Os nossos amigos

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

ROBALO AOS PÉS

ROBALO AOS PÉS



Boas a todos.

Tenho feito cada vez mais estas escapadelas ao spinning. A logística é pouca ou quase nenhuma basta agarrar no material, uma garrafa de água e fazer-me à estrada.
Aproveitando o mar caído e uma maré baixa por volta da meia noite, resolvi ir até um spot que com estas condições pode sempre dar uns peixinhos.
A ideia era pecar no máximo 3 horas, 1 da vazante e 2 da enchente. Até porque no outro dia tinha passeio bem cedo com os miúdos.
Cheguei parque de estacionamento, vesti os vadeadores, e rumei ao pesqueiro. Mas quando me começo a aproximar o mesmo estava cheio de malta a pescar ao fundo. Então tive mudar logo para o plano B que já tinha delineado.

O spot do plano B não tinha ninguém à pesca o que me permitia bater todos os fundões e bater uma área maior. A ideia era andar o máximo em cima dos cabeços e lançar para trás dos mesmos ou na diagonal para os fundões.
Lançamento atrás de lançamento e já tinha explorado bastante o mesmo cabeço e fundão e sigo para outro. Mas neste outro não sentia tão bem o trabalhar da amostra e começo a voltar para o outro. Isto sempre dentro de água e sempre a lançar.

Já em cima do cabeço onde tinha estado primeiro e faço um lançamento e já estava a pensar enquanto recolhia que ia trocar para uma zagaia a ver se o peixe andava mais distante. Já no final da recolhida e com a amostra a dar já algumas cabeçadas na areia, a 3 metros de mim com mais ou menos 40 cm de água um enorme SPLASH (que me ainda me assustou) e zás, cana dobrada e peixe ferrado. Posso-vos dizer que nem me lembro de dar ao carreto, o peixe atacou tão perto de mim, que apenas tive de ir recuando até uma zona seca para deitar a mão ao robalo.
Coloquei-o no saco e voltei à carga. Ainda tive mais um ataque mas este não ferrou.



Posso-vos dizer que foi bastante engraçado a maneira como este robalo atacou, pois a amostra já vinha a dar cabeçadas na areia, e eu já estava a levantar a ponteira da cana, pareceu quase um ataque a um passeante. O mais provável era o robalo já vir atrás da amostra à algum tempo e assim que viu que estava a ficar sem água atacou.



Grande abraço e até breve.

Material:
CANA: Shimano Nasci 2.70m
CARRETO: Shimano Biomaster C5000 FB
LINHA: Sufix 832 0.19
AMOSTRAS: MaxRap FHC


GUILHERME

2 comentários:

Pedro Nunes disse...

Boas Guilherme!
Uma vez tive uma situação parecida, já vinha tb com a amostra a bater na areia e tinha agua pelo joelho, virei as costas para me ir embora e fui enrolando ao mesmo tempo assim meio de lado, passados uns metros levo uma cacetada que até me assustei, ainda lutei com ele uns segundos mas desferrou e foi embora, era um belo peixe....Cenas do caraças....
Saúde e força aí..

Tiago Santos disse...

Caros pescadores do Gang, antes de mais salutar e agradecer os vossos posts sempre interessantes sobre pesca e em especial de surfcasting modalidade que aprecio. Reparo que pescam pelos lados do meco, e queria pedir um conselho. Entre praia do meco e da foz qual recomendariam tendo em conta que não conheço o fundo no caso da praia da foz e tenho receio de perder muito material por me parecer muito rochoso. Grande abraço e obrigado