Os nossos amigos

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

( VINIL) ROBALO XL SOLITÁRIO


Boas a todos.


Depois de umas jornadas ao surfcasting, havia já uma saudade de procurar os robalos de outra forma...





Foi então que vi o vento ia ser muito pouco e as marés não eram de grande amplitude o que dava para ir passear de barco à procura dos tarolos.
Falei com o Joaquim e rapidamente se confirmou que iriamos à “caça” nesse dia.
A ideia era fazer pesca vertical entre vinis e zagaias, e se não resultasse iriamos ao plano B- trolling.

Eram seis da matina e já estava na marina. Sem antes o Joaquim não ter feito uma das suas. Recebi uma mensagem a dizer que tinha de voltar atrás pois tinha-se esquecido da chave do barco. EHEHEHEHH.
Típico do Joaquim, é uma marca registada que ele tem, esquecer-se de qualquer coisa importante para aquele dia de pesca.
Deixo aqui algumas das peripécias que ele faz para nos rirmos um bocado porque a pesca não é só feita de peixe:

- Noitada de surfcasting na costa alentejana, e a meio do caminho lembrou-se que não tinha trazido espetos para a pesca... EHEHEH

- Mais uma noitada de surfcasting e depois de andarmos uns 500 metros pela praia ele diz: “ Esqueci-me da comida e da água no carro... Não faz mal, se estivesse em casa a estas horas também não comia. Mas se fosse o tabaco ia lá...” EHEHEHEH

- Contudo uma pessoa excelente sempre disposta a ajudar e que é amigo do amigo. Para ele um grande abraço e fico feliz por pertencer ao nosso GANG.

Passemos então este momento de comédia e voltemos ao dia da pesca.
Lá arrancámos para o primeiro spot onde tem saído uns pexecos. Às primeiras passagens nada de marcações de peixe. Mas sabemos que tem sido assim, naquele spot não se marcam muitos peixes mas durante as derivas aparecem uns quantos e são de bom calibre.

A certa altura o Joaquim tem um bom ataque mas que se desferra rapidamente. Na mesma passagem eu sinto um toque mas nem ferrou.
A maré começava a correr mas o barco derivava mais devagar que a amostra o que nos obrigava a pescar mais pesado mas mesmo assim a amostra afastava-se muito do barco o que nos dificultava o trabalhar da mesma.
Durante uma boa meia hora foi muito difícil manter as pescas na vertical e assim não era fácil pescar, até que a coisa começou a amainar.
Sinto um ataque e faço a ferragem mas era apenas peso, logo já sabíamos o que seria, um grande XARROCO.... É sempre uma palhaçada a bordo quando alguém tira um peixe desta qualidade. EHHEHEHEH!!!

Continuamos a pescaria e a sonda ia marcando uns peixes isolados no fundo e umas manjas pequenas a meia água.
Como a maré já deixava a pesca na vertical lá experimentei voltar aos vinis mais leves e lá pus um kaki de 30gr a ver o que dava...
O vinil não ficava completamente na vertical, mas dava para sentir bem o fundo, e lá comecei a trabalhar. Entrecalando com movimentos mais rápidos outros lentos, uns que subia mais a ponteira da cana outros apenas uns toques de ponteira, mas sentia sempre o vinil a trabalhar bem e achava que não havia necessidade de aumentar o peso naquela momento.
É então que numa animação em que subi muito o vinil e o deixei cair de forma lenta e controlada que tenho um ataque brutal, com muita força. O peixe dá logo uma corrida para o lado oposto do barco e fiquei a pensar se seria uma corvina numa das suas tipicas corridas laterais, mas logo depois volta para o lado do barco onde o tinha ferrado, e começo a recolher mais linha, mas mal o peixe vê o barco aí sim veio os ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzzzzzzz que tanto gostamos, que grandes corridas deu ele, e eu já tinha o drag bem fechado para que um peixe pequeno não levasse linha nenhuma, então fecho mais um bocado o drag e aperto com ele e vemos a cor de um belo robalo, rapidamente encestado pelo Joaquim. Que alegria nos deu aquele momento, e foi uma boa luta que me deu.

...





A pesca continuou, mas até ao final do dia só tirei mais um bonito peixe mas que devolvi ao seu habitat. Um belo ruivo.





Ainda mudámos de táctica e de spot experimentámos o plano B, mas a pesca estava condenada a um só troféu e rumámos para casa pois esta tinha sido combinado ser uma pesca rápida. Muito obrigado ao Joaquim por mais umas horas de pesca e de grande convívio e companheirismo.

Não sei se ainda volto a fazer alguma pesca no estuário antes das corvinas entrarem... Se não, até lá malta...








Material:

Canas: Vega Ogawa, Cinnetic Capture Labrax
Carretos: Shimano Biomaster C5000(2) kitados no TOP FISHING
Amostras: BM Kaki, Blue e zagaias
Leader: Seguar Ace 0,47 mm.


Guilherme, Joaquim

3 comentários:

Joaquim Carlos Araújo disse...

Vamos ver se o tempo ajuda. Este Inverno não tem sido muito colaborante.

Também já tenho saudades dessas "meninas"

Grande abraço

Os Pescas disse...

Parabéns meu amigo por mais um lindo peixe e espero que ainda tires muitos antes da época acabar :-)
Pena o do joaquim ter bazado mas ele vai ter mais oportunidades :-)

Grande abraço para os dois

Luís Malabar

luis domingues disse...

Parabéns pelo tarolo! :)