Os nossos amigos

terça-feira, 29 de novembro de 2016

( SPINNING) ROBALO XXXL, O SONHO COMANDA A VIDA!!!


Boas.
Antes demais perdoem me a demora pois os 10 dias que tinha previsto para a publicação já passaram, mas por vezes ao escrevermos, a caneta ( teclado) leva-nos para outros mundos, e fizeram este relato demorar um pouco mais, até porque adoeci e ainda se juntou a ele uma dedicatória que queria fazer.

Fica por isso o meu pedido de desculpas. Espero que entendam, e que valha a pena os minutos de leitura.

...

Tive muitas dúvidas na escolha do título... Não sou de sensacionalismos, acho-os contra a minha forma de ver este desporto.

Gosto muito da pesca, daquilo que ela transmite, do poder que ela tem na minha vida, para andar a fazer folclore cada vez que se apanham bons exemplares. Até vos digo que me dá muito, mas muito mais prazer fazer um relato de uma pesca com os amigos do que pescas em que fiz grandes capturas. Algumas nem os relatos fiz na vida... Não me apeteceu...

Faço até bastante spinning, mas talvez por sentir uma pesca mais solitária mesmo que o faça acompanhado quase sempre, raramente faço os relatos. Gosto de transmitir momentos, não peixe. Acho que desde o 1º dia que digo o mesmo, e já vão longínquos 9 anos a escrever relatos na Internet.
... para se ver peixe e mais peixe, basta ir ao google e escrever a espécie que se quer ver.

Por isso e porque me têm perguntado bastantes vezes porque não faço mais relatos de spinning, vou deixar não a promessa, mas o desejo de fazer alguns este ano. Não me levem a mal não sentir sempre a mesma pica...

...

Sobre a pesca em si, sobre o tal relato e tal do tal peixe que já perceberam todos ser um record, um monstro... Olhem, não nego que é algo que sonhava, que a muitos anos queria. Sentir que se atinge o topo da tabela é magnífico, agora já me sinto realizado e logo com 1 dos 2 peixes com que mais sonhava que acontecesse ( robalo ou dourada). Claro que já apanhei peixes bem maiores e mais fortes como a corvina, mas em Portugal julgo que o marco de atingir este patamar tem mais ênfase com um desses dois peixes. E mais ainda sendo de terra, sem sondas, sem ajudas... Soube muito bem, sinceramente, soube mesmo.

...

Felizmente tenho tido a sorte de apanhar bons peixes ao longo dos últimos anos. Tirar corvinas de 40 kg., sargos de perto de 2 kg. , douradas de 4 e 5 kg e robalos de 5 a 7 kg. já me deixaram nos ultimos anos bem feliz, mas olhar se me perguntassem qual o objectivo em termos de peixe, diria que nas 4 espécies que mais procuro, gostava de ao menos sacar 1 exemplar do topo da escala... E sempre, teria que ser um monstro na sua espécie. Não um peixe, um monstro...

 Por isso o título é em forma de alegria, e duma mistura nostálgica do orgulho de ter pertencido a uma escola que tinha como referência e nome um dos maiores poetas Portugueses de sempre, e um dos que tem os poemas que mais gosto... Acaba por ser um marco...

Quem nunca ouviu falar de Rómulo de Carvalho?... Não?

E de António Gedeão pessoal? Pois!!! É esse mesmo. O tal da Pedra filosofal!!!

Vou deixar por isso um pequeno marco, para mim maior do que o peixe que tenho para vos mostrar hoje. Eu tive a sorte te ter vivido momentos únicos nessa escola, tive a sorte de ter sido delegado de turma e de ter sido Presidente da Associação de Estudantes da minha escola do Coração... A Escola secundária António Gedeão... E apesar da nostalgia, do orgulho, da felicidade de ter sido presidente da associação dessa escola, um dos melhores momentos que tive como estudante, e na altura não lho dei o devido valor, foi o de ter recebido o meu poeta favorito... Imaginem bem o que é para um chavalo de 17 anos, receber o seu poeta favorito, ainda por cima em plena semana do aniversário da escola e de festas... Lembro me de ter levado um valente puxão de orelhas de uma das muitas amigas que tive como professoras do conselho directivo por ter bebido uns copos a mais nesse dia... lol... Agora que fecho os olhos, lembro dele, a subir o palco, muito velhinho ( faleceu meses depois), e de lhe ter apertado a mão... Sim ao homem que um dia escreveu o meu poema favorito, não porque seja o mais brilhante que já li, mas porque brilhantemente reproduz uma mensagem simples, mas de força, de esperança, de tudo o que hoje consigo sentir como homem e como pai. O sonho comanda a vida!
Muitas vezes é ele que nos faz seguir...

...


Alguns dos meus grandes amigos viveram comigo esse sonho, sonho que se pode reproduzir de muitas maneiras e feitios, sonho que pode ser vivido com distintos feitos... Foi o sonho que comandou Portugal a ser campeão Europeu este ano? Foi o sonho que vos fez a vós lutar muitas vezes na vida por tudo o que acreditam e acham que querem viver? Reparem, o sonho comanda mesmo a vida, é ele que de muitas formas nos mostra um caminho, nos faz procurar um caminho melhor e mais feliz, um caminho banhado com um enorme sorriso... Por isso o homem que escreveu o poema cumprimentou me naquele dia, e hoje 19 anos retribuo a sua magia...

Imagino que alguns pensem...

... Estranha forma a minha de viver o sonho, mas sabem, cada qual vive o a sua maneira, pois o meu sonho é apenas ser feliz e estar com quem gosto, tudo o resto virá sempre como acréscimo.

E se de marcas que ficam para sempre neste desporto todos acabamos por ter, este momento é algo para sempre, o momento em que se chega a um patamar maravilhoso e muito difícil de alcançar...

Não que seja algo que procuro loucamente neste desporto ou terapia que é a pesca, mas sim, gostava de pode dizer que naqueles 4 ou 5 peixes que pesco mais, cheguei ao final da tabela, lá bem a cima, uma vez que seja... O resto sinceramente interessa me muito mais estar com a malta, com os meus amigos a divertir me, do que propriamente preocupado em apanhar mais e mais... Sinceramente move me mais o lado humano da coisa...

São tantas as vezes que evito a confusão, são tantas as vezes que prefiro pescar feliz do que fazer uma pesca feliz que ainda mais marcante é para mim...

Por isso...

Não irei falar em pesos, perdoem-me mas a crueldade do mundo virtual é tamanha que prefiro guardar para mim e para os mais chegados. Uma pessoa por mais que goste de partilhar o preço a pagar por vezes tem mais kgs. do que os peixes que apanhamos...
Fica no entanto a ideia de que tinha 110 cm. mais 7 cm. que o meu anterior maior de há 1 ano atrás sensivelmente.

E na realidade não é isso que julgo que interessa. Já me passaram pelas mãos muitos robalões, muitos tarolos, peixes lindos, enormes, mas este... este pessoal... Nunca tinha visto uma cabeça assim... Ao vivo era ainda mais impressionante, um peixe, lindo, o verdadeiro TAROLO.

Sabem, estou feliz, claro que sim, mas... Não estou eufórico, não me deu para tal, lol. É verdade que merecia um copo de champagne, ou um belo de um sushi Top, mas... sinceramente dormi relaxado e de manhã foi bom revê-lo de novo antes de o ir arranjar...

Vamos agora que já vos macei com mais uma das minhas secas ao relato do meu robalo XXXXXLLLL... :).

....

Durante a semana a vontade de ir fazer um spinning era muito. Mas a Nortada estava a dificultar a vida. Observei o Windguru e o Instituto para que dia seria possível. Pelas minhas contas, depois de observar tudo, só vi um dia, 5ª feira. Era o único dia em que o mar estava baixo o suficiente para spinnar, e mesmo assim era no limite. Ficou marcado, e durante a semana fomos falando para ir controlando as alterações do clima. Felizmente nada alterou e pudemos ir...

E julgo que é aqui que começa o melhor do relato... O Miguel foi ter a minha casa e enquanto comia e preparava as coisas, fomos falando na escolha entre 3 spots... Já lhe tinha dito que queria ir a um spot mais isolado apesar do acesso ser pior para tentarmos dar com peixes menos batidos. É bom procurar o peixe, não estar sempre nos mesmos spots a espera da sorte.
A minha ideia prevaleceu, e ele lá acedeu.

...

Bem, como tinha o meu vadeador por limpar e já começa a precisas de ser trocado, perguntei lhe se tinha o dele, e ele prontamente me ofereceu o que tinha em casa dele para levar, que estava optimo segundo ele... Boa!

Agarrei na tralha e lá fomos... Tivemos que passar na casa dele, para ele ir buscar o material dele e o vadeador para mim...

Ele e o vento... Fui observar o mar, estava incerto e um pouco acima do que eu gosto... Mas nada a fazer, já lá estava...

Resolvi me ir vestir, e quando vou a agarrar no Vadeador ia me passando, então não é que o vadeador tinha buracos!!! Sim buracos. E as pernas estavam todas descosidas...

- " Miguel o que é isto? Vou ficar encharcado!"

- " Não pá, isso é assim, não entra água"

- " Miguel, o Vadeador TEM BURACOS PORRA!!! Como é que não entra água?"

E o gajo riu-se, ainda a gozar. Mais uma vez tramou-me. Eu não aprendo que não posso confiar nele.

... Depois de estar 10 mn. a espera da donzela, ele lá se despachou e lá fomos... Chegados lá começamos num dos 3/4 buracos que sabemos que é bom e onde temos tirado peixe...

O Castigo do Pézinhos começou aqui. Esqueceu-se do telemóvel no carro e lá foi ele fazer uma grande caminhada até lá... Eheheh!!! Subir pedras para ir até ao carro... É para aprender!!!

Fiquei eu a tentar... Lancei tudo pessoal, Zagaias para ir longe e sondar o pesqueiro, mas em zona de pedra só podia dar barraca...Jerks, Vinis... Troquei tudo o que era cores... nada. O pôr do sol nem um peixe deu... Ah e eu assim que pus os pezinhos na água fiquei todo encharcado, lol. Em vez dos meus 90 kg´s já devia ter 120 KG. para carregar... O Vadeador parecia um pass vit. Esperei pelo Miguel para lhe agradecer e disse-lhe que iria procurar o peixe a outro buraco, e lá fomos. Pedra atrás de pedra lá andámos a procura mas a coisa estava sem actividade nenhuma.
Resolvemos voltar mais para perto do carro, ali o mar batia menos, o suficiente para sentir as amostras a trabalharem mais e para conseguir me chegar junto ao mar para poder meter a amostra mais longe.

Após meia dúzia de lançamentos troquei a amostra e assim que o fiz, a sorte uniu-se com a experiência, com o saber. Mas sem ela nada acontece. Sabem, agora a frio é muito mais fácil analisar e poder ter essa ideia...

Vejamos: O Miguel deixou o telefone no carro, demorou uns 15/20 minutos, se ele não tem ido ao carro, já tínhamos trocado de lugar antes, se o tivéssemos feito não estaria no lugar certo a hora certa... Para contra balançar a balança... E quantas vezes se passa o contrário e saímos do lugar certo a hora errada? Bem, vamos esquecer esta parte que é real que lá eu raramente me lembro. Acho que lá só me lembro de pescar... Não há stress, não há sorte ou azar, há o lançar, lançar, lançar...

E eu lancei, lancei, lancei.

Estava a dizer-vos que tinha acabado de trocar a amostra... E procurava o melhor lado da cana para a sentir a trabalhar na perfeição... Avistava luzes ao longe de outros pescadores mais a sul e curtia aquele fresco típico das noites de Outono, uma maravilha, quando senti um pequeno ataque na amostra, e virei de repente a cara para a ponteira, uma fracção de segundo foi suficiente... Já estava a espera do seguinte... Num ápice, ele tornou a atacar a amostra, e aí de uma forma bruta e ainda ia a mexer o braço para a ferragem, já a cana tinha dobrado toda... E o meu drag, bem apertado, acreditem que estava muito apertado, cedeu uns metros ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ... E ainda bem que o fez... Nem por sombras imaginava o que tinha do outro lado... Após várias tentativas de correr, sem que eu o deixasse fazer muito, tive que ceder um pouco e abrir ligeiramente o drag. Comecei a sentir o limite da linha, e tive receio de perder aquela pedra com barbatanas... Não levou muita linha porque eu não o permiti, não perdi o controle da coisa, e em parte julgo que o peixe para o monstro que é, podia me ter dado mais pica...

Mas não se julgue que foi fácil... Ainda sem o ter visto não fazia ideia ser um monstro assim, chamei o Miguel para acender a lanterna e controlar ali a zona da escoa junto as pedras... Foi segundos depois que o vi pela primeira vez ao cimo de água... Quando lhe vi a cabeça já sabia do que se tratava... E foi aí que tive mais calma com a coisa... Ele veio ao cimo no inicio da rebentação e eu sabia que o tinha que tirar dali do meio das pedras ou era o fim, antes da zona da escoa, zona onde seria impossível segurar um peixe assim com aquela linha... Devagar fui deixando o peixe comandar q.b., sem nunca apertar demais tinha um bocado de praia ao lado e tinha que lá chegar... Quando consegui, tudo ficou mais fácil...Foram uns 5/6 minutos ali com o peixe, cima, baixo, corria com ele por cima das pedras e dava pouca linha e de seguida aproveitava bem a ondulação para o ir trazendo... O Miguel quis ir buscá-lo algumas vezes, mas eu ia lhe dizendo para não o fazer, ter calma... Sentia que um toque na linha seria fatal antes do momento certo e tive calma a finalizar a captura... Ele lá andou ali mais uns 4 ou 5 sets embrulhado até eu ver uma escoa forte com uma onda maior, e decidi ser rápido... Dei uma corrida até lá abaixo e quando veio a onda, recolhi, recolhi, e apertei com cana, carreto, e linha para se aproveitar aquele que era o melhor momento... Ficou praticamente a seco, e aí sim, disse lhe para o agarrar rápido antes que outra onda me "roubasse" o meu troféu.

...

E finalmente pudemos contemplar um monstro daqueles... Um robalo XXXL, bem maior que um que tinha apanhado a cerca de um ano, este com uma cabeça do tamanho do mundo. Um monstro, daqueles dos contos de fadas... Neste caso dos contos dos pescadores!!!

...

Foi mais um grande peixe, solitário, que coloriu uma noite que se adivinhava complicada...

Pusemos o peixe a seco... E voltámos a pescar...  Dei a volta a mala das amostras, mas apenas senti mais uma pequena porrada seca e sem continuação... Mesmo com o frio que se fazia sentir eu já estava com calor... Ou então era da falsa calma que ia sentindo. Tranquilo, sem grandes palavras... Lá ia carregando o fardo, e não era um anel!!!

No meio disto, mais um momento a Miguel!!!

... Sai se com esta:

- " Vês, ainda bem que o vadeador está todo rasgado, se tens calor assim, olha se não tivesse a entrar tanta água!!!"... Lata não lhe falha.

Decidimos dar por terminada a pesca... Estava feito.

Como de costume, quem perde carrega o peixe... Mas tive pena dele... Tão longe do carro e com aquele animal para carregar, lá o ajudei e dividimos a meio o fardo... Tipo Frodo e Sam do senhor dos anéis... E com o " PRESCIOUS" para carregar!!! Um fardo que é o sonho de qualquer pescador...

Não tenho grandes peripécias para vos contar por isso, até acho que o melhor momento é o do vadeador furado, e ele a dizer me que era mesmo assim!!! Acho que agora que escrevo e sorrio com isso acho mesmo que foi o melhor da noite!

...

Foi um peixe lindo que capturei, numa noite em que a sorte se uniu com a experiência de conhecer bem o spot. Quando se unem estes dois factores, tudo flui naturalmente. E naturalmente este peixe fica de recordação para mim... Um record é sempre um record, e foi com alegria que o partilhei logo com grandes amigos...

O meu chão não estremeceu, mas como diz o meu amigo Manuel Peres:

- " Filipe, podem apanhar muitos peixes, mas aqueles que tirámos, esses... Já ninguém nos tira, o resto são cantigas, são records de uma vida"... Pois é Manuel, este ninguém mo tira mais. É o peixe de uma vida, um sonho, um sonho que qualquer tem na mente...

Agora que a coisa passou e estou sentado no sofá só a escrever, sinto isso mesmo. Penso no meu robalo e nas memórias que um dia vou ter sobre ele. Vamos ver se um dia ainda consigo bater este record... Saber que apanhei um peixe com cerca de 19/20 anos deixa me nostálgico... Vagueando um pouco sobre o meu raciocínio, após ter consultado algumas tabelas...Terá ele nascido no dia em que Rómulo de Carvalho me apertou a mão em pleno palco na minha escola? Terá o sonho que ele escreveu vindo parar ao sonho que eu vivi?


Agora que a tabela chegou ao fim, resta procurar um dia superar este...
Porque os nossos records construímos nós, não os outros!!!
E porque um record batido, deixa espaço para outro o bater...
...

uma destas meninas fez me muito feliz...



O sonho comanda a vida!!!






1,10 metro de robalo!!! Um record para a vida. Um sonho que se tornou realidade.

Os sonhos são para se viver...


P.S. - Perdi ao longos dos anos muitas pessoas especiais, tive uma amiga, a Alexandra Guedes, que viveu com cancro muitos anos e que perdeu a batalha recentemente depois de lhe terem dado 6 meses de vida... Dos 6 meses ela fez anos, é devastador ver uma pessoa de 20 e poucos anos privada dos seus sonhos. Da ilusão da cura, ela fez um sonho chamado vida, e fez o imaginável para o viver.
E claro que a situação da Xana não é diferente da que muitos já viveram ou presenciaram.
Sabem que viver a vida acaba por ser uma roleta, e a bola preta pode calhar a qualquer um. Mas a Xana, como sempre lhe chamei era uma sonhadora e uma lutadora, e tudo fez para viver o seu sonho de viver...

Para ela que sempre viveu o sonho, e que a vida lho tirou, para ela que tinha na Pedra filosofal o seu poema favorito e que esperou até ao último fôlego que eu lho lesse na cama do hospital, fica uma lembrança que jamais vou esquecer. Jamais vou esquecer dos momentos bons, únicos, dos sorrisos, dos stresses, das birras que fazias que me enlouqueciam, jamais vou esquecer que tive uma amiga que viveu a mensagem deste título, deste poema de uma forma única e que lutou por o seu lema até ao fim... Uma amiga que vem dos tempos da escola secundária, e que muitos sorrisos me deu na vida.


Costumava dizer te que 1 dia ia apanhar um peixe tão grande, mas tão grande e abria os braços e ria com a loucura apaixonante que sabias que eu tinha pela pesca, e tu costumavas dizer me para ter juízo, que lá ia agora apanhar um peixe desses... Longínquos 20 anos já passaram desde essas conversas...

Por isso hoje, fica a lembrança das tantas vezes que lemos aqueles versos lá nos muros da escola... Fica a lembrança da tua pessoa. A vida é o que é e sempre achei que tinhas uma coragem de ferro, tinhas uma força enorme, poucos teriam atingido o que conseguis te em anos...

Este é para ti amiga... Sabes o quanto gostavamos de ti. A vida é uma roleta russa... Saiu te a bola errada, como podia ter saído a qualquer um...

Todos sabiam qual era o teu lema, e alguns tatuaram no corpo o teu sonho... Custa ver os teus irmãos tão perdidos...



Um dia tornamos a falar xaninha.

Ainda te lembras? Então lê comigo:

Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.

eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho álacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.

Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa-dos-ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão
na superfície lunar.

Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida,
que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança...

IN MEMORY OF, ALEXANDRA GUEDES...








Material:

Canas: Hiro Magister, Shimano Stradic
Carretos: Shimano Stella, Hart q, 
Amostras: Vega Akada, Duo Tide Minnow Flyer, Rapala Max Rap, Lucky Craft Flashminnow, Savage Sandeel


FilipePC

20 comentários:

Pedro Nunes disse...

Boas Filipe!
Não sendo costume vir comentar os teus relatos, não quer dizer que não os leia, apenas não costumo comentar porque não costumas responder e um gajo fica sem saber (será que ele leu, será que não leu, na volta nem liga aos comentários e estou praqui a escrever)

Mas hoje é diferente, é um relato que todos os bloguers pescadores querem escrever um dia e eu sou um deles, é um conjunto de aprendizagem e insistência que faz com que alguns pescadores um dia tenham uma captura deste calibre, tal como tu não perdi a esperança de marrar com um peixão de grande calibre e não peço tanto, já me tocaram alguns poucos mas por azar meu e sorte deles não era o dia certo para saírem, talvez tenha sido o destino que quis que crescessem mais uns kilinhos para um dia mais tarde nos voltarmos a encontrar...

Bom já estou a escrever demais porque até nem sei se vais ler o comentário :)
Isto tudo para te dar os Parabéns com "P" grande porque de facto é um peixão impressionante e de sonho sem duvida...
Bonita dedicatória...

Saúde e força aí.
Ps: Tenho ali uns vadeadores rotos, da próxima vez vou levá-los.

Jorge Silva disse...

Parabéns Filipe ! Grande "Tarolo"! Excelente relato (o melhor) com uma linda e apaixonante mensagem... obrigado pela partilha, digna dum filme de grande qualidade. Abração

Nelson Fernando Pina Amaral disse...

Depois de ler o teu relato, só te deixo isto:
Um abraço sincero, Filipe...

Os Pescas disse...

Olá Pedro. Antes demais as minhas sinceras desculpas pois eu sei que muitas vezes falho nesse sentido. Já falei isso com o Malabar, sei que devia sempre responder aos comentários, mas a vida, ufff... Um gajo tenta dar para tudo, mas acaba por falhar em algum lado. E nisso sei bem que falho. Tentarei não me esquecer de futuro. Acabo sempre por gastar o tempo que tenho a fazer os relatos e não na parte das respostas. Obrigado por leres e um grande abraço para ti. Obrigado.

Contacte-nos disse...

Está apenas genial, muitos parabéns Filipe!!!

João Silva disse...

Olá Filipe um abraço muito grande pela captura e pela paixão com que a descreves... é um peixe prá e da vida...
Uma palavra tambem para o bonito gesto que tiveste em homenagear a tua amiga... tambem ela estará certamente radiante com a tua façanha.

Pedro Batalha disse...

Boas Filipe, grande peixe parabéns.

Paulo Marques disse...

Que peixe Filipe, que belo peixe, uma delicia para nós pescadores, parabéns!!!! Gostei muito de ler o relato.
Abraço

Andre Costa disse...

Top
5*

Alexandre disse...

Boas Filipe,meus sinceros parabéns pelo grande troféu...
Bonita dedicatória
Grande abraço.

Os Pescas disse...

Olá Alexandre, obrigado, um grande abraço.

Os Pescas disse...

Olá André Costa, muito obrigado. Abraço.

Os Pescas disse...

Olá paulo, muito obrigado, ainda bem que gostas te. Abraço.

Os Pescas disse...

Olá Jorge, muito obrigado, um forte abraço.

Os Pescas disse...

Olá Nélson, um grande abraço, obrigado.

Os Pescas disse...

Olá João, muito obrigado um abraço.

Os Pescas disse...

Olá Batalha muito obrigado, um abraço.

Os Pescas disse...

Olá "contacte-nos" obrigado pelas suas palavras. Abraço.

pepe montalvo disse...

Meus parabems . Grande relato e muito emotivo.
Un saudo de Galicia

Os Pescas disse...

Grande relato de um grande homem que para mim é como um irmão :-)
Parabéns meu amigo e até já :-)

Grande abração

Luís Malabar