Os nossos amigos

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Restrição PNSACV: Pesca de Sargo (Diplodus sargus e Diplodus vulgaris)


Começa HOJE...


Uma das leis que mais confusão nos faz entender...

Uma lei discriminatória que apenas permite que a pesca profissional "arrebente" com a espécie enquanto o pescador de cana tem que ficar em casa a espera que o tempo passe...

O que está em questão a nosso ver é a sustentabilidade da espécie, e para quem defende o defeso, que pense como pode existir um defeso se... A classe de pescadores mais destruidora para as espécies marinhas pode continuar durante esse período a matar livremente a espécie que supostamente se deve estar a proteger neste defeso...
Ridículo.
Não faz qualquer sentido interditar a pesca a quem menos destrói. 
Ou é para todos ou então de que serve este tipo de defeso? 
A quem serve este tipo de interesses?

Infelizmente, o futuro pode ter mais casos aberrantes como este...
Uma lei que viola o princípio de igualdade entre os cidadãos e que mente na rasteira legal que pretende transmitir de que o objectivo é proteger a espécie em si.


Nos termos do nº 4 do artigo 10º da Portaria nº 14/2014, de 23 de Janeiro,está interdita a captura de Sargos, Diplodus sargus e Diplodus vulgaris, entre 1 de Fevereiro e 15 de Março, na área do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV), aos titulares de licença de pesca lúdica apeada dado que, através da Portaria n.º 115-B/2011, de 24 de Março, a mesma medida se encontra em vigor para a pesca profissional apeada. 

* Esta lei não se aplica à pesca lúdica embarcada nem à pesca lúdica submarina.

8 comentários:

Sargus disse...

Boas, o problema é que nem existe fundamento cientifico, pois existem cerca de 24 sub-espécies de diplodus e nenhuma (que esteja cientificamente provado) está em declineo ou fortemente ameaçada.

Relativamente a uns lhe ser permitido efectuar capturas e retenção, apenas não é permitido aos pescadores lúdicos apeados e aos pescadores profissionais apeados, por exemplo, posso vestir o meu fato de caça sub e entrar ao lado de um pescador apeado, efectuar a captura de 15 kg de sargos acima das medidas mínimas, + o maior exemplar, sair e caso seja fiscalizado não incorro em contra ordenação. O pescador lúdico apeado, caso efectue uma captura de um sargo, por exemplo com um quilo e meio e o retenha ou seja fiscalizado com o mesmo incorre em contra ordenação.
Por outro lado, nesta altura do ano, sempre que o mar o permite, existem uns "artistas" a colocar redes alvoradas junto a pedras submersas e junto a costa, na maré cheia, depois a maré baixa e é o que se pode imaginar...

Isto não e um defeso, é uma restrição.

Faltou, Fonte: Oceanusatlanticus

;)

Boas pescas

Ricardo Gonzalez disse...

De locos...

André Matos disse...

É o país que temos , é isso e agora os pescadores ludicos só poderem levar 3 robalos , quando os profissionais matam milhares deles e se nao tiverem medida levam para casa ..... Pode ser que um deputado seja pescador (o que é muito dificil) e alerte para esta situaçao , se for alguem de dentro a falar , a situaçao muda logo!

Pedro Nunes disse...

Por enquanto este tipo de "defeso mentiroso" só se aplica ao Sargo, pior vais ser quando se aplicar a outra espécie que nem vou pronunciar aqui o nome e mais uma vez vão ser os lúdicos os prejudicados...

Os Pescas disse...

O pescador de cana que pesca apeado e claramente o que menos pode destruir das classes de pescadores existentes. Logo nesse aspecto a lei é uma aberração, uma farsa.
Mas o pescador lúdico tem o que merece pois não defende o que é seu, mesmo sabendo da dificuldade que é furar os lobbies existentes no mundo da pesca.
Infelizmente é assim. Aí vocês não pescam 1 mes e meio. Aqui o parque natural Luís Saldanha está praticamente todo proibido ao pescador lúdico apeado. Ainda é pior. Mas tudo isto é fruto da desorganização da classe a que supostamente pertencemos.

Bruno Pereira disse...

Se lerem bem diz pesca profissional apeada. Eu como normal pescador de bóia não dou profissional logo não se aplics a mim ou à maioria dss pessoas.

Bruno Pereira disse...

Como e a quem se pode protestar esta lei para que seja dissolvida?
Uma petição pública eras capaz de resultar não acham?

Diasje disse...

A pesca lúdica apesar de ser a que menos impacto tem na natureza e a que é a mais justa para as espécies, é sempre a mais prejudicada. Estas leis são criadas com recurso a lobbies, quando se fala de que não existem pescadores no governo tal não é totalmente verdade. Existem sim mas são donos de frotas pesqueiras que não podem nunca ser prejudicadas. Todas as espécies merecem e devem de ter a sua altura de defeso pois sem esta no futuro próximo pouco ou nada existirá tanto para o lúdico como para o profissional.