Os nossos amigos

quarta-feira, 9 de março de 2016

( SURFCASTING) Longe, perto, aqui ou ali, somos UNO


Boas.

3 semanas depois regressei finalmente a pesca.

O raio de uma virose, ou algo do género deixaram me os últimos tempos KO. Estava desejoso de poder tornar a sentir as areias... E quando falámos entre todos e se percebeu que a maioria podia ir pescar, resolvi tentar fazer um esforço para ir...

Apontámos para ir uns quantos pelas 3/4 horas e outros um pouco depois. Chegámos ao Meco e a praia tinha 3 pescadores, o resto da praia estava livre...

Começámos a jornada, eu ainda a recuperar da virose, tenho me sentindo muito cansado, e fiquei logo ao início da praia com o Guilherme...

O resto foi andar para a direita. Espalhámos bem até porque o mar estava grande e as canas iam correr bastante. Não era preciso ser muito experiente para perceber isso.

Montámos as canas e fomos experimentar... As ondas estavam muito grandes e longe, seria muito complicado fazer alguma coisa dessa maneira. A esperança que o mar caísse era a única solução...

...
YUKI HUMMER

VEGA POTENZA ELITE



Só que o inesperado apareceu. Limo!!! Muito limo, e a juntar com os detritos do mar, aparelhos, linhas, bandeiras, foram duas horas de terror. No Verão é normal haver aquele limo ali, mas nesta altura, foi de todo inesperado.


O Guilherme era o rosto da desilusão, a minha direita via o Filipe Mouzinho a carregar de porcaria constantemente... A malta com canas fora de água... Sentei me e abanei a cabeça... Nisto, ao menos isso, lol, porque me fez rir muito, passa um pescador de cana as costas, daqueles canelons nacionais cujo 1º passador deve ser um 60 ou 80, lol, olha para tanta cana e fala para o ar: " Fogo, vou parar a Lagoa!!!"... E eu ri-me, olhei para ele e encolhi os ombros... E lá foi ele, eram umas 5 horas.

Bebi um café mais o Guilherme, falámos um pouco, ele queria ir embora, eu queria esperar mais um pouco, até porque faltava chegar pessoal...


CINNETIC MIMETIC 100% FLUOROCARBONO



...

Ao longe vejo vir o tal pescador, uma meia hora, a quarenta minutos depois... E digo para o Guilherme: " Olha já desistiu, depois do que andou, deve ter feito dois lançamentos e parou..."

Mas quando ele chega perto o Guilherme diz-lhe. " Então já vai?" E eu reparo que ele tem o saco de serapilheira molhado e com volume...

E nisto ele responde ao Guilherme: " Vou-me embora, está muito limo, não dá para pescar!!!"

E eu respondo... " Pois está, estamos aqui parados a espera... Mas você ainda apanhou peixe?"

- " Eh, está difícil, vou me embora, ainda apanhei 2 peixes ( tinha um bom robalo de uns 2 kg. e um sargo) Mas está impraticável"

LOLOLOLOL

O Guilherme, começou a cavar o chão!!!

Eu prefiro nem comentar...




Bem, esperámos, esperámos e perto da praia mar fomos lançar a ver se tinha melhorado... Mas o limo era mais, o lixo era cada vez em maior quantidade e desistimos. Esperámos pelo resto da malta e lá falámos... 5 de nós resolvemos ir embora pois com a vazante o limo piora e só de madrugada daria para pescar... Caso desse. Os 4 restantes ficaram, pois por motivos pessoais, de timings não lhes dava jeito sair dali...

Longe, mas perto, isso é certo! Estivemos sempre em contacto, foi engraçado.

Seguimos para baixo, mas com limitações de horas, ficámos mais a norte do que gostaríamos.

A praia onde estivemos estava um nojo. Muito areada, e a direito sem rampas, cabeços, detestei. mas já lá estava e agora era tentar desgradar e minimizar as condições. Tentei procurar um caneiro e lá dei com um... Achei dos metros que andei que era o único local de jeito...

O Guilherme deve ter dado com algum buraco sem fundo, em 3 lançamentos, 3 chumbadas... Ele só abanava a cabeça...

A direita o Paiva já tinha facturado uma baila e um sargo, e eu logo de seguida fui sacar a minha 1ª baila, uma boa baila. A maré estava na baixa mar, e tive ali uns toques, nada demais, a praia era muito rasa e as ondas embora não muito altas rebentavam longe. Sem fundões, era um milagre entrar ali peixe de jeito.

Trabalhámos muito, muito. Andámos Km´s, Tentei alterar montagens, mas não era por aí, havia pouco peixe, e o que havia era pequeno. No choco nem tocavam, e não fosse o americano... O casulo não estava no seu dia e mal tocavam...

De seguida apanhei um robalo pequeno que devolvi, na mesma cana que estava no caneiro...  O Guilherme com dificuldades em pescar lá mudou de sítio para a minha esquerda onde ainda apanhava o tal caneiro. O Paiva fez outra baila entretanto. Os dois Guilhermes estavam ainda a gradar e o Nuno tinha um sargo ali nas 500 gramas.

A maré já subia e ainda tinha a esperança de fazer uns peixes... Em contacto com a malta do Meco que tinha ficado, estavam nessa altura a começar a pescar, tinham estado a espera pois a praia não tinha água na maré vazia...

No lançamento a seguir o Guilherme lá desgradou com um sargo e soube que o Nuno tinha tirado um robalo acima de quilo... Menos mal...

Eu continuava a mudar iscos numa das canas, mas só a tal do caneiro tinha alguns toques e fiz outro robalote para devolver... O Guilherme também fez um robalo de seguida pequeno, que devolvemos e outro sarguito... Peixe miau, só peixe miau.

Tive que insistir na Americana, a ver se fazia mais uns peixes e na praia mar lá se safou mais uns peixes... Entretanto o Nuno, o Paiva e o Guilherme 2. lá arrumaram, o Nuno ainda fez uns peixes ali no final.

Eu e o Guilherme ficámos mais uma hora e fizemos uns peixitos. Tirei uma grande baila a rondar o quilo, e mais uns 3 peixes, ele também sacou mais 2 bailas e 2 sargos. O nascer do dia trouxe a malta dos Barchinos... Eu e o Guilherme dormimos um pouco para descansar antes da viagem.

Os dois barchinios, gradaram!!! Ainda falámos com um um pouco, achei um tipo de pesca realmente sem nexo nenhum para um pescador lúdico. Não gostei nada. Mas há que respeitar.

Bem, arrumámos e fomos falando com a malta. Ainda fomos ao café de sempre tomar o pequeno almoço e lá rumámos a casa. Ao chegar o Santos e o João Rocha estavam também a chegar do Meco. Ainda deu para a paródia ali mais um pouco... Sempre juntos, numa noite em que temos que ser pragmáticos, não correu bem. Tirou se peixe, epa, mas devido a bruta queda do mar, esperávamos muito mais qualidade. Não nos interessa muito a quantidade, mas sim a qualidade e não foi possível nada de especial. Poucos peixes de jeito, uns sargos e umas bailas boas, um robalo de quilo e tal e mais nada de jeito.

Mas o resto foi como sempre maravilhoso, malta toda junta, bem disposta, um grupo sempre unido.

Longe, perto, aqui ou ali, somos sempre os mesmos... E isso é que vale por tudo.

Alguns ainda se lembraram de tirar umas fotos...










A amizade e companheirismo em primeiríssimo lugar.




Material:
Canas: Vega Potenza Elite (3), Vega Hellion ( 2), Daiwa Sky Caster, Daiwa Sky Caster Hybrid, Daiwa Torunament Caster ( 3), Yuki Taylor X6, Daiwa Prime Caster (2), Daiwa Tournament Z, Tubertini Frontera
Carretos: Shimano Bull´s Eye ( 9 ), Shimano Ultegra xsc ( 4 ), Daiwa Saltiga Surf, Shimano Ultegra CI4 XSA, Shimano Ultegra XSB, DAM QUICK,
Linhas: Cinnetic Sky Line, Yuki Kenta, Cinnetic Mimetic 100% Fluorocarbono, Vega Power Zone, Sufix 100% Fluorocarbono
Iscos: Casulo, Choco fresco, Americano, Titas, Ganso Nacional




FilipePC, Guilherme ( Zurc), João Paiva, Guilherme, Rui, Nuno C., Santos, João Rocha, Filipe Mouzinho

2 comentários:

luis domingues disse...

Realmente deu para uns peixinhos, também vocês é sempre tarolos, uns mais pequenos, De vez em quando hahahaha
Parabéns, os relatos deixam-me sempre colado ao ecrã a ler :)
Parabéns
Luis Domingues

Os Pescas disse...

Parabéns por mais um grande relato e cheio de pormenores amigo :-) Se fosse eu já não me lembrava nem de metade disso..hahaha. Mas isso é por ser peixes e a memória é bem curta..hahaha.
Fico feliz pela união e mesmo longe, estamos perto :-)

Aquele abraço grande amigo

Luís Malabar