Os nossos amigos

terça-feira, 12 de abril de 2011

Em dia de sargos apareceu-me o rei das salemas!

5 horas da manhã, toca o despertador, salto da cama e preparo-me para um dia de faina! Estava entusiasmado, pois como sabem a bóia é a minha 2ª técnica e há muito que não fazia uma boiada nas zonas que eu gosto.
Tinha combinado com um colega do fórum, o João que se ia iniciar na pesca, assim como tinha combinado com o meu grande amigo Luís Amaral, pessoa com quem adoro pescar! Não troco dez Sargos de quilo, por um dia de pesca com amigos( bem se forem de quilo e meio já vacilo! eh eh eh).
Ainda tivemos a companhia do Filipe João, meu companheiro de muitas grades, de muitos dias de faina, de muitos dias felizes, que aproveitou para ir spinnar...
Chegado ao pesqueiro, deparo-me com um cenário complicado, mar agitado, espetacular para a pesca, mas na vertente da bóia, não estava fácil, estava sim um mar perfeito para o surfcasting...

Para piorar a situação, o João ia se iniciar na pesca, numa técnica mais difícil para quem está a começar, e portanto necessitava do mar mais calmo, para poder ajudar em condições quem está a começar.

Começa a faina, primeira hora, deu para perceber que o que vi ao chegar se confirmava. O mar estava  lindo, espumado, mas muito difícil de pescar, pois a bóia não parava, as escoas eram enormes, e não conseguia manter a arte parada no local que eu lá entendia!
Entretanto fui montar a cana do João, e tentei lhe dar umas dicas, mas quando se começa, isso não é o mais importante. Importante é sentir o contacto com a cana, aprender a dominá-la, lançar muito, perceber as dificuldades e tentar superá-las. Importante é sentir aquela brisa e tomar-lhe o gosto. O resto vem com o tempo.
Rapidamente o João percebeu isso mesmo, e deixo-lhe uma palavra de apreço, pois fartou-se de tentar em busca dum Sarguito que não chegou desta vez, mas de certeza virá numa próxima... Sinceramente acho que te dará mais sorte João. Na próxima já apanhas e quando sentires aquela vibração, aquela sensação na mão, dificilmente te esqueces, e provavelmente a pesca ganha mais um pescador apaixonado por esta maravilhosa arte!

Voltemos à faina... Cerca das 9 da manhã, apanhamos o primeiro Sargo, mas as condições não ajudavam, a maré vazava, a escoa complicava, a ondulação atropelava as bóias, e eu e o Luís desesperávamos. Num dia tão bom, numa água tão oxigenada, e nós não conseguíamos pescar( existe uma clara diferença entre ter a arte dentro de água e estar a pescar)... Já a maré devia estar a menos de 2 horas da vazante, já se via mais areia do que água, quando decidimos atacar um pequeno mas ainda fundo caneiro que circulava o pontão onde estávamos. Por momentos a escoa parou e as bóias estabilizaram... e fez-se luz! As ferragens eram umas a seguir às outras, que pica pessoal, que saudades, não eram Sargos de quilo, mas a luta que davam ao correr pelo caneiro e atacar as artes era simplesmente uma delícia. Cada lançamento era correspondido por um ataque, durante uma hora senti o "flow", senti a adrenalina a inundar-me o corpo... Admito que até chegava a deixar os Sargos lutarem um pouco mais antes de os tirar, pois estava a curtir tanto, mas tanto...

O Luís com uns 20 Sargos!( pesos entre 300 a 500 gr.)
Entretanto e devido à falta de água o nosso spinner desistiu e aproveitou para dar umas dicas ao João.
Neptuno vai lhe guardar um bom labrax para breve...

A minha saca!
O Luís ao meu lado sempre a dar-lhe e os dois em amena cavaqueira íamos arrasando os dentinhos dos meninos. Parecia que qualquer isco dava, eles estavam esfomeados, e embora já quase não houvesse água nós continuávamos a apanhar. Vira a maré e o windguru infelizmente tinha razão, o vento aumentou, e a pesca ficou novamente muito difícil, e as artes eram novamente cuspidas assim que eram lançadas. Ainda sacámos mais uns 4 Sargos mas a pesca estava feita.
Deviam ser umas 2 horas quando chega o Octávio, outro companheiro de faina à maneira... Ainda me lembro de ele apanhar uns 3 Sargos... A maré subia e começavam a chegar os pescadores... Mas as condições eram tão difíceis que o Luís arrumou a tralha. Eu ia insistindo mais um pouco, mas realmente não valia a pena e acabei por também desarmar e ficar a ver o pessoal... quando de repente, eh eh eh, o relato, pelo menos a parte mais gira começa agora, um bruto ataque rebenta o estralho de um companheiro de faina... Ficámos alerta. Seriam Sargos? Vou já montar pensei eu...mas... não, eram elas, sim pessoal elas...
Estava bem disposto, com amigos, tinha passado um excelente dia, e fiquei em amena cavaqueira, qual café na paródia com todo o pessoal do pontão, que foi super simpático.
Novo ataque, cana a fazer uma parábola enorme, cabeçadas brutas e... sai uma Salema! Novo lançamento, e novo ataque bruto, que gozo ver a cana toda dobrada e a expectativa pelo primeiro Sargo de quilo era enorme... Mas... sai outra Salema. O companheiro estava super indignado, só lhe saiam Salemas, e foram 30 minutos a ver cada ataque, sempre com um poder enorme, e sempre a expectativa de saírem bons exemplares, mas só saiam Salemas. Estralhos rebentados, muitas desferragens, e Salemas atrás de Salemas a saírem para fora de água...
Para tentar safar a pesca do Octávio, dou-lhe uns 5 caranguejos que nos tinha sobrado, e apenas lhe exijo que me dê um em caso de apanhar alguns( brincadeirinha )...mas o resto bem, o resto se tiverem paciência vejam o vídeo, muito mal gravado( não sou realizador, sou pescador pá!, eh eh eh), mas cheio de boa disposição, com uma turminha do melhor, que com fair-play ia brincando com a situação... Sargos, bem nem vê-los, as meninas tinham entrado em força, e a tarde era do Rei da Salema!

Saca cheia, alma completa, sorriso nos lábios, grande dia de pesca, grande grupo, que sossego que tivemos naquele local. Valeu, mas costumo dizer, vale sempre! Até á próxima...

P.s.1- Peço desculpa pela péssima qualidade das fotografias, mas não reparei no momento que as tirei e realmente a pescaria merecia outro tipo de fotografias. Terei mais atenção na próxima.
P.s.2- Agradeço ao pessoal todo pela boa disposição evidenciada. Pescar ludicamente falando, é aquilo que podemos assistir neste relato e no vídeo.
Material:

Canas: Banax GTX Combatt 5 mt; Banax Megafloat Deluxe 5 mt(2).
Carretos: Daiwa Capricorn J 4500; Vega Cd 5000; Daiwa Certate HC 4000.
Iscos: Camarão; Lingueirão; Casulo; Lapa; Caranguejo mouro.

Filipe Condinho

11 comentários:

Rui Urubu disse...

Belo relato Filipe,gostei de tudo com direito a filme e tudo como manda a lei.
Parabéns a todos os compinchas pela pescaria,continuem sempre assim.
Abraço
Rui Urubu

Os Pescas disse...

Oi Rui

É sempre desta forma que encaramos a pesca, convivio e camaradagem acima de tudo.
Só o facto de estarmos junto ao mar vale qualquer grade!!!!
Um abraço,
Pedro ( PJPescador )

Rui Salvaterra disse...

Sem dúvida mais que um dia de pesca. Para além das Salemas gostei particularmente o boné encarnado que aparece aos 11m14s. Saudações!

pesca_no_prato disse...

Bom relato, retrata o bom dia que passaram junto ao mar. Fiquei com pica de ir pescar à bóia, sou maçarico nesta vertente mas quero desenvolver, conto convosco.

O vídeo está fixe, gosto de ver atividade e divertimento, veio dar corpo ao relato, está lá tudo até as Salemas para dar umas aulas.

João, bem vindo ás lides, na companhia desta malta estou certo que já aguardas pela próxima vez.

Um abraço para o Luís Amaral, Filipe e restantes amigos.
Fiquem bem

Nuno (pesca no prato)

luis mascarenhas disse...

pessoal boa noite, até estava entretido a ver o video, mas a partir do momento em que foi dado o "penalty" perdi todo o interesse em continuar a ver o video, porque todo o ser vivo é dingno de respeito.
CUMPS

Os Pescas disse...

Tens razão Luís, mas não fomos nós como dá para ver... Eu não filmei o momento porque também não gostei, mas como deves perceber do meu quintal trato eu, do dos outros já é mais complicado. Eu sei que nunca o faria, mas isso sou eu... O video mostra a pesca, e esse episódio mostra uma realidade que infelizmente ainda persiste na cabeça de muitos pescadores. Resta ensinar aos mais novos do quanto errado essa atitude é! Um abraço.

Filipe Condinho

Paulo Marques disse...

Grande relato amigo, aliás como sempre, tens o dom da palavra Filipe, gosto sempre de ver um video a ilustrar as coisas e o peixe não se fez timido nessa manha, um grande abraço para voces.

Os Pescas disse...

É verdade Paulo andava lá bastante peixe. Acima de tudo o local esteve com muito boa onda, tranquilo e o dia realmente foi muito bem passado.Ainda não foram os grandes dentuças, mas estes têm um tamanho muitobom para a grelha! Temos que ir a eles. Abraço amigo.

Rogério disse...

Filipe belo relato, alias como é teu habito,agora que raio de companheiros arranjas tu?!
O mano velho tem a mania que é pescador...o outro é alentejano!
São os dois grandes pescadores com os quais já aprendi muito.
A ver se nos encontramos por ai para fazermos umas pescas.
Elas já entraram ai?

Os Pescas disse...

Boa noite Rogério. Bem vindo ao nosso blogue. Olha estes dois são do melhor. Gosto muito de pescar ao lado deles.
Sobre "elas", não sei, daqui a uns dias daremos lá um salto para ver o que se passa. És bem vindo! Abraço.

Raquel Borges disse...

belo relato :) estou aqui com uma constipação e vontade de ir pescar :D eu sou só uma pescadora de "sabado" mas quero evoluir. adoro quando o peixe da luta e trabalho. da um gozo apanha.los. os maiores que apanhei foram umas cenas com cerca de 1 kg :) pode parecer pouco mas pra mim já foi uma bela pescaria