Os nossos amigos

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Labrax Topwater Hunting

    

       Boas pessoal........

                    Vou começar por relatar o que se passou nos 4 dias antes da lua cheia.

     1º Dia


     Depois de alguma insistência por minha parte e pelos meus dois amigos, Valter e o Pedro na perseguição aos nossos amigos labrax ter sido infrutífera, grande parte derivado á quebra de temperatura que se fez sentir nessa semana, juntamente com as águas barrentas que assombraram a nossa costa oceânica em vários pontos de pesca.
     Apenas foi possível a esperança de os capturar quando faltava 4 dias para a lua cheia e com a ajuda do tempo das diversas maneiras ter limpo a água de forma significativa permitindo a aproximação dos robalos nos nossos pontos de caça.
     O primeiro a ser brindado foi o meu grande amigo Valter que após a manhã desse dia em que estivemos os 3 a ver se eles andavam lá e sem sucesso, decidiu voltar novamente ao mesmo sitio para fazer a vazante ao fim do dia.
     Segundo ele me contou depois de chegar ao pesqueiro, efectuou vários lançamentos e todos eles sem sucesso, até que decidiu trocar para uma amostra branca transparente de cabeça vermelha e que ao segundo lançamento, ainda ao longe, ver um estardalhaço na água e logo de seguida sem conseguir ver direito, sentir na cana a pressão e efectuar a ferragem com sucesso....estava quebrado o enguiço do inicio da semana e a confirmar a entrada deles na zona.
     Foi um peixe segundo ele, que não exigiu muito trabalho pois quando chegou até ele para ser içado por um xalavar já estava totalmente cansado de batalhar pela vida.
     Foi o primeiro robalo a abrir as hostilidades da semana com 4 quilos e 500 capturado com passeante para muita alegria do meu amigo Valter.
     Quero apenas salientar que a captura se deu por volta das 8h da tarde com o céu totalmente nublado e com a água menos, mas ainda tapada.
     Estas fotos foram enviadas para o meu telemóvel, tiradas pelo telemóvel dele visto ele não ter camera fotográfica para o fazer, com muita pena nossa a qualidade de imagem não é nada boa, ficando de qualquer das formas o registo do Labrax.



 Labrax de 4 quilos 500


2º Dia

       No segundo dia após o telefonema do Valter na noite anterior sobre a captura do peixe, decidi efectuar o amanhecer com a companhia do Pedro. Neste caso o Valter não pode comparecer visto estar a trabalhar sobrando para nós a bela tarefa de subir a fasquia imposta pelo Valter de 4 quilos e 500 com amostra de superfície.
    Nesse dia chegamos por volta das 4h30 ao pesqueiro, ainda de noite para que pudesse-mos equipar nas calmas e sem pressas. Depois de equipados lá fomos a pé para o pesqueiro e pedras aonde o Valter tinha cravado o peixe no dia anterior, tudo isto para fazer o amanhecer.
     Após amanhecer, lá escolhemos cada um a sua passeante e vai de lançar.......lançar........lançar......e nada......não se dava nada. Bem pensei eu......a maré está a parar....aqui não dá nada o melhor é ir a outro sitio bem perto deste, que a meu ver é melhor na paragem da maré. Assim foi disse ao Pedro e lá fomos os dois.
    Chegando ao novo sitio encontrei 2 pessoas conhecidas e até em brincadeira disse a uma delas: vá deixa-me ir para ai porque eu vou tirar um peixe grande e tu vais ajudar-me a tirá-lo.
    Claro que toda a gente se riu. Nisto subo para uma pedra e o Pedro para outra do meu lado esquerdo e vai de lançar.....lançar......lançar....até que o meu passeante que vinha todo contente ora a chapinhar ora a fazer o walking the dog quando subitamente para mal e bem do meu coração sofre o primeiro ataque, e que ataque....o peixe falha mas possibilita-me ver o seu tamanho, que neste caso era de bom porte. Após ter falhado o 1 ataque ele efectua o 2 não conseguindo á mesma capturar a sua presa indefesa.....nisto quando ele falha o segundo ataque é que eu vi que o peixe estava completamente furioso por não o ter agarrado, pois com os meus olhos vi ele a dar 2 voltas debaixo de água com toda a sua força e velocidade para ganhar impulso para o 3 ataque isto com medo que a sua presa consegui-se fugir dele.
     Assim que ele acaba de dar a 2 volta sai disparado ao passeante com toda a certeza que não fugia....é incrivél ver estas imagens....nunca vou me esquecer destas imagens........e com toda a certeza conseguiu abocanhar o seu peixe.....assim que eu vejo o passeante afundar..logo de seguida a tensão na vara é que energeticamente faço a cravagem da amostra no Labrax.
      Como é incrivél a sua energia possante de um já Sr Labrax. Nisto ele tenta arrancar em direcção ao fundo pois é a sua única salvação em busca de uma pedra para se conseguir soltar do que ele pensava ser um peixinho ferido á sua merece. Nesta situação o melhor é nunca o deixar ganhar fundura quando sabemos que existe pedra, pois ai torna-se muito complicado voltar a trazê-lo á tona de água........zzzzzzzzzzzzzzzzzzzz..zzzzzzzz.zzzzzzzzz........ o peixe faz força mas apenas consegue levar pouca linha......neste caso apenas a suficiente para o deixar de ver........a vara vergada com o seu peso mas sempre a cansar o peixe que pouco tempo demorou até ser obrigado a vir á tona de água.....assim que o consegui ver por breves instantes ele arrancou.........arrancou em direcção a umas pedras que se encontravam á direita de onde eu estava....zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz.zzzzzzzzzzzzz.............zzzzzzzzzzzzzzzzzzz......zzzzzzzzzzz.....até que fui obrigado a fechar mais o drag para impedir que ele consegui-se lá chegar.
      Estava cansado o meu Labrax, sem forças para mais....sucumbiu aos meus pés pronto para ser apanhado pelo Pedro que logo se deslocou para o apanhar neste caso com as mãos, pois nem ele nem eu tínhamos nada para o remover da água.
      Foi uma bela luta que me deu.......com um dos ataques mais bonitos que presenciei e com uma luta a condizer com o seu peso...já cá fora foi pesado atingindo os 5 quilos e 200 gramas, tornando-se o maior labrax capturado por nós com passeantes.
      Resta-me dizer que o Pedro ainda teve um ataque mas que não conseguiu ferrar tendo tido apenas um oportunidade para o fazer visto que ele não investiu mais sobre o passeante.
      Aqui fica um dos momentos mais marcantes até agora vividos por mim nesta arte de pescar



Labrax de 5 quilos 200g
                                                 
   
       Ainda neste mesmo dia depois de termos ido embora, resolvemos voltar mais tarde para fazer a maré da tarde que coincide sempre com a da manhã.
       Chegamos as pesqueiro novamente eu e o Pedro  pois o Valter estava a trabalhar, por volta das 3h da tarde com bastante tempo até á vazante pois ela estava vazia por volta das 8 ou 9 da tarde.
       Fomos mais cedo simplesmente porque queria aproveitar para apanhar sol..:-) enquanto descansava um pouco antes de pescar na baixa mar.
       Era meia maré quando eu , cansado de estar de papo para o ar resolvo fazer uns lançamentos enquanto o Pedro comia desalmadamente...lol.....escolhi o passeante em função do mar e vai de lançar........lançar......lançar.......até que num dos lances enquanto estava a passear o meu peixito consigo ver um Sr Labrax daqueles que raramente se deixam ver......era a meu ver peixe para 8 a 9 quilos...era enorme e deslocava-se na direcção do meu passeante mas com a astucia de muitos anos de vida.....
     Enquanto eu estava concentrado neste grande peixe, apercebo-me que entra outro Labrax a todo gás atrás da amostra e para mal dos meus pescados afasta o maior e rapidamente ataca o meu passeante sem medos.........1 ataque....ferragem e já está.....nisto chamo logo o Pedro e ele mal se apercebe que tinha um peixe, larga tudo o que estava a fazer.....lol...agarra na cana e vai de lançar mas sem sucesso.
   Visto ser um peixe mais pequeno facilmente foi tirado da água sem dificuldades.....bem lá continuamos a pescar até ao fim da vazante até virar um pouco mas sem sucesso pois eles não apareceram mais.
    Deixo aqui a foto de mais um belo Labrax com 2 quilos que ajudou a finalizar o dia de pesca.


Labrax com 2 Kilos


   3º Dia


    Após as capturas no dia anterior, lá fomos os 3 da vida airada sempre na galhofa e a rir a conversar sobre as experiências de pesca e novas maneiras de os apanhar, ou seja.......amostras.
    Chegámos ao pesqueiro por volta das 4h30 da manhã, equipámos-nos e lá fomos nós por ali fora em direcção ás mesmas pedras aonde tínhamos pescado no dia anterior. Mal chegamos escolhemos as pedras e vai de lançar.......lançar......lançar....até que amanhece e por volta das 8h começámos a sentir peixe...pequeno mas era peixe....até que o Pedro abre as hostilidades e saca uma baila agarrada ao passeante....lol
    Bem, para ser um pouco breve na história, posso dizer que eu tirei 4 bailas o Pedro 2 e o meu amigo Valter outras 2.....robalos nada pois se elas andam lá é para esquecer os robalos neste pesqueiro.
    durante esse tempo todo nunca sentimos nenhum ataque por parte dos robalos, apenas das bailas, até que com a força da maré elas afundaram e chapéu...desapareceram.
    Arrumamos  a tralha e fomos para casa todos contentes das vida pois já tinha dado para nos divertirmos.
    Quero apenas salientar que o meu amigo Pedro foi fazer a maré do fim do dia no mesmo sitio aonde o Valter tinha apanhado o peixe de 4kl e 500 g e segundo ele, que nos contou....quando lá chegou ainda no luz fusco quando estava sozinho. Assim que fez o primeiro lançamento teve 5 ataques em que não conseguiu ferrar nenhum até que depois fez outro lançamento em que mal a amostra caiu na água e começou a trabalhar o passeante, levou uma porrada e que lhe levou por volta de 170 metros de linha até que partiu a própria linha na zona em que estava mais danificada. Ele disse que nunca tinha sentido nada assim em força e que não sabia o que fazer a não ser tentar travar a progressão.
   Pois bem, o resultado foi que, após levar essa quantidade toda de linha sem parar e que acabou por partir ainda efectuou mais 3 lançamentos e no terceiro a cana feita pelo construtor de canas Nuno Paulino se partiu ao meio. Agora imaginem a força que foi exercida com a vara para ela quando voltou á sua posição normal depois de o peixe ter partido a linha. Ele ligou para mim a contar a história toda e eu sei provavelmente o que foi que atacou a sua amostra.....outro predador que aparece por esta altura mas que até é raro por estes lados.
    Não vou dizer o que penso que seja pois tenho uma ideia e para ser mais preciso precisava de estar ao pé quando se deu esse ataque, pois por ai saberia o que era através da velocidade e do tempo de corrida desse peixe tal como o tempo de descanso entre as mesmas.
    Pois bem foi assim que se passou o 3 dia com bailas e uma baixa em material, que neste caso uma das duas varas de spinning do Pedro.
    Lamento não ter fotos mas ninguém se lembrou de tirar fotos ás bailas.


    Lindo fim de tarde
          
    4ºdia

      Era por volta das 16h quando fui para o pesqueiro na tentativa de capturar outro Labrax, fui sozinho visto o Valter e o Pedro não se encontrarem disponíveis.
     Chegando lá verifiquei que o estado do mar era muito e que seria necessário esperar pela paragem da maré, possibilitando nessa altura utilizar os passeantes e conseguir trabalhá-los.
     Assim que o mar acalmou comecei a pescar e vai de lançar.............lançar...........e á medida que ia lançando o mar era cada vez menos. Num dos lances que faço com o passeante á medida que ele vinha ainda longe, consigo ver 5 Labrax´s em formação como tantas vezes já tinha visto noutras alturas a pescar sem passeantes..... mas que desta vez corriam atrás do meu passeante.
     Posso dizer que a formação deles de caça até agora que eu tenha visto é feita em forma de U mas menos acentuado, em que vai um no meio, outro de cada lado e outros dois nas pontas a fazer de extremos...lol
     O que se passou foi o seguinte, assim que os vi, na mesma altura, vejo o labrax do meio a fazer uma aceleração de um momento para o outro para tentar caçar o passeante...ele rasga a água e falha a presa...ele viu que falhou e volta á formação, quase de imediato vejo o que estava do lado esquerdo dele a fazer o mesmo que ele tinha feito...a passar de primeira para quinta a rasgar a água com a cabeça e também ele a falhar o passeante e logo de seguida a voltar á formação...já pensava eu....então????....nisto assim que o segundo volta á formação, vejo o que estava do lado direito dele a fazer exactamente o mesmo e também ele a falhar mas ainda acertando no passeante pois senti uma leve prisão, mas não a suficiente.....já dizia eu.....então...não há nenhum com a pontaria afinada???.....deve ser por causa do vento que faz esta carneirada no mar e é mais difícil para eles acertarem.
      Foi então já para desespero meu que com o passeante a chegar ás pedras vi uma imagem lindíssima de como trabalhar em equipe. Vejo os 3 do meio alargarem entre si o espaço e os dois peixes que estavam nas extremidades a mergulharem os dois e a fazerem ao mesmo tempo o ataque de baixo para cima com toda a velocidade em direcção amostra. Ai não deu hipótese, pois o que consegui-o chegar primeiro agarrou amostra pela cabeça saltando fora de água com ela na boca e logo de seguida afundando com toda a sua força, assim que ele caiu na água e afunda foi o momento de o cravar sem dando hipótese nenhuma ao peixe, os outros labrax assim vêm que a presa foi capturada afastam-se da mesma forma como apareceram.
     Não fazia mal, o meu já não fugia, faltava tirá-lo. Visto ter sido em cima da pedra não podia lhe dar espaço nenhum para afundar e perde-lo, apertei rapidamente um pouco o drag e apesar de ele puxar, pouca força fez, talvez derivado ao desgaste da perseguição. Pouco tempo demorou para o cansar e o colocar aos meus pés para tirá-lo da água.
     Arrumei o peixe e ainda efectuei mais lançamentos, tendo mesmo sofrido um novo ataque mas que não ficou, não voltando atacar mais.
     Já estava contente com mais um belo Labrax e principalmente com tudo o que tinha presenciado até o capturar.
      Aqui fica mais uma foto de mais um lindo peixe que pesou 3 Quilos e 400 e que me deu um grande gozo apanhar amigos.

                                                            
Labrax com 3 quilos e 400

                                         
 È por estes momentos que eu pesco, pois são únicos.

                                                             
  Um grande abraço a todos e até breve

  Luis Malabar

6 comentários:

Os Pescas disse...

Tantos dias depois a tia peixeira lá te descongelou 3 robalitos bebés para fazeres um relato aqui no nosso blogue, eh eh eh.
Lindos pá, realmente andas com muita sorte, ou coisa parecida, lol.
Filipe.

mankate disse...

palavras para quê...

abraço malandro!

Rui Louraça

Os Pescas disse...

Boas amigos..:-). é verdade Filipe são os meus bébés..lol..e que feliz sou de ser pai deles..lol
Grande Rui a vêr se dizes alguma coisa amigo para podermos falar os dois quando tiveres tempo pois ainda hoje liguei-te mas devias estar a trabalhar.
Obrigado aos dois pelos comentários e lá a partir de 4 feira espero ter mais novidades..hehehe.
Até lá aquele abraço

Luis Malabar

mankate disse...

Grande pescador.
Vi as tuas chamadas, mas estava cheio de trabalho, não deu mesmo para atender.
Ainda pensei que andasses por ali, mas olhei para a tua pedra e não te vi lá...

temos que falar sim
Grande abraço

Os Pescas disse...

Mais do mesmo, como já aqui foi dito, palavras para quê. Sei que não procuras a fama mas não te vais livrar dela, para mim o melhor em Portugal neste momento.

Carrega amigo,
Um Abraço
Nuno Fernandes

Os Pescas disse...

Olá grande amigo, palavras fiquei eu quando li o teu comentário Nuno...
Eu, como tu sabes amigo,não busco nada a não ser o maior dos prazeres que sinto ao poder partilhar com os meus amigos e amantes da pesca, a pesca que faço aos robalos..:-)
Agradeço ao meu anjinho pelos momentos que me têm proporcionado com esta arte de pescar maravilhosa.
Acho que ao fim de tantos anos a pescar diferentes artes de pesca que descobri finalmente a minha pesca, e que deus me dê saude para poder evoluir e continuar a pescar amigo.
Uma vez mais obrigado amigo:-)

Luis Malabar