal….tal como tinham aparecido, da mesma forma desapareceram…..sem stress….se eles andarem por ai, rapidamente ouvem o passeante……assim foi…lancei a sammy e comecei com um twitching rápido durante dois metros…pausei….e arranquei com o walking the dog….d..d..d..d…d…d..d…d……até que de repente surge uma sombra que rapidamente se transforma num predador a rasgar a água com apenas um intuito……agarrar a minha sammy…ao mesmo tempo eu não consegui perceber que peixe é que seria…..na minha cabeça seriam as Macoas….. eu estava convicto que eram as macoas que tinham feito aqueles ataques à superfície…….apenas sei que o que eu fiz a seguir, a meu ver foi brutal…..isto porque, o que quer que me tivesse atacado o passeante, simplesmente falhou com a boca e ao mesmo tempo que o peixe falha e eu vejo, foi por um milésimo de segundo que eu puxo o passeante, agarrando o peixe por outro lado que não pela boca…….fdx já estás….cana verga e zzzzzzzzzzzzzzzzz….zzzzzzzzzzzzzzz……lindo……brutal….não era grande, mas dá um grande gozo…..hahahaha
    Por momentos apenas me veio á ideia……….e se for uma anchova???????....fdx…deus queira que ela não lhe toque com os dentes…..erro meu…..pois a pensar nas macoas, esqueci-me que existem outros peixes…hahaha…e esses têm muitos dentes….ai a ponteira…lol….agora só resta rezar.... lol  

    A verdade é que assim que eu vejo o peixe pela primeira vez e mal, disse para comigo….e não é que é uma anchova….bonito..hahaha….ao menos ferrei-a pelo dorso..hehehe…..lindo, ela sempre a cortar a água para fora já quase em seco, com arranques agressivos depois de pequenas pausas… :-)…que mais é que eu podia pedir, pescar de calções de praia, com calor, peixe e a utilizar uma das técnicas que eu aprecio mais, a pesca de superfície… :-)
    Calma…….mas que peixe é este??????...isto não é uma anchova!!!!!!....é uma PALOMBETA…..hahahahaha….linda…mais uma espécie para o meu currículo..hehehehe….pode ser pequena para o tamanho que elas atingem, mas é a minha primeira e visto ser a primeira, esta vale por uma de 30 Kilos…



    Nesta altura, já eu tinha 3 rapazes á minha volta também eles entusiasmados com a minha captura, essa, que acabei por oferecer a um deles com todo o gosto, não sem antes, fotografar aquele momento mágico para mim, pois até hoje, eu sempre sonhei combater estes peixes pelágicos e hoje eu estou a concretizar esse sonho…. :-)

   Entretanto, ainda estive á conversa com eles, pois eles tinham estado a andar de barco, por essa razão é que eles aparecem de coletes vestidos nas fotos…lolol..até apostava que não sabiam nadar..hehehe….foi durante essa curta conversa, que eles me disseram que havia garoupas enormes nas pedras para o meu lado esquerdo, mas só fazendo caça submarina seria possível capturá-las…. :-)



   Deixa estar, fica para uma outra altura… :-)…a minha vontade era, pedir-lhes uma boleia até aquelas pedras para tentar apanhar peixe maior, mas achei melhor que não, fica para outra oportunidade…hehehe..de qualquer forma eu ofereci-lhes a Palombeta com todo o gosto, a qual aceitaram e agradeceram..:-)

   Entretanto, ainda fiz mais alguns lances, mas não deram em nada, o que me fez tirar uma pausa e sentar-me ao pé da mulher para descansar um pouco e beber alguma água, pois o calor apertava e todo o cuidado é pouco.

   Ainda fiz mais algumas tentativas, mas os dois ataques que surgiram durante essa altura, um deles ficava para o meu lado esquerdo á frente das pedras, as quais eu não chegava lá e o outro ataque, aconteceu á frente dos banhistas……isso mesmo…À FRENTE DOS BANHISTAS….lol…e comigo a olhar parvo e a espumar da boca, pois não podia lançar para a frente deles…..poder podia, mas não devia….hahahaha…….que remédio se não ficar a olhar para aquele espectáculo sem igual, sim….porque é uma espectáculo lindo de se ver, a água ferve e só se vê peixe a saltar.
   Estava feito a pesca e o dia… :-)..Feliz da vida com a minha 1º PALOMBETA pescada nas águas de África...:-)

               Um grande abraço amigos e até breve

                                Luis Malabar

domingo, 28 de abril de 2013

Um amigo muito especial - Vídeo do Mês ( Abril)


Este mês o vídeo do mês só podia ser o da despedida do Guilherme. Ainda só passaram 10 dias e parece que já vão meses... Um amigo é sempre um amigo e a sua falta é sentida diariamente...
Para relembrar os grandes momentos do passado enquanto aguardamos por mais no futuro...

Este é para ti Gui

sexta-feira, 26 de abril de 2013

( Spinning ) Encontro inesperado......



      
            Boas pessoal…..



       O tempo por aqui não varia muito, ou seja, faça chuva, vento ou esteja nublado, está sempre um calor brutal… J Hoje vou contar-vos o que se passou no meu dia de anos e como não podia deixar de ser, tinha que ir à pesca..hahaha.
      O dia de pesca, começou na praia virada ao mar na Restinga, zona essa que pertence ao Lobito. Chegámos por volta das 11h00 da manhã e para variar não havia ninguém na praia…lol..pelos vistos nem ao domingo este pessoal vai à praia, mas tudo bem, mais paz e sossego para nós… J
     Enquanto a mulher ficou deitada, lá fui eu armar o material de spinning para a pesca de superfície que tenho, para tentar uma vez mais dar conta de algum predador que por ali andasse à caça de pequenas presas… J
    Infelizmente, por aqui não existem tabelas de marés, se eu quiser tenho que ir á net ver, pois de outra forma não tenho hipótese. Assim que ficou tudo preparado, escolhi um dos pontões à direita de onde estávamos para pescar e assim que eu subi o molhe e fui até à ponta, reparei que a maré estava muito vazia e ainda por cima estava mar de enchio….FDX…ainda agora comecei e já estou lixado..lol….bem….vou entreter-me até me cansar…hahaha.
    Como é óbvio, não demorou muito tempo até voltar para ao pé da mulher, pois o pesqueiro estava sem água o que me impossibilitava de pescar o que quer que fosse, se eu quisesse ter esperança de capturar alguma coisa, ia ter que esperar que a maré subisse.
   Entretanto o tempo foi passando e com ele veio a fome…lol…bem, estava na altura de irmos até ao restaurante de um amigo nosso, que ficava do lado oposto de onde estávamos para almoçarmos, e depois do almoço, voltaríamos para a praia para terminar o dia em grande… J
   O relógio marcava 14h30 quando acabámos de almoçar e eu aproveitei para tentar pescar na zona que fica mesmo ao lado do restaurante, ou seja, pescar para dentro da Baia da restinga, pois já me tinham dito que as macoas aproveitavam os baixios para caçar a petinga.
   Nada melhor que aproveitar esta oportunidade, enquanto a mulher ficava a ler um livro à espera que o nosso amigo fechasse o restaurante para também ele ir connosco até à praia.
   Assim foi, atravessei a rua e desci até às pedras em baixo para escolher um sítio para pescar. Escolhi novamente um passeante para começar mas sem sucesso…nada…nem sinal…passei para um Popper …..nada…vários movimentos e nada…nem sinal….bem…vamos para um jerkbait da LC….nada…até que…faltava 4 metros para a amostra chegar ao pé de mim, eu levo um toque….ui…não ficou…lancei novamente e ……2 toques e quase ferrava o que quer que fosse que tinha atacado a amostra…ai…o…c…..deve ser pequeno demais para a amostra, pensei eu…bem…vai de vinil de 12cm da Savage…lancei e numa recuperação regular sinto 3 toques separados e não ferra…..mau….mas que será?????? O mais engraçado foi quando tirei o vinil para fora…hahahaha…parecia que tinha sido atacado por PIRANHAS..lol…o vinil ficou sem a cauda e com uma dentada nítida de lado de algum peixe com bons dentes…lol….podem ver pelas fotos como é que ficou… J…..Inútilizado..lol…eu sinto que cada vez que lanço qualquer que seja a amostra para dentro de água, nunca sei o que pode acontecer..hahaha..é o mesmo sentimento de quando pesquei nos açores.
    De repente começou a cair uma carga de água, mas o calor continuava, arrumei o material rapidamente e voltei até ao restaurante, para ver se o nosso amigo já estava despachado, para regressarmos todos à praia.
   Assim que cheguei ao restaurante, encontrei uns amigos nossos, todos na palheta e na galhofa, também eles escondidos debaixo do toldo do restaurante. Pelos vistos a chuva não parava, o que fez com que a ida até à praia fosse cancelada… L..logo no meu dia de anos….ai..ai….entretanto a minha esposa aproveitou para ir fazer umas compras até ao supermercado enquanto eu ficava por ali à espera que a chuva passasse para voltar para a pesca, pois a ultima coisa que eu queria fazer era enfiar-me na merda de um supermercado…lol.
   A chuva parou de repente, o tempo abriu e o calor aumentou…ufaa…que bafo…está na hora de voltar ao local do crime.. J…não para os peixes, mas crime para o meu vinil..lol..que tinha ficado todo f…..hahaha…não á problema, eu tenho mais para vocês provarem..lol
   O combinado com a mulher foi, assim que ela se despachasse voltava para me vir buscar, até lá estava por minha conta.. J. Voltando ao que interessa, repetir o processo até voltar aos vinis, pois nunca se sabe se os predadores com a subida de água e com o anoitecer, não ficavam activos para os passeantes ou poppers. Pelos vistos não…lol…de volta aos vinis, escolhi um de 12,5 cm da flashmer, de cor azul sardinha, com um cabeçote da ILLEX de 35gramas para tentar a sorte.. J.
   Vai de lançar……nada…..nada….nada….o tempo a passar e nada…fui mudando de sitio, sempre a vasculhar o fundo e as camadas de água e nada…nem um toque até que……a cerca de 4 metros de mim eu sinto uma porrada e rapidamente efectuo a ferragem, desta vez com sucesso…HÁ…HÁ…este já não foge….cabeçadas que mais parecia uma dourada….mas douradas não há???????..mas que é isto???...era pequeno mas aguerrido…lol….assim que eu o coloco em cima de água, fico de boca aberta….HAMMM….é um MERO…hahahahaha….com um metro de água…hahahaha…só mesmo aqui é que isto acontece…lol…mais uma espécie para o currículo…pelos visto cada vez que venho á pesca apanho um peixe diferente..hahaha.
    Para terem uma ideia, tal foi o ataque que o vinil rasgou a parte de cima por onde sai o anzol….!!!!!...pequeno mas agressivo, felizmente o vinil não ficou inutilizado.. J
   O mero é um peixe lindíssimo, com uma coloração acastanhada e com pintas ou manchas de cores fortes, que faz parte da sua camuflagem e protecção contra predadores. Este ainda era muito pequeno, pois não devia ter mais que um Kilo, para esta espécie, é mesmo muito pouco. Infelizmente a minha máquina fotográfica estava com a minha mulher e tive que usar o telemóvel para registar o momento… J
   Depois de registar o momento, estava na altura de soltar o peixe, não foi preciso muito, pois assim que eu o coloquei dentro de água, ele arrancou direito ao fundo para se enfiar no primeiro buraco que encontrou…lol..entretanto estavam 3 pescadores que ficaram a reclamar comigo e a espumar da boca por eu libertar o peixe…hahaha…também eles já andavam á pesca algum tempo e nada… L
   Já tinha a minha prenda de aniversario.. J..estava na altura de ir embora, pois a mulher já se encontrava de volta, não sem antes de, fotografar uma situação caricata que ela viu no caminho para cá…lol…não faço a mínima como é que eles fazem isto…lol…só existem dois comboios por dia e mesmo assim..!!!!!

Um grande abraço e até breve amigos

Luis Malabar

quarta-feira, 24 de abril de 2013

( Bóia) Sargos à boia na Costa da Caparica


Bem, 3 semanas após uma paragem de pescarias, devido ao mau tempo que teimava, sempre, mas sempre no dia em que estava de folga, eis que uma aberta e um telefonema de alguém por quem tenho uma amizade profunda, me fez tirar o dia, e rumar a uma pescaria.

Tenho dito que não sou eu que escolho as minhas pescas, é o mar e o clima, ou seja, a natureza que me diz onde devo de ir. Por vezes a natureza engana-se, por vezes eu não a compreendo!

Bem, na realidade, o que o WINDGURU marcava não me cheirava a nada... Ou a quase nada...
O dia maraca mar de Norte, e de apenas 2 metros, o que na Costa ocidental é o mesmo que encontrar uma piscina em zonas arenosas.

Com estes dados, ir à praia estava fora de questão... Bem, então o que fazer? Spinning? Águas limpas, era o que tinham me comunicado os meus companheiros de pesca... Ir ao Rio? Naaa, muita água doce, pouco peixe, e olhando para tudo isto, cheguei a uma simples conclusão... Temos que ir para a pedra!

O sacana a rir-se para nós...

Depois comecei a pensar, e o Guilherme, diz-me porque não ir fazer uma boiada? Bem... analisei novamente ao pormenor tudo... E vi logo que tínhamos que ir cedo, pois o dia ia estar com algum sol, e as água não estavam totalmente tapadas, mesmo junto a rocha...

A minha ideia era que se desse algo, e estamos ainda a alguma distância da melhor altura deles aqui na zona, era simples: No período lusco-fusco aproveitar a pouca luminosidade, pescar muito fino, chegando ao 0,18mm e tentar apanhar alguma coisa...

Eu estava longe de imaginar que e tudo o vento ia mudar!

Bem... Agora tinha outro problema. Eu não tinha tempo para ir apanhar caranguejo... E isso desmoraliza-me... Também não tenho eu casa, nem congelados camarão do rio, e não podia ir apanhar...
Era ir com o que tinha em casa e com o que o Guilherme arranja-se... No final de contas conseguimos, Batata, Navalha, Casulo pivete, camarinha anã, e alguns mouros capturados no local...

O despertador tocou eram 6.40 da manhã e embora os lençóis polares estivessem magníficos, lá me levantei e meio zombie fui preparando todo o meu material, e quando saí de casa, o Guilherme ligou-me a dizer que já lá estava... Num instante me pus lá, pese embora o já algum transito que se começava a denotar. Quando cheguei, resolvi ir tomar um café... E já estava a caminho do Pesqueiro quando se fez um clic... E fui ver a licença... E ainda bem... Tinha terminado à uns dias, e lá tive que voltar atrás e ir tirá-la... Não vale a pena arriscar, normalmente quando estamos em falta é quando nos calha a nós...

Já com a licença, fui ter com o Guilherme... Ao chegar fui analisar as águas e estavam um pouco tapadas, ligeiramente oxigenadas, e isso era um sinal positivo. Nada demais, mas ao menos não estavam abertas.
Falamos e foi unânime que tínhamos até o sol subir para apanhar alguma coisa, caso lá andassem...

Enquanto montava a cana, com toda a calma do mundo, fui falando com ele, e fomos pondo o "papo" em dia... Como estavam os filhotes dele, como têm sido estes dias, enfim, conversa de amigos, o normal. E o quanto especial é poder ter uma simples conversa com alguém com quem temos total confiança e uma profunda amizade.

Já de cana montada, passados tantos meses, senti-me tãoooo bem. Há quanto tempo não fazia uma boiada, que saudades... Que bem que me soube tornar a tocar numa cana destas.

Os poucos pescadores da zona estavam descrentes, nota-se claramente que o pessoal anda desanimado, seja pelo Inverno rigoroso que temos tido, seja pelo pouco peixe que este ano deu para o pessoal...
O Buldo matinal tinha poucos activos e não vi sair nada de jeito. Aliás não vi tirar um peixe, pelo menos que reparasse.


Com tudo isto resolvi ir com calma, muito tranquilo até porque não estava à espera de nada de especial. Tinha ideia de apanhar um ou outro sargo, mas como o objectivo era apenas pescar após tantos dias parado, aproveitei para saborear o mar e toda a sua beleza e tranquilidade... Impressionante, passados tantos anos, como ele me cativa e encanta, tal qual quando era um menino. Só de ver os outros pescarem sinto-me bem, sinto-me vivo. As ondas a baterem nas rochas, aquela espuma momentânea, incrível... Renovo-me a cada Set que observo ao longe...

Enquanto observava o Guilherme a pescar, fui bebendo cada "dica" que o mar me dava e fui observando cada buraco daquela zona, tentando perceber onde iria começar a minha pesca. Existem 4 spots ali que dão bom peixe, cada qual tem as suas características e momentos...

Comecei logo a pescar fundo, como eu gosto, sempre a "beijar" a rocha. Usei estralhos 0,23mm fluorocarbono, e rapidamente senti os primeiros toques... Enquanto eu tentava perceber se estava a pescar bem, o Guilherme tira o primeiro menino, e soltei um sorriso... Ver um peixe de amigo é o mesmo que ver um peixe nosso. E ele disse logo que já não gradava... A picar-me o sacana... Não demorei nem um minuto e já estava a tirar o meu... Porreiro, grade já não era.

Ao longe o Sol ia se mostrando e o meu pensamento era somente insistir até ele tomar conta do dia, e nos dar cabo da pesca, pois as águas ao aclararem iam se tornar más para a pesca.

Aqueles vinte minutos que ele demorou a desabrochar permitiu-nos apanhar 3 sargos cada um, e deixou-nos  satisfeitos com a pesca que já se tinha. Sem serem aqueles bichos típicos dos meses mais quentes eram sargos interessantes, e a pesca ia se compondo.

Um alcorraz esfomeado, que foi posteriormente devolvido


Fomos experimentando vários iscos e com a excepção do Lingueirão, todos era bem aceites. Senti toques com todos.

O dia já mais claro e com o Sol a romper entre as nuvens foi nos tramando a pesca, e a pouca água que começava a ter o pesqueiro não ajudava nada... Foram momentos de grande luta para se tirar alguma coisa, buraco a seguir a buraco, tentámos de tudo, alterámos iscos, baixamos os diâmetros até 0,18mm... Mas o escasso peixe apenas, deu mais um sargo ao Guilherme e um alcorraz para mim, prontamente devolvido, pois embora até coma, o dia estava a dar uns sargos não valia a pena estar a guardar mais nada...

O pessoal foi rodando e abandonando o pesqueiro, e nós fomos insistindo. A maré vazia e o sol a pique deram-nos cabo da pesca, via-se tudo, era um milagre apanhar um peixe assim...

Resolvemos parar e fomos tomar um belo de um café, e aproveitei o momento e o dia, que se pôs bom e com um calorzinho agradável, bem primaveril. Soube-me tão bem...
Aproveitando a pouca actividade fomos apanhar uns mouros para apimentar a pesca. É um isco tremendo para os sargos de porte...

Volvidos ao local, e já deviam ser umas duas e tal, a maré vira... E o vento tudo mudou. O meu maior "inimigo" da pesca apareceu assim de fininho, lentamente... O Windguru tinha dado mudança de tempo para o dia seguinte. Mas até dava o mar a descer, assim como o vento para a parte da tarde...

O pessoal que foi chegando, tal como nós não dava com os sargos, apenas um ou outro alcorraz e uma grande salema...

Cheguei a pensar ir embora... Mar aberto, vento, chiça... Mas lá está, para quem está tanto tempo sem pescar, só o facto de lá estar é suficiente e lá fomos resistindo, até porque como sempre o ambiente é fenomenal e fartamo-nos de rir com as macacadas que fazemos e claro com os companheiros de pesca que vamos vendo pescar, que sem maldade nenhuma vos asseguro, mas sim com uma visão engraçada da coisa, nos fazer rir imenso e viajar para momentos em que nós também tenhamos feito coisas assim...

Pela 2ª vez vi um rapaz que pesca à boia com uma cana de surfcasting... Epa, não é boa opção, dás cabo do teu corpo e dificilmente vais fazer alguma ferragem, só se o peixe embuchar... E depois o vencedor do dia, epa, não dá para exemplificar bem escrevendo, mas foi hilariante. Um senhor com a linha presa numa rocha, um senhor que estava ao nosso lado, quando eu me viro esta de cana virada ao contrário a raspar com a ponteira nas rochas como se fosse uma vassoura para tentar soltar a linha... Vendo que não dava resultado, agarra na ponteira, vira a cana e varre as rochas com o cabo, a ponteira quase a partir e nós sem saber se dizíamos algo, ou não pois podia levar a mal... Aquilo visto era de chorar, pois teve graça, tal era o ar descontraído e de certa forma zangado do senhor a tentar soltar a linha, e daquela forma...

Bem, voltemos à pesca... O vento cada vez mais apurado, foi trazendo nuvens, tapou o céu, escureceu o mar, este de repente por entre a carneirada e o mar incerto e partido, começou a espumar e ficou negro, duma escuridão perfeita, por baixo do manto de espuma que cobria todo aquele pedaço...

Lembro-me de olhar para o Guilherme e dizer-lhe que era o momento... Faltava ir ao Spot onde com aquelas condições, normalmente mais peixe dá, é um pesqueiro difícil, não pelo acesso, mas pela dificuldade em segurar a boia na escoa e tê-la lá no momento certo quando a escoa se vai e deixa o tal manto de espuma. É certeiro. E expliquei isso ao Guilherme, o truque ali e que realmente não é para todos, é manter a boia o mais perto do local possível, e no momento exacto trazê-la ao buraco... Naquele preciso momento a boia afunda e começa a nossa luta, que como sabemos bem, os que fazemos esta pesca é delicioso...

Para dificultar o processo ainda mais o vento que supostamente devia de estar de Sul, vira para Norte e começa a varrer-nos ainda mais a boia do pesqueiro e claro a cansar-nos muito mais. É este o problema das canas de 6 mts... São efectivas na ferragem e ajudam a controlar o peixe ao longe sem por tanto em perigo que este venha às rochas, mas com vento é uma tormenta...

Achei uma posição engraçada, que foi pescar na diagonal, com um braço a apoiar a cana e o outro a segurar, de forma a manter sempre a linha esticada... E desta forma, nem precisava olhar para ela a afundar... Sentia tudo, e eles ferozes atacavam tudo, Até o casulo pivete, o casulo capaz de fazer um brilharete, ahahah.
Um a seguir ao outro, era pôr e tirar, o peixe engolia até os chumbinhos de correr que ficam a bater no anzol. Qualquer isco que lhes desse eles atacavam, até iscos secos que estavam lá nas rochas usámos e apanhamos peixe. Ia lá eu e pimba... Enquanto tirava o peixe, ia lá o Guilherme e pimba, e numa espécie de tag team, fizemos em hora e meia uma pesca muito boa, divertimo-nos imenso, e a saca de batatas do Guilherme, transformou-se numa saca de sargos, repleta deles... O Sol há muito que tinha dado lugar ao escuro imenso que cobria toda a zona, e nós com a saca a encher e a encher, lá decidimos parar, ir beber um belo de um café, e pelo caminho fomos saboreando a pescaria que se fez... Acima de tudo e porque sabe bem sentir peixe, foi um dia em cheio, com muitas ferragens e desferragens, um dia de pesca fenomenal e com a companhia de um grande amigo...







Material:
Canas: Cormoura Corstrong 6 mts. (2)
Carretos: Shimano Nexave 4000; Shimano TwinPower FB 5000
Linhas: Maxima Fluorocarbono, Climax Fluorocarbono; Asso Ultra; Falcon Prestige
Iscos: Caranguejo verde, mouro; Casulo; Camarinha; Lingueirão


Filipepc e Guilherme

segunda-feira, 22 de abril de 2013

( Spinning ) África..um novo mundo.


      Boas Pessoal……..

     Antes de começar este relato, não podia deixar de expressar um pensamento que permaneceu dentro de mim após o dia de pesca…..Isto porque, eu acho que nesta vida acontecem situações que nos fazem pensar…..Situações essas que nos levam a crer que nada acontece por acaso……será destino???....Coincidência???....Sorte???...A verdade é que continuo sem saber…lol….mas também não faço muita questão em saber, pois a verdade é que as minhas aventuras de Spinning em África começaram hoje e contra todas as probabilidades, este já ninguém me tira….:-)


     O meu dia começou comigo ansioso e com um espumar de boca interno…lol..por ainda não ter ido à pesca desde que cheguei a África..hehehe….A minha alegria neste dia devia-se ao facto de finalmente poder fazer o que eu tanto amo….Spinning

   Um dia antes, preparei o primeiro material escolhido por mim, a cana que iria levar seria a Ultrega da Shimano, que uso para pescar com os passeantes e poppers, mais o carreto da Shimano, o Ultrega, leve e carregado com multi da Sufix o 832, verde e de espessura 0.20…hehehe. De amostras preparei 3 jerkbaits,3 passeantes, 3 poppers, e dois vinis da Savage, tamanho de 12cm, com cabeçote de 40 gramas e de 25 gramas, azul com purpurinas prateadas. Para juntar a isto fiz uma pequena ponteira com 15 cm de estralho de aço, que iria usar de ligação da amostra à ponteira de fluor 0.50 em caso de ser preciso…J

   

   Estavam feitos os preparativos para o dia seguinte…..:-)


     Posso dizer que no dia anterior à pesca, não houve ninguém que não me disse-se que para onde íamos, apenas saiam sarguetas ou choupas pequenas, pois nunca ninguém tinha tirado um peixe de jeito naquela praia que fica localizada na restinga virada ao mar. Como devem calcular, eu nunca pesquei aqui na minha vida…e ter pessoas que já pescam aqui à 10 anos a dizerem-me aquilo, de facto não era muito animador…lol…..Mas por em cima de tudo, acredito em mim e no que aprendi até hoje, e de uma forma ou outra, a única pesca com amostras que este pessoal faz é ao Trolling, ainda não vi nem ouvi falar de ninguém que faça Spinning, mesmo aquelas que já estão cá há mais de 10 anos. Logo, na minha cabeça, nada me tira que, na grande maioria dos casos, estes predadores nunca viram um jerkbait, passeante, popper ou até vinis, o que é sem sombra de dúvida uma mais-valia para quem pratica esta pesca. Deve ser a mesma situação que há 60 anos em Portugal na pesca ao Robalo, em que os apanhavam com algodão ou papel de prata…lol…parece ridículo mas é verdade…J

     Mesmo contra todas as probabilidades, lá fui eu para a praia mais a minha esposa e um amigo nosso de táxi, pois nem eu nem ela temos carro e o nosso amigo ficou sem carro nesse fim-de-semana. Mas sem stress..:-)…eu queria era chegar ao pesqueiro, deixar a mulher na toalha e focar-me no que interessa…lol….ai se ela se desse ao trabalho de ler os meus relatos…hahaha…mas Deus é grande…hahaha.

     Para variar, pelos visto não é só em Portugal que isto acontece, não é por mal, apenas desconhecimento puro, isto porque, os primeiros comentários que ouvi de duas pessoas amigas foi…essa canita é tão pequenina…..vais pescar com isso!!!!...ao que eu respondi…vou, sabem…..é que eu trouxe esta para os peixes pequenitos, visto que não há maiores….:-)…ao que eles responderam, sim…..essa para aqui serve…:-)

 Finalmente….Paz…:-)…Já posso começar a pescar….
Para terem uma noção, esta zona parece a costa da Caparica com um areal extenso, pois é uma língua de areia à qual se chama restinga, que pertence ao Lobito. Esta extensão de areia é dividida por muitos pontões de pedra pequenos e a praia onde estávamos tinha um de cada lado. Pelo que me apercebi as praias aqui tem uns fundões brutais mesmo á beira da praia, o que faz, pelo menos na minha cabeça, um local perfeito de pesca…lol…de qualquer forma optei por escolher um pontão à minha direita, o que me permitia mais alguns metros dentro de água.

   

    Vamos começar a pescar…..primeiro com um passeante da Heddon, o Superspook, carregar cartucho e siga……as minhas emoções estavam ao rubro, um misto de suspense e adrenalina, pois eu estou em África e a esperança de ver algo a rebentar a água em plena acção de caça atrás do meu passeante não me saia da minha cabeça……nada….nada….nada….ok…vamos mudar para um popper, pode ser que atrai algum predador que se encontre mais distante do pesqueiro!!!!....carregar e lançar…..nada…nop….nop…..ok…nada activo…..vou passar para o jerkbait..carregar e lançar….nop….mudanças de velocidades….twitching lentos, rápidos e nada…nada…nada…apesar de ainda não ter acontecido nada…estava adorar…mar…paz..o som do mar…aves a voar que nunca tinha visto antes, tal como vários tipos de caranguejos os quais apenas reconheci um, o caranguejo moura…J..Um já não está mal…hehehehe….mas estes caranguejos mouras, eram do tamanho das nossas navalheiras…..fdx….aqui é tudo em grande, até o raio dos caranguejos…hahahaha….também vi uns de cor avermelhado vivo, raiados..lindos…tenho que tirar umas fotos para verem.

    Voltando à pesca, nem com jerkbait…hum….vamos passar para os vinis e explorar a camada de água toda..carreguei o vinil com o cabeçote de 40 gramas e siga….ora para a direita, ora em frente até que lancei para a esquerda, com um recuperar médio com toques constantes durante toda a recuperação até que o vinil ao chegar perto das pedras….é agarrado por algo bem bruto..ao que á velocidade da luz eu efectuo a ferragem e a cana verga e o carreto dispara….Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz……..Zzzzzzzzzzzzzzzzzz……..Eu só pensava…O que é??????…o que será????…que peixe????….regulei o drag e o peixe teimava em não arrancar para fora, tentava sim, ganhar profundidade, ao que eu não lhe permiti…..espectáculo…brutal..ainda por cima com esta vara….Hahahaha…estava na altura de o cansar, tentá-lo subir e coloca-lo numa boa pedra para depois o agarrar, só não sabia o que seria…lolol

    A luta não demorou muito mas, parecia uma eternidade…lol…até que consigo ver pela primeira vez, ele dentro de água, a rasgar a água de lado, fez-me lembrar os serrajões, que cortavam a água de lado…hehehe…com todo o seu brilho e força vital…e ELE na verdade era uma ELA……Uma LINDA MACOAJ
    A minha primeira e logo por sinal o primeiro peixe que eu queria apanhar…hahaha….melhor era impossível…entretanto assim que consegui colocar o peixe em cima da pedra e o agarrei pelo rabo, visto ser rijo, quando olhei para trás tinha 5 pessoas, parvas a olhar para mim e para o peixe, a dizerem….apanhou a macoa com aquela canita!!!!!.........mas aqui á macoas!!!!.......:-)…..eu respondi apenas com um sorriso….:-)

     Para mim o dia estava ganho, não queria mais nenhuma….aquela valeu por mil, pois o primeiro peixe é sempre especial e nunca mais nos esquecemos pois guardamos dentro de nós até ao fim dos nossos dias..:-) Não pesquei mais, arrumei a tralha e fui para ao pé da minha esposa e do nosso amigo feliz da vida…..ai…ai..que bem que se está…hahaha.

    Adorei…pois apanhei o primeiro peixe Africano e logo por sinal o que eu queria como primeiro para a estreia….:-) e pelos vistos também eles gostam de vinis…hehehe.

    Dentro em breve chega a altura da cacimba, o Inverno por aqui e já me disseram que é a altura em que os Pungos e os Dourados encostam ás praias para comer…hehehehe…com Dourados a chegar aos 10 kilos de peso….:-) nem vejo a hora….

     Espero que gostem, pois enquanto tiver saúde, histórias não vão faltar para todos os nossos amigos de OS PESCAS em Portugal.
                       Um grande abraço e até breve pessoal....:-)
                                        Luis Malabar

sábado, 20 de abril de 2013

Cinnetic 2013

Catálogo de uma marca que está em clara progressão e está a conquistar muitos pescadores em Espanha e também já se nota alguma curiosidade em Portugal


quinta-feira, 18 de abril de 2013

Cocó, Ranheta e facada no Sado

Antes de mais, só estes dias pude terminar o relato que marcou a despedida do Luís a pesca comigo e com o Palma... Um mês e pouco passa a correr hoje em dia... Fica o abraço ao Luís, com muitas saudades... Vamos então ao dia de pesca, um dia que soube muito bem, cheio de alegria e amizade entre o grupo.

Boas,

Este pequeno vídeo, é uma amostra do ambiente que existe por aqui, e que para nós muito tem a ver com o que desde o 1º dia tentamos dar ao Mundo da pesca.
Um relato que diz quem nós somos e o que representamos...

Ainda me lembro da 1º semana em que nos conhecemos, e ainda hoje, passada tanta coisa, acreditem muitos de vós, que foi muita coisa, estamos juntos, e tentamos juntos, deixar a mesma ideia...

O pescador, aquele que ama a modalidade, é o que nesses momentos se transporta para um universo distante, para locais tão belos, que poucas coisas na vida o podem alcançar.

Todos nós adoramos pescar, mas é muito bom poder pescar ao lado de amigos. Muito bom e marcante.

Estes últimos dias com o Luís, foram para todos momentos difíceis, de uma felicidade agri-doce.
Uma semana dura de trabalho, o governo que não para de nos tirar dinheiro através de manobras pouco claras, a mulher que refila porque não arrumei a loiça... E a falta que me faz, a mim e todos de certeza os momentos perto do mar, e principalmente, os momentos de paz...

Sentir calor no meio do frio de rachar que tem estado não é fácil...

Mas nada como agarrarem nos amigos e irem fazer o que gostam...Foi assim, que arranjámos um tempinho, para ir brincar um pouco nas águas do Sado...

3.2 kg., uma santola espectacular

Pesca marcada, para uma Madrugada, daquelas, geladiiiiiiiiiiiiiinhas, e lá estava eu, o Luís e o Palma, a caminho do Sado...

Chocos... Seria esta a pesca escolhida... E seria este o objectivo do dia.
Choco frito, choco assado, ou feijoada de choco. qualquer coisa, ia sair deste dia...

Um dois entraves que iríamos ter era o dia, tapado e com previsões de muito mar a partir das 11 horas. Tínhamos pouco tempo para fazer algo, para realizar uma boa pescaria. Ou dávamos com eles, ou vínhamos de mãos a abanar.

A pressa era portanto muita, tanta que o café do costume foi engolido... Queríamos era ir para o mar, e assim foi... Mas ao chegarmos lá, em vez de demorar, 10 minutos, demorámos 1 hora.
Primeiro e tenho que dizer a verdade, toda a verdade... O Palma é uma menina a trocar de roupa, ahahah, demora meia hora para trocar-se, já eu estava a espumar pela boca...

E depois, bem, depois foi o costume... Nada que não estejamos habituados... Primeiro atolou o carro na areia e não fosse uns porreiraços de Jipe que nos safaram, e acho que ainda lá estávamos a empurrar o carro, e depois vai de fazer força... E mais força... E mais força... E o Barco nem mexia... Ora, mas como é que um barco que sai apenas com a força de um homem, não saía com a força de 3?

Olhem...



Mais uma invenção do nosso Mestre Palma. Já estávamos em desepero, à vontade, uns 20 minutos a fazer força para nada... Troca de lado, puxa aqui, e puxa ali....
E nada.. E de repente, vejam a facilidade que tivemos em tirar o barco...

O gajo tinha uma cinta a prender o barco... Este Palma!

Bem... Após este,  pequeno problema, que nos atrasou quase uma hora, lá fomos nós... 

Chegados lá, eis que verificamos que realmente o mar estava bastante tapado, e a primeira hora foi um fiasco, com apenas 2 ou 3 capturas. Eu olhava para o relógio e rezava para desta vez o Windguru estar errado, pois ele marcava o mau tempo a chegar... O sol que existia ia ficando cada vez mais tímido, e estava a ficar escasso o tempo para fazermos um brilharete.

O Luís após me chamar umas quantas vezes para alterarmos o pesqueiro, lá deu com os primeiros chocos e enquanto isso o Palma continuava a sua saga sozinho, mas também ele não estava a conseguir grandes resultados.

Estava na hora de tentar falar e procurar a melhor solução possível, para entre nós decidirmos o que fazer...
Antes disto ainda tentei atropelar o Luís com o Barco, mas sem sucesso, eheheh, falhei o alvo...

Bem, como o Palma pedia para irmos mais para Norte à procura de águas menos profundas, fiz-lhe a vontade e pus os dois nessa zona, mas a pesca foi fraca e apenas apanharam meia dúzia de chocos...

Nisto pedi-lhes para irmos ligeiramente mais a Norte, e tentar aí o final da pesca, pois estava cada vez o dia estava mais tapado e o vento a aumentar significativamente...

Num ápice as águas ficaram pintadas de negro e eu apercebi-me que tinham dado com os bichos... E o Palma a dada altura pede-me para chamar o Luís e levá-lo ao pé dele, pois estava cheio deles... E os dois fizeram um espectáculo em minutos, tantaaaa choco... E belos chocos que saíram. Quando subiram ao barco a rede estava repleta de chocos, e a caixa que viram ainda meio vazia, ficou bem composta...
Uma ventania louca obrigou-nos a dar por terminada a pesca. Demorámos mais de meia hora a chegar ao porto de abrigo, onde parámos, lavamos os choquitos todos, e fomos beber o café da ordem, como já sabem...

Foi assim que tristemente me despedi mais o Palma do Luís, pelo menos até breve, muito breve, como vão todos ver, eheheh!

A ele, um obrigado, por os grandes momentos que juntos passámos e que com toda a certeza vamos passar... Espero por ti em breve meu amigo.










Filipepc, Luís Malabar e Ricardo Palma,
Ospescas

terça-feira, 16 de abril de 2013

Há gente que faz parte da história da gente...

Há gente que fica na História da gente...

Durante a vida, milhares de pessoas passam por nós, uns nem por eles damos, outros não são a nossa onda, mas há aqueles, o tal grupo restrito, que passa e perdura, que fica e vive para sempre connosco... 




Não é fácil estar passado dias de ver um grande amigo partir, ver outro... Não é fácil.
Mas não podia jamais deixar passar o "MOMENTO", para orgulhosamente dedicar um post a um dos melhores amigos que tenho na vida, e a um companheiro que a pesca me deu a conhecer...

Mais uma vez o meu desporto, deu-me essa dádiva, um dia fiz um amigo, um amigo para a vida...

Vou tentar ser parco nas palavras, apenas quero que fique registado, pois um dia pode a minha memória não permitir, e quero saber o que sentia na altura...

Num misto de tristeza e alegria, num sentimento que foi expresso pelo último abraço e olhar entre ambos, deixo hoje um abraço do tamanho do mundo a um ser humano magnífico, a um amigo tive a sorte de conhecer...Foste sempre um amigo fantástico... Nem por uma vez me falhas-te.

Foste... e vais continuar a ser. 
Sei que vais com um forte motivo, e sei que um dia tornaremos a estar juntos a fazer o que tanto gostamos, e quem sabe, um dia, levaremos os nossos rebentos com uns vadeadores XPTO a pescar ao nosso lado... 


Acima de tudo, este post serve para de uma forma clara te fazer uma homenagem. A vida é o que é...

A história dela vai sendo escrita diariamente, e a vida ensinou-me que as demonstrações de amizade, de apoio se devem dar com as pessoas vivas, e que nunca devemos sentir vergonha de demonstrar o que sentimos. Vergonha devemos ter de na altura certa não termos a força de estar ao lado de quem faz parte da nossa história e deixar passar em claro um momento que nos pode marcar eternamente... Obrigado por tudo meu grande amigo.


Sei que vais precisar, pelo menos este mês, força amigo, muita força, que tudo vai correr bem, e em breve estarás completo com a tua família ao teu lado...


P.S. - Eu sei que és inteligente para entenderes a mensagem, mas o título do post, não é igual ao início do mesmo, propositadamente... 

 A gente torna a escrever mais linhas em breve... Certamente que sim... Até lá força aí na Noruega e vai mandando uns bacalhaus...


Vai e sê feliz... Não olhes para trás...



Filipepc, em nome de todos os teus amigos.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Mais rápido era impossível ...

Boas pessoal...



Ao fim de 2 anos e meio de blog este talvez seja o relato de uma pescaria em que menos linhas se resume, isto tudo derivado á forma tão insólita de como tudo aconteceu...mas bom, vou tentar explicar tudo da melhor maneira para que percebam o que quero dizer!!!

Mais uma vez tudo começou da mesma forma, grupinho do costume (conhecidos actualmente pelo "gang"dos gradeiros, lololol )" á porta da loja de pesca e conversa para aqui,conversa para ali e vai de combinar uma pescaria para o dia seguinte. Para não variar o local escolhido para mais esta investida, foi mais uma vez a Lagoa de Albufeira, um local que já nos deu alguns troféus mas que também já nos fez carregar grandes "grades" ás costas!!!! O Windguru apresentava condições extremas, muita chuva, algum vento e o mar muito rijo, mas como ultimamente não acerta uma resolvemos arriscar e ignorar completamente todas as suas previsões.

Como a malta gosta de se levantar cedo,eram 5 da manha quando o Filipe João me veio buscar a casa, o frio que se fazia sentir era de cortar a respiração, os ossinhos até regelavam de tanto frio que estava.... rápidamente tomámos o nosso rumo e no caminho apanhámos o outro companheiro e grande amigo Miguel Candeias conhecido actualmente como o " Pézinhos"!!!lolol

Filipe João , o persistente...
Eram 6 da manha quando chegámos ao pesqueiro, como era de prever mais nenhum "maluco" se tinha levantado da cama para ir para a pesca....Cheios de "pica" e muita esperança lá começamos o ritual do costume, montámos as canas, verificámos as ponteiras, testámos os nós, escolhemos as amostras...bom a treta do costume que todos vós devem saber de cor e salteado!!!

Já com tudo preparado e mais do que testado, lá rumámos em direcção ao nosso "buraquinho", tínhamos pela frente uma boa caminhada!!! Mas há coisas que não têm explicação e esta que vos vou contar talvez seja uma delas...Sabem aqueles feeling´s que por vezes sentimos nesta pesca, que olhamos para o mar e parece que ali é o sitio em que lá está um peixe á nossa espera?? Pois foi isso que senti neste dia...

Miguel observando o mar...
Íamos a caminhar junto á água quando disse ao Miguel que ia fazer uns lançamentos naquele local pois tinha ali um grande feeling e pelos vistos tinha razão porque a "coisa" deu-se. Assim que lançei e a amostra caiu na água, ferrei peixe!!! Parecia que estava de boca aberta á espera da minha amostra, podem acreditar que não cheguei a dar duas voltas na manivela do carreto, que coisa incrível !!! O Miguel que estava do meu lado esquerdo só dizia: " Não acredito que já  ferraste peixe!!!" e o Filipe que se encontrava a minha direita ainda nem a amostra  tinha lançado para a água dizia: " Bom ainda nem lançei e já safaste a grade!!!..."

Lá trabalhei o peixe ( que não deu grande trabalho) e rapidamente o pus a seco, não era um exemplar mas nem sempre podem ser grandes, era uma Baila a rondar as 800gr que estava á minha espera e se entregou sem dar grande luta...
Como é óbvio e próprio de quem pratica esta modalidade, ficámos mais um bom bocado a insistir naquele local com esperança de fazer mais capturas, algo que não se concretizou pois nem mais um toque sentimos e nem peixe se via na vaga, andava por lá  só aquele para nos deixar com "água na boca".

Miguel e Filipe em plena acção ...

Ainda tentámos outros locais que se revelaram infrutíferos, pois não conseguimos enganar mais nada e a vontade foi-se desmerecendo  pois as condições climatéricas piorarão drasticamente e não pensámos duas vezes arrumámos a trouxa e voltámos para casa com mais uma investida no "curriculum".

Pois é amigos é daquelas coisas que não têm explicação, sem duvida que esta pesca têm muito de técnica mas também tem uma boa parte de sorte, pois esta foi a prova disso, não me considero muito azelha pois já tenho umas boas horas disto, mas esta foi sem duvida a minha captura mais rápida de sempre, não teve nada de técnica nem de sabedoria, apenas feeling e uma boa dose de sorte pois estava lá aquele de boca aberta á espera de qualquer coisa que passa-se perto dele.

A pesca têm destas coisas e cada vez mais acredito no velho ditado... " Um dia é do peixe, outro é do pescador "....Este sem duvida foi do pescador!!!






Ao Filipe João e ao Miguel uma grande abraço e não desmereçam pois o spinning tem destas coisas a qualquer altura a sorte pode mudar...

Um abraço para todos e até á próxima...

Pedro PJPescador