Os nossos amigos

quarta-feira, 10 de junho de 2015

POLÍCIA MARÍTIMA NO TEJO - A RAZÃO NÃO JUSTIFICA TUDO...

Este Domingo o Tejo foi assolado por um mini tornado, e no meio da confusão entre barcos e veleiros uma abordagem da polícia marítima a uma embarcação está a ser badalada...





Não vou tecer grandes opiniões, porque não estava lá e porque para se dar uma opinião obre um assunto deve-se ver todo o acontecimento.
Apesar disso, fica claro que este tipo de abordagem a uma autoridade é mais do mesmo e revela insasatez, e a resposta não cai nada bem para a instituição. A polícia deve servir exactamente para acalmar os ânimos e não para os incendiar. A actuação do agente em causa põe em risco a meu ver que a situação se torne mais grave mesmo tendo razão na forma como foi desrespeitado.

A atenuação que lhe dou ( além de não se ver como tudo começa), tem a ver com logo no 1º segundo do vídeo, alguém da embarcação dizer algo provocatório para a PM, que parece ser "
EPA VÁ MARRAR COM OUTRO..." Julgo ser uma falta de respeito para uma autoridade e que podia até ser considerado como justificação para uma detenção...

... Mas torno a dizer que um Agente de autoridade não pode jamais reagir a quente a coisas tão simples e que podem facilmente ser resolvidas... Não houve, detenções, violência física, mas... Fica a ideia que podia ter sido evitado... E que a coisa podia ter se tornado mais grave.

À malta que navega pede-se calma e respeito para com quem fiscaliza, e a quem fiscaliza, julgo que se deve pedir o mesmo... Calma. Não fica bem a ninguém... E na vida muitas vezes temos que ter calma para não criar mais conflitos e muitos deles desnecessários...

A RAZÃO NÃO PODE JUSTIFICAR TUDO...
Embora por vezes atenue a gravidade dos actos...

VÍDEO:

Aos meus colegas lúdicos, evitem este tipo de coisas... Só nos prejudica.
À Polícia, seja ela de que tipo for, perdoem-me a honestidade, mas não acho piada nenhuma ver abordagens deste tipo... Mesmo tendo razão.



18 comentários:

. disse...

Desculpem o meu comentário mas aqui ficou provado mais uma vez que certos agentes por envergar uma farda e serem da autoridade podem logo encher o peito de ar e com tom ameaçador dizer o que se disse e pronto...

Marco Silva disse...

No meio disto tudo acho lamentável o "Sr." Agente da Policia Marítima com os calores do momento e por um motivo "parvo" por em causa a sua própria vida, por causa de uma discussão de palavras para não falar no modo de actuação MUITO a desejar.

Ricardo Gonzalez disse...

WTF ? El cafe del desayuno descafeinado...

Bruno disse...

Não existe nada de negativo a criticar por parte da actuação do agente! Não só esteve bem com tb é legítimo, aliás acabou por resolver a situação da forma menos agressiva! E aos críticos que nunca deixaram as saias da progenitora, cresçam e façam se homens tanto quando são insultados como quando acham que podem "arcar" com as responsabilidades de insultarem um agente de polícia. Dêem se ao respeito e serão respeitados. Cumprimentos a todos.

Anónimo disse...

Que atitude pretendiam que o polícia tivesse?
Pedagógica?
Ensinar um homem com mais de 50 anos que é incorrecto dizer o que ele seguramente lhe disse?
Há malta que só vai lá mesmo à bruta.

francset disse...

Miserável este documentário
O pm a abusar da autoridade, pois não se nota que peça autorização para entrar a bordo, a lei não lhe permite, mas enfim mais um abuso por parte da pm, alguns não me refiro a todos.
Isto carecia de participação no respectivo livro de reclamações, mas as pessoas teimam em deixar andar ....

Anónimo disse...

lol...Não me diga agora que a polícia marítima tem que pedir autorização para entrar a bordo??? lol...é de rir...e onde está isso escrito? O que há de errado com a atuação desdestes agentes é que deviam de ter detido aquele miserável que não teve respeito nenhum pelas pessoas que lhe estavam a dar uma instrução legítima...sendo que o comentário tecido "EPA VÁ MARRAR COM OUTRO..." é mais que justificativo para tomar esta atitude...o povo não tem respeito pela autoridade mas quando precisa dela...

Anónimo disse...

No exercício da sua missão, o agente da PM tem livre acesso a qualquer navio ou embarcação...pedir se pode subir a bordo trata-se de cortesia e boa educação...mas a boa educação fica bem a todo o cidadão e não só aos agentes da autoridade.

Os Pescas disse...

Olá a todos, como vêm cada qual tem uma opinião distinta...
Sobre o assunto abordagem, não sei sinceramente se pode ou não fazê-lo, mas vou saber para poder elucidar vos. Abraço.

Os Pescas disse...

Boa tarde, devido aos muitos emails que recebi, com muita confusão por parte da malta uns a defenderem um lado, outro outro... Fiz questão de falar com a PM sobre a questão da abordagem sem pedir autorização... Bem, a PM não tem segundo a lei que pedir qualquer autorização, sendo que o faz por mera cortesia. Neste caso, e após o veleiro ter desrespeitado anteriormente outras embarcações de autoridade, e após o fazer com esta, teve que fazer este tipo de abordagem. Pessoalmente e embora ache que se pode evitar o stress, entendo e aceito a explicação e espero que ajude quem tem barco para futuras ocasiões. Uma coisa é certa que foi o que me foi explicado e tenho que aceitar... Se na estrada nos mandarem parar e não o fizermos... O que se considera? Fuga a autoridade? Desrespeito? Espero que a explicação que me foi dada seja explícita.

Anónimo disse...

Fiquei na dúvida...
Alguém está a fazer o seu trabalho, é desrespeitado e insultado.
Para começar, perguntava logo se ao utilizar termos da tauromaquia, o bom cidadão não julgaria estar a falar com o seu progenitor, ou talvez com o seu conjuge, claro que sempre educadamente, depois logo se veria, mais uma vez educadamente que é para isso que pagam aos polícias.
Temos todos um umbigo grande, respeitar os outros é que é mais difícil, ainda para mais no seu local de trabalho, é tão bom achar que as leis devem só ser aplicadas aos outros, principalmente quando somos nós a trangredir.
Se o agente atuasse sem palavras e detivesse o autor, que podia legitimamente, então era um malandro que prendia as pessoas. Esse foi o erro, ser um gajo porreiro.
É a minha opinião

Os Pescas disse...

Como vos disse eu entendo ambas as interpretações, mas não se pode fugir ao facto de a PM ter aqui razão. Isso não significa que EU pessoalmente não ache que mesmo assim não devesse ter tido uma abordagem mais calma naquele momento. E que mesmo que possa subir a embarcação não o deva perguntar primeiro. Mas tenho que aceitar a justificação da PM neste caso, que epa, acho até coerente para o que se passou.

Acima de tudo julgo que fica um exemplo para o futuro e ao menos ficámos a saber que na prática podem nos abordar e subir a embarcação sem autorização, mas que por norma o fazem já para evitar stresses. EU como tinha essa dúvida passo a estar esclarecido. Um abraço a todos e calma.

Anónimo disse...

Caríssimos, é por demais importante que antes de formarem opinião sobre o assunto, todos os leitores tomem consciência da contextualização da ação.
Este episódio foi filmado durante uma regata "VOLVO OCEAN RACE" (evento internacional- volta ao mundo com etapa em Portugal- oficialmente considerado de interesse Nacional) que decorreu no rio Tejo durante duas semanas. O timoneiro da embarcação e restante tripulação, para além de terem disponíveis os editais e avisos à navegação, foram reiteradamente informados e orientados no local para o cumprimento dos limites da zona onde poderiam navegar de modo a poderem assistir à prova sem por em causa a segurança da mesma. Ainda assim, não obstante o mencionado, numa clara demonstração de falta de respeito e cidadania, continuaram a não cumprir com as determinações dos agentes da PM. Como podem verificar o autor do vídeo teve a preocupação de omitir a ação anterior à abordagem da PM ( mesmo assim foi descuidado e deixou lá o "... é pá vai mas é marrar com outro".
Ter dinheiro não significa necessariamente ter riqueza ..... e o polícia não tem que ser padre/ professor ou psicólogo, tem que garantir a segurança de todos os cidadãos.

Anónimo disse...

A Policia anda a tomar muitos esteroides, depois anda assim, sempre muito nervosa.

Anónimo disse...

Esta faz-me lembrar a história do velho, do rapaz e do burro!
Se o polícia detivesse o homem - era malandro!
Se o agredisse - ainda pior!
Advertiu-o de que não deveria tecer ofensas e respeitar a autoridade, através do agente - tambem acham mal!
Mas o que é que esta gente quer?
Alguns senhores, proprietários de embarcações de recreio, tratam por "TU" os cinco melhores almirantes do mundo.
Depois, acham que podem fazer xi xi e có có em cima de quem anda a trabalhar - e ainda por cima, para a segurança deles!

Anónimo disse...

A PM tem segundo a lei o direito de visita sobre qualquer embarcação/navio, sendo que o impedimento do seu direito por parte de quem manda na embarcação ( proprietário/ comandante, mestre ou arrais etc.) resulta pelo menos numa coima no mínimo de 2200 euros, para além de eventual ação criminal por desobediência. Sobre a situação em concreto, só pelo facto da embarcação ter navegado dentro da área do evento infringiu uma norma - segurança da navegação - prevista no regulamento da náutica do recreio com coima mínima de 250 euros. A norma diz que as embarcações de receio devem navegar, fundear ou varar com respeito pelas cartas de navegação nacionais e pelos avisos e ajudas à navegação. Certamente que foram oficializados por aviso pela Capitania o evento que se estava a realizar, portanto, só as embarcações devidamente autorizadas é que poderiam estar na área do evento. Assim sendo houve responsabilidade contraordenacional e eventual responsabilidade criminal pela ação tomada pela embarcação de recreio. Na minha opinião o agente PM fez bem o seu trabalho face À situação gerada no momento; ao fim e ao cabo, era preciso dar resguardo ao perímetro segurança para que as embarcações participantes do evento pudessem realizar a prova.

Anónimo disse...

Embora responda tarde a este post, posso vos dizer que estive de veleiro a assistir à VOR, a PM para mim pessoalmente foi por várias vezes mal educada sem qq noção do que estava a fazer. O exemplo mais simples que posso dar era de existirem barcos da organização que tínhamos de estar por detrás deles. Eu sempre o respeitei mas vieram por várias vezes ter comigo de modo agressivo estúpido autoritário e de possíveis frustrados ordenarem para recuar, quando aí pela terceira vezes tentei educadamente dizer que teriam de dar essa indicava ao Marshall boat. Bem até a minha avó foi ofendida pela PM.

Segunda questão a embarcação do vídeo é de bandeira estrangeira, logo a PM não pode subir a bordo.

Os Pescas disse...

Fica o seu parecer, agradecemos a explicação. Cumprimentos.