Os nossos amigos

sexta-feira, 20 de março de 2015

HELLION REVIEW

Boas,



Uma das canas que sempre me chamou a atenção ao longo dos anos foi a Hellion, lembro-me da primeira vez que a segurei e também da primeira vez que a lancei... Como costumo pescar com canas de outras gamas, sinto quase sempre, principalmente nas tubulares muita dificuldade em gostar desta tipo de canas... Ou as acho mal equilibradas, ou muito grossas, ou com ponteiras que não são nada pesqueiras, enfim, quase sempre lhes vejo defeitos que não me permitem dizer " olha aqui está uma cana interessante para o preço"...

Existe algo a que dou primazia acima de tudo no Surfcasting, e isso é ao equilíbrio entre uma cana ser poderosa e ser pesqueira, ou seja, gosto de canas com alguma robustez, mas que nos dêem prazer a pescar. Afinal de contas, nós pescadores lúdicos é isso que supostamente procuramos. Prazer, conforto, e claro performance... Daí me lembrar bem desse primeiro dia em que lancei uma... Achei desde o primeiro momento a Hellion uma cana relativamente leve, relativamente potente, mas acima de tudo com as tais duas condicionantes que eu tanto dou primazia... Achei-a muito equilibrada e muito, mas muito pesqueira...

Talvez por isso quando soube que sairia um novo modelo decidi que iria espremer este a fundo a ver que tipo de vantagens e desvantagens este podia ter sobre o modelo antigo...

Como não gosto de falar sem testar a sério os materiais, ou pelo menos sem ter feito algumas pescarias com eles, andei uns meses a usar a cana até lhe fazer uma review...

Desde já deixo a ideia de que fiquei e estou muito satisfeito com o que encontrei na Hellion Evolution. A cana é soberba para o preço que custa...

Desde o primeiro dia que fiquei descansado sobre as alterações feitas... Tinha receio, muito, que a cana tivesse sido demasiado alterada e que com isso perdesse o seu ponto mais forte, a sua capacidade pesqueira... Sem isso uma cana de gama Média/Baixa passa a ser apenas mais uma...

Na mão senti algumas diferenças para a versão anterior, mas como nada como testar, decidi levar a fundo o esforço de entender os porquês e de poder dizer de minha justiça que tipo de cana era afinal esta Nova Hellion...



Look/ Design:

Comecemos pelos aspectos visuais, que na compra de uma cana para mim valem o que valem, ou seja, a qualidade da cana é mais importante, mas consoante a gama a que pertence, sou mais e mais exigente... Ou seja, admito erros em canas mais em conta, e a medida que vamos subindo os valores vou exigindo mais e mais, sendo que nos topos de gama, se pede quase a perfeição...
Mas sublinho a ideia que serve para qualquer cana, antes um bom interior do que um bom exterior...

Bem, ao olhar para a Hellion reparo logo em dois ou três aspectos... A pintura é bastante aceitável, notando que não é nenhuma pintura top, até agora nada a dizer...
O pé da cana não sendo ergonómico, é simples e não desvaloriza o aspecto da cana, e finalmente a cor branca, bem, é sempre um pau de dois bicos... É bonito de se ver, pessoalmente gosto de canas brancas, mas têm um aspecto que muitos não falam nas reviews de canas que vou lendo, são canas que ao longe se vêm mal durante o dia, é impressionante o quanto este factor é real, mesmo nos passando despercebido.
Pessoalmente gosto da cor, como referi, gosto de canas brancas, mas a antiga azul, ficava muito bem nesta Hellion... Pormenores pessoais, nada que a meu ver seja decisivo na escolha...
O look de uma forma geral é simples, mas apelativo, e isso foi bem conseguido. Sem se poder investir muito neste aspecto optou-se pela simplicidade. A meu ver bem. Quando não se pode oferecer glamour, mais vale não inventar porque nas gamas baixas e médias quando se inventa muito normalmente cometesse erros... Quase sempre quem o faz, perde a aposta. ~
Ser extravagante em cores só quando se pode oferecer a máxima qualidade na pintura e acabamentos. Sendo que numa cana deste valor não se pode oferecer uma pintura e acabamentos TOP, considero bem conseguida a escolha.
A Hellion traz também umas guias para se unir os elementos, algo que eu reclamo nas canas e que me faz imensa confusão continuar a ver canas sem um acessório tão importante e tão simples. E claro, que venham direitas, pois algumas canas que usei ao longo dos anos, traziam guias dos elementos, mas quando montava a cana esta ficava com os passadores tortos...


Passadores, Porta-carretos e Componentes:

Os passadores são tal como os antigos low rider SIC, requerem cuidados, ou seja, não sendo Fuji, não nos podemos esquecer de lavar com água doce depois das pescarias... Não são dos passadores vulgares de gama baixa, mas julgo que digo tudo quando refiro que requerem cuidados... Não existem milagres, e necessitam da nossa atenção. Como lavo a minha regularmente, até agora com cerca de 6 meses de utilização estão como novos. Portanto cuidem deles, que dessa forma garantem passadores por um par de anos sem grandes problemas.
Sobre o Porta-Carretos, até agora nada a dizer, é um porta-carretos de grafite, normalmente são bons em canas de surfcasting, aguentam muitos anos, e a minha experiência diz me que até hoje só tive que trocar um porta-carretos na vida de grafite, o que não me parece estatisticamente significativo. Nem em canas muito baratas tenho tido problemas com este tipo de porta-carretos, pelo que não me apoquenta nada. Dou muito mais importância a necessidade de cuidar dos passadores, esses sim, necessitam da minha atenção.
O saco de transporte é bastante simples e prático, trás divisões. Não é rígido, mas ao menos tem bastante qualidade para o tipo de saco de que se trata.





Acção, Best performance e Tipo de acção:

A sua acção é 100-300 gramas... Prefiro não tecer grandes comentários, antes dizer que para mim o que faz uma cana é o que ela vale na realidade, não o que ela traz escrita no impresso... Este tema é hoje demasiado debatido, e sinceramente acho que as marcas deviam entender que o caminho mais correcto é sempre o de se chegarem o mais próximo possível do c.w. real das canas, mas quase todas preferem fazer a sua maneira, e vêm-se disparidades absurdas entre canas, o que é natural que nos confunda um pouco... Imagino o que é para um pescador inexperiente que nem sabe bem o que procura, ainda ter que entender o que a tal cana pode ou não lançar... Ou seja, acho que a qualidade da Hellion não precisa de ter um c.w. destes. Ninguém lança 300 gramas, e isso não traz nenhuma mais valia à cana. Marketing, tal e qual outras marcas o fazem, e que eu pessoalmente não gosto.

A sua Best-Performance foi testada ao limite por mim, comecei na primeira vez que a usei por 120. A cana mal arma. Quero fazer uma ressalva as pessoas. Quando tiverem uma cana nova comecem sempre por a testarem os primeiros lançamentos por gramagens pouco abusivas, de forma a sentirem a cana, a perceberem o que ela pode valer, a dissiparem dúvidas sobre o seu c.w.. Confiem no vosso instinto, que com uma cana na mão, normalmente até os menos entendedores entendem o que se pode ou não fazer... Acreditem que dá resultado, e acontecem menos desgraças...
De seguida lance com 130 e continuei a sentir pouca pressão e mal a cana armava o que me levou logo a trocar para 140 gramas, e aqui a cana começou a dar ligeiramente o chicote que lhe pretendia dar... No primeiro dia insisti muito, nunca deixei passar dessa gramagem, uma questão de ir a fundo com uma gramagem que já é muito usada e que eu pessoalmente uso frequentemente... Correu muito bem, senti que tirei partido da cana, que me trabalhou sempre bem, e que já segurava... Mas precisei de sentir mais, até porque eu próprio muitos dias preciso de mais chumbo durante os duros mares de Inverno...
Dia 2 e dia 3 dos testes foram para usar 150. Mar de feição para o uso deste peso. A Hellion neste dia esteve para mim a top, a armar, a pescar, a marcar... Tudo na perfeição, sem falhas, sem erros, e claro com o peixe a colaborar, senti que eu e a cana estávamos entendidos, e isso acreditem que é o melhor que podem sentir numa cana... Uma espécie de simbiose... Mas um amigo lançou-me o desafio de ir mais longe e claro tive que aceitar... Testar a cana com 160,  170 e 180 gramas...
Confesso que estava com algum receio... Não de partir a cana, mas da cana não se adaptar, enfim se a senti a armar na plenitude com 150 sabia que podia dar mais, pois não estava em esforço, mas tinha receio de perder a sua pescabilidade. Com 160, fenomenal novamente. A marcar, a trabalhar, sem qualquer problema. Com 170 ainda trabalhou bem, mas ou ela, ou eu, um de nós sentiu a necessidade de ir com mais calma. Digamos que senti que estava a fugir a sua best performance, e quando isso acontece numa cana, é porque já não estamos a retirar dela a máxima plenitude. Senti por isso, que não devem ir muito mais além com ela, pelo menos quem fizer lançamentos laterais, que castigam mais as canas. Fiquei me por aqui... Para entender o que precisava já chegava. Em termos de lançamentos laterais que castigam muito mais as canas não precisava de mais. Nos lançamentos por detrás das costas ela suporta um pouco mais de peso, trabalha bem até 180 gr.
Acima disso não considero que estejamos a dar um bom uso a cana.

Um dos aspectos que mais gosto na Hellion é a sua acção, a forma como a cana trabalha. Não lhe posso atribuir a denominada acção de ponteira, embora esteja lá muito perto, mas esta Hellion é uma cana de acção progressiva, com resposta rápida e que acompanha bem o movimento do peixe. É daquelas canas com que dá gosto trabalhar um peixe pois parece que entende a necessidade do momento. Isso não se explica, sente-se.

Peso:

É uma cana de peso intermédio para o momento actual piscatório. Não é uma cana muito leve como por exemplo algumas do mercado que já rondam as 500 gramas, mas a maioria dessas canas, são distintas, e poucas tão poderosas. E as poderosas são para outras guerras de preços, ou então muito menos pesqueiras.
Considero por isso que sem ser uma cana muito leve, tem um peso aceitável, se tiver em conta a potência da cana, e se a isso aliarmos o seu equilíbrio, o peso até passa mais ao lado do que por vezes em canas mal equilibradas onde o peso se nota muito mais.

Pescabilidade/Detecção dos toques:

Este é talvez o ponto que mais prazer me dá de todos falar. Este é o ponto mais forte da Hellion a meu ver. Os menos entendidos podem questionar o que é isto afinal da pescabilidade? Bem, costumo dizer que é a relação entre as necessidades do pesqueiro vs o prazer que nos dá em utilizar a cana ou a forma como esta se comporta em acção de pesca. Tenho canas mais poderosas do que a Hellion, mas nem todas me dão aquele prazer, aquela sensação no lançar, no trabalhar um peixe, ou seja, nem todas me dão garantias de ter prazer a pescar. Uma coisa é uma cana "fazer o trabalho" que se necessita para o momento, outra é retirarmos disso um real prazer de pescar. A Hellion dá prazer de se estar a pesca. Consegue aliar potência com sensibilidade, e isso é para mim fundamental.

Como sabemos o aparecimento das canas híbridas trouxe ao mercado novos leques de opção, novas formas de pescar, em que a ponteira mais sensível consegue sem dúvida uma superior detecção dos toques do peixe. Mesmo considerando que em pescas a exemplares de tamanhos minimamente aceitáveis esse factor não é preponderante, na realidade confere as canas uma tal de pescabilidade superior. A maioria, julgo mesmo que a esmagadora maioria das canas tubulares não o fazem bem mercê da forma como foram construídas... A Hellion ao invés, sempre me deliciou por isso, por ser uma cana que marca bem, o que para a sua potência é realmente impressionante.
A meu ver é claramente a sua imagem de marca, aquilo que a pode diferenciar das demais do seu "escalão".
Uma relação maravilhosa entre potência e pescabilidade.


Lançamento e Manuseamento:

Uma das coisas boas que uma cana pode ter é permitir que qualquer pessoa possa retirar dela o máximo partido. As questões do lançamento suscitam muitas dúvidas e não é o artigo ideal para falarmos desse aspecto, mas o que é importante que se retenha, é que existem alguns tipos de canas, sendo que as muito macias, não se lançam bem lateralmente, o que prejudica quem assim o faz, as de acção de ponteira, cujo 2ª elemento seja muito rijo, não servem para quem lança por detrás das costas, mas este tipo de acção que a Hellion tem, que pode não ser o que mais gostemos, mas é sem dúvida adaptável a qualquer tipo de lançamento. Fiz testes por detrás da cabeça, com a chumbada no chão lateral, fiz groundcast, e gostei sempre do comportamento dela. Senti que conseguia tirar um rendimento elevado com ela a lançar de qualquer das formas, e isso é outro aspecto importante e forte nesta cana.




Dados técnicos:

Marca:
Vega
Código Cana:
----
Ano do modelo:
2014
Material da Cana:
High Modulus Nanoflex Carbon
Comprimento de transporte:
157 cm.
Número de Secções:
3
Número de Passadores:
8
Peso da cana:
610 gramas
Tipo de Passadores:
Low Rider SIC
Porta Carretos:
Tubular Grafite
Categoria da Cana:
Surfcasting
Acção ( C.W.):
100-300
Best Performance:
140-160 ( OTG)
150-180 ( Lançamento por detrás da cabeça)
Tipo de acção:
Progressiva
Diâmetro
Pé da cana: 23 mm.
Ponteira: 3 mm.
Côr:
Branco Pérola
Tipo de saco:
Não rígido, com separadores
Contrapeso:
Não
Guias de encaixe:
Sim

Conclusão:

Quando se faz uma review a uma cana ou carreto tem que se ter bem em mente o valor do artigo proposto. Não posso pedir a uma cana deste valor alguns toques de requinte de outras do mercado que até gostava pessoalmente que a cana tivesse graças a sua fenomenal pescabilidade, mas posso pedir a uma cana deste valor que já me consiga dar alguns dos pontos que considero essenciais numa cana. Nisto cada pessoa tem que saber bem quais são os seus... Não somos todos iguais, não gostamos nem necessitamos todos do mesmo.
Uma review, lembrem-se é sempre algo pessoal, feita por um autor que tem os seus conceitos, as suas necessidades e a sua forma de ver as coisas. Eu não sou diferente.

Eu que dou preferência à pescabilidade vs potência numa cana, fico sempre satisfeito quando pesco com a Hellion. É uma cana que me dá garantias, boas sensações e tem se mostrado à altura das minhas necessidades. O melhor elogio que lhe posso fazer é que quando pesco com ela não me lembro do seu preço, é me igual a pescar com canas que possuo de 300 ou 400 euros. Só me lembro da sua gama quando chego a casa e me lembro que tenho que a ir lavar para garantir que os passadores duram uns anos...

Tenho alguns aspectos que quero ver respondidos, mas isso são situações que só os anos vão responder, que são a durabilidade da cana em si, ou seja a capacidade de duração do carbono pois a Hellion tem uma espinha dorsal ao nível de canas de patamares superiores, tem uma pescabilidade como pouquíssimas canas tubulares o têm, seja em que patamar de preços possam pensar ( e aqui é algo que acho fenomenal na cana), logo se com os anos o carbono conseguir se manter em condições e a vara for durável, estamos perante uma cana conseguida na perfeição para as necessidades e para o "bolso" do pescador lúdico Português.
Tenho um desejo, o de ver a Hellion na sua versão híbrida, quem sabe se um dia não temos uma surpresa ;). Julgo que seria uma vara com um sucesso igual a versão tubular... Vamos esperar e ver...


FilipePC

2 comentários:

Os Pescas disse...

Grande Filipe :-) Está muito fixe o artigo amigo e é uma grande ajuda para quem está a começar a pescar e que não sabe o que procurar numa cana de surfcasting.

Grande abraço mano

Luís Malabar

Joaquim Carlos Araújo disse...

Como alguém disse: Fiquei com vontade de ir comprar uma :)

Um abraço