Os nossos amigos

terça-feira, 7 de junho de 2011

Banax GTX Kombatt

Banax GTX Kombatt


Boas pessoal, todos temos canas que gostamos mais e outras que gostamos menos. Seja por adaptação pessoal ou meramente por acaso, acabamos por adquirir canas que durante anos nos acompanham em jornadas gloriosas. Hoje apeteceu-me falar da menina dos meus olhos.


Uma das melhores canas de bóia que usei até hoje, proveniente da Banax, uma marca a ter em conta no que concerne a canas, foi lançada já há muitos anos.
Ainda hoje a utilizo, sempre com um desempenho de elevada qualidade demonstrando estar ao nível das melhores canas actuais, quer na qualidade do carbono, quer no seu peso pluma para a potência que transmite ao pescador.

A GTX é uma cana de trato dócil, fácil de manejar por qualquer pescador, desde o mais experiente a um iniciante.
Por ser uma cana com uma acção progressiva permite um equilíbrio considerável ao pescador, permitindo-lhe ferragens rápidas sem nunca perder a sua "espinha dorsal" equilibrada.

Posso adiantar que já a uso há mais de 9 anos sem nunca ter tido qualquer problema. A ponteira é um hino às canas de bóia, revelando-se matadora na hora da ferragem, os seus componentes não sendo fuji( impensável para a época de compra) revelaram ao longo dos anos aguentarem-se intactos e com poucos sinais de desgaste.
O carbono usado é um dos melhores da marca, um carbono reforçado que permite ao pescador sentir segurança no momento de içar o peixe. Posso deixar como exemplo os 2,5 quilos elevados em plena loja de pesca com muitos pescadores a presenciarem, ao nível do chão( mais difícil do que em altura), situação que retirou qualquer dúvida sobre a sua capacidade. Julgo que acima destes valores, querer elevar um peixe se torna um acto quase que heróico. O problema não está na capacidade ou não de uma cana elevar o peixe, mas sim na força que temos que exercer para o conseguir.

Um dia por brincadeira sem nunca abusarem do peso, exprimentem ao nível do chão içar por exemplo 2 quilos e vão perceber ao que me refiro! Lembro-me de ter os meus braços a tremerem como "varas verdes" no momento tal era a pressão que a cana estava a exercer.

A içar peixes, o maior que tirei( falo em levantar o peixe em peso, não em capturar) com a GTX foi um robalo de 2,2 kg, mostrando-se a cana muito segura para o peso içado.

É difícil dizer muito mais sobre uma cana de pesca de bóia, no caso da GTX, por ser a cana que durante mais anos usei no meu percurso enquanto pescador posso garantir que dificilmente se encontram defeitos nesta cana.
O que se procura quando andamos a ver uma cana de bóia?
Bem independentemente do local, quase todos acabamos por procurar o mesmo: preço aceitável, leveza aliada a uma robustez que nos transmita segurança, uma boa ferragem, e componentes que permitam aguentarmos alguns anos sem ter que trocá-los. E isto a GTX tem.
Depois o gosto pela acção dela já depende muito do pescador. Eu pessoalmente não me dou bem com canas "bambalhonas", preferindo na pesca à bóia canas entre a acção progressiva e a acção de ponteira( aqui tem muito que se lhe diga, num próximo artigo falarei sobre o assunto). E aqui é também o espaço onde se situa a GTX.
O seu C.W. é simplesmente "perfeito" pois permite pescar desde as gramagens mais baixas a gramagens elevadas( 5-120).

Quando penso nesta cana e em todas as que possuo ou já exprimentei, penso sempre no equilíbrio que esta vara me transmite quando comparada com as restantes.
Em quase todas as canas de bóia encontro algum ponto menos positivo, algo que me deixa desgostoso, no caso da GTX e da mais parecida com ela de todas as que tenho( Veret Arcadia), não consigo encontrar esses defeitos. Fazem o que se pede, e fazem-no bem, são leves, matam bem o peixe, não perdem a postura com os grandes exemplares e isso é algo difícil de encontrar, o equilíbrio entre leveza e poder.

Existe no entanto um aspecto que considero importante nesta avaliação que faço, que é a minha pouca frequência em pesqueiros superiores a 10 metros de altura. Não pesco muito nessas zonas portanto a avaliação feita é para determinados pesqueiros, normalmente de fácil acesso.
Já a utilizei em alturas e portou-se muito bem, mas como não o faço frequentemente não quero dar pareceres para essas zonas.

Se tivesse que apontar um aspecto negativo( como não encontro nenhum) diria que em dias de muito vento, quando a comparo com por exemplo uma Barros Power Strike, sinto que a GTX não se adapta tão bem. De resto, nada a apontar. Uma máquina de combate, uma cana explendorosa, num preto lindíssimo que lhe dá um ar matador e que espero que me continue por muitos anos a deslumbrar. Uma cana fabulosa para a pesca à bóia.


Ficha técnica ( 5 mts):

Carbono: Hi-modulus carbon, reiforced carbon TX90.
Peso: 315 gr.
Acção: Progressiva.
C.W.: 5-120 gr.
Número de passadores: 8.

Filipe Condinho

2 comentários:

Joel Antunes disse...

um amigo meu disse-me que a banax gtx kombatt, se encontrava à venda na sua loja, e eu procuro esta cana à muito tempo mesmo... se está mesmo à venda, gostaria de saber o custo da mesma... agradecido,
Joel Antunes

Os Pescas disse...

Boa noite não sei quem lhe possa ter dado tal informação. Nenhum dos elementos do blogue tem loja de pesca. Cumprimentos.