Os nossos amigos

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

( Jigging/Vinil) REFORÇO DE INVERNO!!!


Boas.




O regresso a Portugal do Luís por uma semanita trouxe-nos uma janela de oportunidade em irmos fazer uma pesca juntos, algo que à muito tempo não é possível. Juntar a amizade, a oportunidade de estarmos juntos a pescar lado a lado com um grande pescador é sempre de aproveitar.

Tentámos marcar a pescaria para o dia anterior mas o nevoeiro não tinha permitido... Eu adoro pescar com nevoeiro, mas detesto pescar de barco com nevoeiro. Antes de mais a questão da segurança. É muito mais perigoso. Depois a noção do detalhe não é igual, e fico muito limitado nas zonas que percorro devido a procurar segurança ao invés de me concentrar no peixe...

Bem, mas pese embora o dia seguinte marcasse nevoeiro na mesma, a nossa decisão foi de ir... Eram 6.30 e estava a porta do Luís. Às sete já estávamos no spot e o Joaquim entretanto chegou... Bebeu se café, comeu se um croissaint e lá fomos montar as canas e preparar para embarcar.

Sem demoras fomos direito ao pesqueiro... Uma paragem numa zona para mais uma vez espreitar um hotspot que ainda nos vai dar uns bons peixes... Bem, mas seguimos direito a zona que se tinha decidido ir começar a pesca... Deviam ser umas 9 da manhã quando lá chegámos.




Começámos de vinil, a sonda marcava muito peixe, e tentámos de tudo, trocou se cores, procurou se entender o que se passava... Não estavam a comer, eram tainhas ao monte... Robalitos e bailas pequenas sem fome??? É das coisas mais giras nesta pesca a procura pelos porquês... Acabamos por ser uns predadores a pesca. Um pouco diferente da pesca apeada na realidade. Por isso é bom se conseguir encontrar o gosto e o prazer em cada pesca. Eu encontro nesta esse aspecto que me delicia... Há momentos em que me apetece mandar uma bomba para baixo só para ver que raio de espécie é que lá está... Porque raio não comem??? Onde estou a falhar? Na côr? No peso da amostra? Na cota de água, no local? Ou será simplesmente o tal dia não, o tal que tantos dias nos calham?

Bem...

Uma coisa é certa, sem procura, se tiveres mais que um spot em equação podes mais facilmente encontrar algum peixito mesmo em dias complicados. Se viveres confinado ao único que tens...

...

Gostei muito de pescar com o Luís, não só pelas imensas saudades dele, mas também porque dá para trocar ideias com ele sobre a pesca em si e conceitos que ele domina totalmente. Aliar isto ao conhecimento que ganhei com os anos, claro que facilita. A nossa busca pelo peixe continuava e na primeira hora, nem um peixito... Procurei por toda a zona, mas os imensos cardumes que a sonda marcava simplesmente não tocavam em nada. Isso já me começava a irritar pois se fossem cardumes alvorados, entendia, mas quando é peixe fixo junto ao fundo, normalmente ataca e não conseguia encontrar explicação para não dar nada. Ele ia me dizendo que deviam ser tainhas, eu não estou convencido disso, lol, mas por não serem bolas densas, mas compridas, ainda fiquei com dúvidas... Normalmente aquilo são cardumes de bailas e robalitos.

Mudei para outro spot ali perto onde a quantidade de peixe era maior ainda, e continuava igual. Nada... Nem um toque, ninguém sentiu nada... Para piorar tudo, o nevoeiro estava a fechar de tal maneira que ameaçava levar nos para outras zonas mais próximas de terra e com menos correntes... Tivemos que ficar numa zona específica a ver se o nevoeiro levantava ou não e por ali fixámos a pesca...

Resolvi trocar e testar umas zagaias de cores novas que me pintaram. Brutais!!!



Comecei por animar com a base do spinning ou seja, lançando e recolhendo dando toques de ponteira, dessa forma procurava sondar todas as cotas de água pois a zagaia ao cair e ao vir na minha direcção faria um movimento que a obrigava a bater uma área maior durante mais tempo. Nada!

O Luís continuava a insistir na vertical e o Joaquim não sei bem, a técnica única dele é algo de muito singular como podem apreciar. Diria que se ele apura isto ninguém o pára, lol.






Bem... Uns lançamentos depois o Joaquim tira uma bela duma Tainha!!! Espectáculo.

O Luís lá insistia e eu também, mas aqueles cardumes todos nada revelavam... Eu ia insistindo e pimba... Uma ferragem que numa primeira instância julguei ser uma grande baila pela força frenética dela... Mas ao subir vi o lombo, era apenas uma rabeta pequena de um meio quilo. Deu tempo de a fazer um pequeno vídeo e libertá-la.

Desistimos ali daqueles cardumes e fomos mais a Norte ver se havia alguma marcação lá onde já fizemos uns peixes. Por lá a coisa estava sem actividade e a sonda mal marcava peixe. O nevoeiro baixou de tal maneira que estivemos a segundos de ir embora... Estava a apetecer fazer um trolling, mas com o raio do nevoeiro o perigo era algum pois não iria dar para ver outras embarcações ao longe e as linhas para trás eram uma situação fora de controle. Aproveitámos para parar, comer e beber um café.

O nevoeiro impedia nos de pescar e acabámos por demorar muito mais tempo do que queríamos e perdeu ali algum tempo... Em parte ainda bem... Estava perto de uma marcação na sonda e resolvemos ir lá ver visto que havia algum movimento na zona, a sonda não marcou nada de especial, apenas pequenos ecos, de peixe isolado e difícil de fixar, ou seja, mais valia derivar pela zona e deixar que o peixe desse com a comida.

Existia uma ideia, uma táctica agora era acreditar na capacidade de cada um... Uma coisa que foi bom foi o trabalho de equipa. Cores diferentes até darmos com a cor que resultou, pesos diferentes. Trabalho de equipa exemplar, testámos tanta técnica que o Joaquim continuava a vinilar e zagaiar " dis costas"... Impressionante técnica robaleira.

O Luís percebeu que precisava de mais peso e rapidamente ferra a primeira LOBA. Grande loba, grande, gorda que luxo... Dominou a facilmente, isto para quem anda a malhar em peixes pequenos, apanhar um robalos por maiores que sejam... Bem, mas tal como ele dizia o robalo é um peixe muito bonito e que dá gosto capturar...

E começou o frenesim... Logo de seguida, levo um ataque que não ficou e o Luís outro... Estavam manhosos...

Estava o Joaquim a continuar com a sua técnica especial robaleira, quando ferra um "dis costas" e foi um fartote, o robalo a arrancar com o ele a virar se todo, de braços para trás, bem... Só mesmo visto... Facilmente o dominou e depois de umas arrancadas ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ mais uma boa lubina para dentro do barco... A sua caninha maravilha a fazer estragos. Muito boa sem dúvida, leve e rápida, a Capture é uma excelente cana...

Sem ser uma hora de loucura, o frenesim estava lá, sentia se a presença de peixe grande a caçar, e isolados, o que nos obrigava a tentar perceber os seus movimentos. O Luís estava com ideia que a animação devia ser mais lenta o que nos fez procurar mais o fundo de forma a poder animar em condições o vinil... Tentar imitar um pequeno peixe a alimentar-se...

Estava a dar uma volta devagar com o barco quando a sonda me marca dois ecos isolados e paro e digo-lhes para mandarem para baixo... Vinis a trabalharem, queda, controle, levanta, queda controlada, levanta devagar... e ZZZZZZZZZZZZZZZZZZ, toque potente, peixe cravado, era controlar o animal, que não me deu assim grande arrancadas, lol, isto de trabalhar o peixe de embraiagem fechada tem coisas giras. A luta directa acaba por ser maior e o peixe vem ao cimo cheio de pica... Andei ali uns 2 a 3 minutos com ele às voltas do barco, cheio de ganas, um bom robalo e que gordo... Parecia um Peru... O Luís encestou o e siga para bingo... De volta ao spot, peixe novamente na sonda, outro eco... E pimba... Cana dobrada... Mas parecia mais pequeno... Ele lá o trabalhou e trouxe-o depressa ao cimo, mas não era nenhum robalo... Um lindo ruivo, peixe que ultimamente nos calha com frequência nas nossas investidas. Lindo peixe, prontamente devolvido.



Mais uma voltita... E mais um eco... Vinis para baixo... Animações lentas, e vejo o Luís com um na cana, mas o gajo foi mais rápido e atacou o vinil e não ferrou... Paciência... Era uma boa marcação esta...

Siga...

Andei ali mais uns minutos a procurar o peixe e como não dava com nada resolvi só me situar na zona quente e deixar derivar... Funcionou!

...




Estávamos já a uns 2 minutos naquilo quando numa das suas quedas controladas, o Luís ferra outro... Andou ali a brincar com ele... Sim que isto de apanhar peixe Português é uma chatice! Lá lhe pedi para se despachar e ele lá o trouxe até mim... Mais um bom robalo. Peixe de categoria neste dia...

Parámos pouco depois para comer qualquer coisa novamente e para mais um café... Fomos aproveitando os momentos. Acima de tudo isso. Não vos passa pela cabeça a saudade que sentia de pescar ao lado dele. E bem pena tenho de não poder ir massacrar os peixes dele lá em Angola para eles verem o que era dois a malharem neles, lol.

Bem, mas entrámos na hora X. Não malta, não. Não aumentou a actividade... Entraram foi os xarrocos. Não vos vou explicar o porquê... Se alguém quiser tentar adivinhar, à um motivo para isso acontecer quase sempre na mesma hora/altura.

Era cada um... Xiii... Outra coisa anormal este ano é que as alforrecas típicas do Verão, continuam em fora pelo estuário. Realmente a natureza é impressionante e obriga-nos a mudar constantemente...

Seguimos a procura por eles, mas pela zona a coisa estava mais complicada e o peixe evaporou... Nem ecos, nem marcas, nem nada... Resolvi ir procurar outros pontos que tenho.





No caminho avistei um ataque de gaivinas e posicionei me junto a elas... Foi um fartote, pena ter durado pouco... Peixe atrás de peixe, robalitos e bailas... Muito giro, deu para afinar o braço e meter as zagaias e trabalharem. A matadora fez das suas como sempre, lol. Grande malha.
Todos a sacar peixe ao mesmo tempo é um frenesim e gozo tremendo.

Mas o tamanho ia baixando assim como a actividade e era só soltar peixe... Resolvemos ir ver outra marca, mas estava seca, nem nada... Fomos em direcção ainda a outra... Aí sim marcava muito peixe... Mas eu estou em querer que era a hora não. O Luís insistia na ideia das tainhas mas tal como lhe expliquei eram ecos distintos, mais densos e em bolas o que me diz serem cardumes de bailas ou robalitos... Insisti um pouco e lá ferrei uma baila jeitosa, o Joaquim teve outra que desferrou...

O Peixe estava por lá mas não comia e eu queria insistir pois fico mesmo com a ideia que estava lá peixe e que alguns eram bons. Acho que ali falhámos em algo. Ou então eles não estava na hora da boca aberta. Mas numa das passagens, marco de nova a bola, e o Luís ferra uma grande baila, daquelas acima de quilo. Lindo peixe.




O tempo escasseava e obrigava-nos a despachar pelo que tentámos trollar um pouco a ver se enganávamos mais cabeçudos, mas as meia dúzia de voltas foram infrutíferas e nem um ataque.

Resolvemos ir direitos a casa, mas dar por terminada a pesca, parando só 5 minutinhos no spot que nos deu os maiores peixes do dia... E ainda bem... Já nos descontos do jogo, ferro um robalo bom e empato a coisa, lol. Ainda curti uns segundos com ele...

O Luís queria se despachar e estava também na hora e decidimos rumar a casa... Uma boa pesca, com bons exemplares, peixes de calibre. Muita amizade entre os 3, muita diversão. Um dia em cheio, com algo impagável... Poder pescar ao lado do Luís, algo que hoje em dia é tão raro. Poder passar um dia no mar, o que cada vez é mais complicado devido ao pouco tempo que disponho e vir de sorriso nos lábios, algo que desde que vá com amigos já é mais simples de atingir.,,

Aos dois muito obrigado, deram me um dia magnífico que estava a precisar.




Ao Luís, é bom ver que ainda sabes apanhar os teus amigos labrax pese embora a falta de pica que te dão...

Ao Joaquim, nunca pensei que ferrasses assim um peixe daqueles, mas olha que quando for uma corvina das grandes ficas sem a cana!

A vocês, epa, espero que gostem que tenham entrado um pouco nas nossas cabeças, foi um excelente dia de pesca.

Até breve...







Material:

Canas: Sakura Shinjin neo 2.15, Cinnetic Capture Labrax 2.15
Carretos: Shimano Ultegra Spin, Shimano Excense 4000
Amostras: Savage Gear, Fiiish BM, Zagaias By Paulo Costa, Williamson Gomame, Sakura Mirror Jig





FilipePC, Luís Malabar e Joaquim

4 comentários:

Joaquim Carlos Araújo disse...

Temos que lá voltar. Eles já estão com saudades nossas :)

Mais um grande relato

Joaquim Carlos Araújo disse...

De referir que a "Técnica de Jigging de costas em posição de repouso" e uma técnica que venho desenvolvendo e que consiste em convencer os peixes que estamos desinteressados dando-lhes mais confiança.

Os Pescas disse...

Hahaha...tu seleccionas os peixes amigo..só matas os que são cansados..hahaha. Grande dia entre amigos e com uns peixes bem bonitos :-)
Quando voltar fazemos outra pescaria :-)
Parabéns pelo relato amigo e hajam muitos mais de futuro juntos :-)

Grande abraço para os dois

Luís Malabar

Os Pescas disse...

Foi um dia excelente. Acima de tudo, foi optimo estar com o Luís a pesca e depois a forma tranquila como encarámos toda a pesca em si. Muito bom, e muito motivador.
Espero que possamos repetir.